Xbox Series X e S recebem corte de preço após redução de impostos

1 curtida

Boa notícia, agora é saber se as lojas vão repassar a redução no preço mais uma vez. Ah se fosse assim em todos os setores, o que mais tem é empresário que reclama, com razão, da carga tributária absurda, mas quando por um milagre ocorre redução, ele não a repassa ao consumidor.

1 curtida

O Series S dependendo da loja pode ser encontrado por uns R$2.500 à vista (parcelado é R$2.800 ou mais)

Mas na situação que estamos é “impossível” comprar o Series X e o PS5 com leitor (aquele digital nunca nem vi) o preço de ambos passa dos 5/6k, fora ter uma TV 4k com suporte as tecnologias que os consoles tem que passam dos R$5.000 fácil.

Vou esperar até 2022, se nada mudar deixo para adquirir um console novo quando lançaram as versões revisadas.

Essa semana mesmo vi promoção do Series S por ~R$ 2200 (acabou em minutos). Com essa redução de preço é possível que apareça abaixo dos R$ 2 mil em breve.

Estou achando essa geração bem fraca por enquanto. Até agora não apareceu nada que me faça ter vontade de comprar um PS5 ou um Series X/S (ainda mais por esses preços absurdos).

2 curtidas

Não que eu seja contra redução de impostos, mas reduzir imposto de um videogame que eu não consigo comprar nem que eu queira pq não há estoque disponível e esquecer da gasolina, do gás de cozinha, do preço da carne…
Em plena pandemia, governo nenhum joga para perder. Redução de impostos no valor do combustível (que impacta em MUITA coisa em nossas vidas) ninguém quer, mas no videogame já temos a segunda em menos de um ano. Pra q isso? Cortina de fumaça?
Será q estamos mesmo ganhando algo na prática com essa redução?

11 curtidas

Queria mesmo é redução no preço dos combustíveis, dos alimentos, da energia elétrica. Isso sim impacta de verdade na minha vida. Bacana reduzir o IPI dos videogames, no entanto não é isso que impacta 99% da população brasileira.

10 curtidas

Justamente por isso reduziram. Essas coisas grandes, precisam de bem mais que uma canetada ou boa vontade. É uma briga entre estados, municípios e Brasília.

2 curtidas

Galera acha que imposto é tudo. A maioria dos bens que consumimos sofre diretamente e indiretamente com a alta do dólar, os combustíveis, equipamentos e derivados estão com esses preços impraticáveis por conta da desvalorização do real frente ao dólar, por diversos fatores, entre eles a política econômica desastrosa e um governo que não se preocupa em administrar o país e sim causar confusão. ‘‘ah mas isso aconteceu no mundo inteiro…’’ o real foi uma das moedas que mais desvalorizou (só não perde pro Sudão, Líbia e Venezuela, que ironia né?!) e vai ainda mais com essa crise política, ninguém quer investir em um país instável e que flerta com um golpe de Estado.
Tiririca tava errado, pior que tava fica sim e como fica.

3 curtidas

Já não duvido de mais nada. A maioria dos países reconheceu o novo governo do Talibã.

1 curtida

Vc vai me desculpar, mas quem pagar esses valores sabendo q estão bem acima dos oficiais é burro.
E como eu digo sempre, burro tem mais q se fu*** mesmo.

Triste a gnt ter q fazer esse disclaimer pro pessoal q não sabe interpretar

Reconhecer é uma coisa, não querem tomar partido e fazer algo sobre o país e os refugiados; investir é outra totalmente diferente. Não é pq reconheceram o “governo” do Talibã que vão investir lá.

A maioria = 5 ou 6 da última vez que eu vi.
China, Rússia, Turquia, Paquistão, Arábia Saudita e eu acho que Omã.

Os países europeus estão, até onde eu saiba, conversando com o grupo para pelo menos garantir a segurança dos seus cidadãos, mas isso não significa reconhecer o grupo como o governo legítimo.

1 curtida

Só acho que não é tipo de coisa que um país democrático e que se dê ao respeito, deveria fazer. O simples fato de considerarem conversar com o talibã, já é inaceitável.

Particularmente eu tbm acho, mas no fundo a gente sabe q esses papos de “ajuda humanitária” e tal são puro marketing, na prática os outros países querem q o outro se foda.
No caso do afeganistão, se eles não tiverem nenhum recurso natural q precise de “democracia e liberdade” ngm ta nem aí.
Vê se alguém se intromete com cuba e venezuela. Se quisessem, poderiam. Cuba tem o bloqueio econômico mas na prática só atinge a população, o governo mesmo continua tendo acesso à coisas americanas.

1 curtida

Exatamente…

1 curtida

Exato. O grande vilão da carga tributária é o ICMS, um tributo estadual. Só como exemplo, no meu estado o ICMS sobre energia elétrica, serviços de telecomunicações e combustíveis é de 27%, 30% e 29%, respectivamente. Não é à toa que governadores são contra a reforma tributária, não querem abrir mão de um centavo de arrecadação.