O Python é muito útil, mas pode não ser a linguagem de programação do futuro

1 curtida

Opa, que legal. Um artigo sobre tecnologia no Tecnoblog!

Eu adoro Python, e, obviamente puxando a sardinha para a minha brasa, achei que o artigo foi um pouco “maldoso” no sentido de não dar muitos detalhes sobre as supostas desvantagens do Python e também as dificuldades que podem ser encontradas nas linguagens “concorrentes”. Mas entendo que há que ser prático também no momento de escrever.

Dito isso, eu sou dos que acredita que toda e qualquer linguagem deve ser encarada como uma ferramenta, um meio para um fim. Não acho que é uma boa ideia aprender uma linguagem de programação pela linguagem em si. Acredito que deve-se procurar entender qual a linguagem de programação mais adequada para o momento, para o problema que deve-se resolver.

Nesse sentido, o Python é realmente muito útil em diversos cenários. Alguns já expostos na matéria e o meu favorito: é uma linguagem muito amigável para iniciantes porque abstrai muitas complexidades das linguagens de mais baixo nível como C++ ou Rust. E dessa forma permite, por exemplo, uma rápida prototipagem de sistemas ou algoritmos sem a necessidade de perder-se horas e horas em linguagens mais complexas. Mas entendo que é necessário que haja linguagens de baixo nível quando trata-se de aplicações onde a performance é crítica.

Aliás, na minha opinião nem se quer faz sentido comparar Rust com Python. As duas linguagens praticamente não se sobrepõem. O Rust está muito mais próximo do C++ do que do Python. São ferramentas completamente distintas para atacar diferentes problemas. Você pode usar um martelo para quebrar um galho de árvore? Certamente. Mas vai obter um resultado muito melhor e num processo muito mais intuitivo utilizando um serrote.

Vejo o Go muito mais próximo de um concorrente do Python. Só não entendi essa parte:

E ele é tão simples que fica ainda mais fácil manter o código.

Mais fácil em que sentido? Em relação ao quê?

Enfim, realmente gostei muito do artigo. Obrigado por trazê-lo até nós.

2 curtidas

O Python tem público, tem mercado, tem uma imensa utilidade e tem história e essas coisas não são facilmente substituíveis.
Acho que as desvantagens apresentadas não são o suficiente para decretar o fim da linguagem. Não da para programar app de celular? Então vamos matar a maior parte das linguagens de programação pois só poucas conseguem fazer algo nativo para mobile. Apps com javascript, por exemplo, são uma grande gambiarra.

(O GO jamais substituirá o Python pelo simples fato dele ser uma iniciativa do Google e daqui a pouco vai estar mortinho da silva como a maioria das tecnologias que o Google coloca no mercado.)

Python pode não ser a linguagem do futuro (de quanto tempo no futuro estamos dizendo?), mas ela é a da atualidade. Ou ao menos uma delas.

Tenho grande vontade de aprender mais sobre o Python, fico muito usando PHP devido a maioria dos servidores (compartilhados) do momento. Ultimamente, estou usando uma VPS (estou gostando muito), mas é para projetos particulares. Mas vejo muito falando sobre Python.

Quais as vantagens do Python sobre o PHP?

A maioria das linguagens de programação tem seu propósito específico. Algumas são genéricas e se comparam ao pato: voa, nada e anda - mas não é o melhor em nenhum dos 3.

Quanto ao gosto, eu diria que é como igreja, cada um tem suas preferências.

No fim das contas, a gente acaba aceitando a linguagem que o mercado restringe para o tipo de aplicação em que trabalhamos.

Nenhuma empresa grande se aventura a escrever um novo ERP web em C, assim como nenhum grande fabricante investe num hardware mais caro só pra executar um código Java no firmware de aparelho de microondas.

O mercado é guiado principalmente pelas decisões econômicas das empresas e pela oferta de mão de obra especializada, de acordo com cada área de aplicação.

PS: já trabalhei profissionalmente com Delphi, C, C++, C#, JavaScript e Java ao longo dos últimos 17 anos

1 curtida