Windows Phone: nascimento, evolução e queda de um sistema quase "perfeito"

E pensar que esse sistema chegou a ter um market share maior que do iOS em diversos países, principalmente na Europa, mesmo com todas as dificuldades e erros, 90% deles pela própria Microsoft. Já acho interessante a briga entre iOS e Android hoje, com uma terceira via, então, seria bacana.

Cheguei a possuir um. Lumia 920. Na época me atendia bem. Hoje eu não chegaria nem perto. Descanse em paz, WP. E que a MS tenha aprendido com o erro.

5 curtidas

Meu primeiro smartphone foi um Nokia Lumia 520. Ele durou muito tempo, uns quatro anos. Ele dava conta de muitas tarefas básicas. Porém, a falta de aplicativos, o uso de cópias de apps famosos, como o Facebook e o YouTube fizeram com que o Windows Phone perdesse mercado. A baixa adesão ao Windows 10 Mobile, onde poucos aparelhos conseguiram rodá-lo fizeram com que o sistema acabasse de vez.
Troquei o Lumia por um Smartphone Positivo e depois por um LG K8+. Esses dois celulares eram bem piores em questão de usabilidade em relação ao Lumia 520.

O sistema tinha potencial, acho que boa parcela de não ter ido para frente foi o jogo contra da Google, por exemplo.

As versões alternativas do YouTube eram muito melhores que a original do Google. Era quase do nível de um vanced de hoje em dia. A versão do tinder, snapchat etc eram melhores que as oficiais para Android.

Outro ponto, o aplicativo de câmera era excelente.

Tinha um bug chato da pasta outros que ficava acumulando lixo e não tinha como esvaziar, a não ser com um hard reset.

1 curtida

Um problema da Microsoft que se arrasta até nos computadores é SDK.
Em vez de criar um SDK que possa firmar a plataforma e ir atualizando pouco a pouco, mas tendo compatibilidade entre as versões, a empresa simplesmente reinicia do zero e começa um novo SDK simplesmente por não conseguir migrar o kernel/design para o novo sistema.
Windows Phone 7 foi um sistema que eu sempre observei com bons olhos desde o início, e gastei meu dinheiro comprando um Lumia 630 para apoiar a plataforma.

Mas, em vez de fazer um SDK compatível entre Windows Phone 7, 8 e 10, simplesmente jogaram a retrocompatibilidade no lixo e corre pro abraço.

O sistema poderia ter tido várias mudanças em questão de design, como o próprio blur do Fluent, que nem sequer foi adaptado por completo até o final do Windows Phone 10.

De qualquer forma, Microsoft teve um sistema que poderia abocanhar o setor intermediário/básico, mas acabou enfiando ideias demais no sistema e mal executando todas.
UWP, Modo Continnum, SDK quebrado, limitações no próprio sistema, é cada coisa…

2 curtidas

E dizer que o WP foi o SO que desafiou tanto o design datado de ambos iOS e Android como de quebra veio pra rodar em aparelho com hardware que o Android sequer passava perto à época.

Eu particularmente fui um dos apostadores do WP. Tenho até hoje um Lumia 730 com a tela estragada. E tive um Lumia 435 “quebra-galho” depois que o 730 me deixou e que fiz a gentileza de perder. Na época, inclusive, o 435 era o que havia de mais barato no mercado de um modo geral mesmo sendo um aparelho superior a qualquer Android barato da época.

O maior erro da MS nisso tudo acredito ser a soberba do Steve Ballmer em não aceitar nada de fora. Até mesmo a Apple, que é concorrente direta do Android, recebe bilhões pra ter o ecossistema do Google no iOS. Acredito que se o Satya tivesse à frente da MS naqueles tempos o WP ia estar vivo ainda. Não ia ser aquele marketshare absurdo mas pelo menos ia ser uma alternativa à mesmice de Android e iOS.

3 curtidas

Parabéns pela matéria Wagner!

O Windows Phone tinha uma identidade, e isso tornava ele tão especial para os fãs. Infelizmente não puderam explorar melhor os conceitos que hoje no Windows 10 amadureceram. Ficará na lembrança de muitos que puderam curtir esse momento de competição com iOS e Android.

2 curtidas

Também acredito que a mudança frequente de SDK acabou sendo o tiro no pé do sistema! Já tinha começado atrás, não tinha retro compatibilidade de apps…Sim, a Microsoft colocou muito dinheiro, inclusive a desenvolvedores para que portassem seus apps para o sistema, mas esses o faziam, mas pelo baixo número de usuários acabavam não mantendo o suporte.

1 curtida

Muito a frente do seu tempo, só não vingou por conta da falta de apps, se ainda existisse com certeza estaria com um.
Ainda me recordo de ir em um bar, do lado da minha casa com um controle jogando como se fosse o Xcloud e o pessoal viajando, uma semana depois todo mundo com Windows no bolso.
Além disso, o custo benefício me chamava muita atenção, tive vários modelos, Lumia 520, 530, 730, 830, 950 se não me engano, câmera impecável e as fotos do Lumia 950 que ainda tenho guardado ainda sim deixa o iPhone de lado.

3 curtidas

Apesar de nunca ter tido um gostava bastante da plataforma. Mas a Microsoft traiu seus usuários, seus desenvolvedores e todo mundo. Primeiro com o abandono de quem tinha acreditado na plataforma desde o início com o Windows Phone 7 e segundo com o lançamento do Windows Phone 10. Que demorou bastante e no fim quase nada poderia atualizar pra ele.

Nem vou falar da incompetência absurda de lançar o Windows Phone 7, uma coisa que era pra ser nova e moderna baseado no Windows CE que já estava respirando por aparelhos faz tempo e que tinha sido projetado para aparelhos na época já obsoletos. Mais uma péssima decisão na conta de Steve Ballmer. Se eu fosse dev de WP na época teria ficado bem bravo sabendo que agora o Kernel do sistema seria outro. Era óbvio que deveria ter sido o NT desde o dia zero. Mas a pressa de entrar foi tão grande que cagaram tudo. Por último, a Microsoft não é a Mozilla quer tentou lançar um OS pequeno mas não tinha tantos recursos. Com o rio de dinheiro que eles tem dava pra ter sustentando a plataforma por mais tempo mesmo tomando prejuízo enquanto pegava tração. Isso iria forçar a atenção dos grandes apps. Essa última foi uma traição com a Nokia, pois a Microsoft foi a que menos acreditou na própria plataforma.

3 curtidas

Eu tive os Lumias 920, 925 e 930. Só troquei pelo iphone quando realmente estava claro que não teria salvação. Até hoje sinto falta. Eu realmente gostava do sistema, era rápido, fluido e por mais estranho que possa parecer o design me agradava também.

5 curtidas

Usei até meados de 2017, quando migrei para o Android. Tenho a impressão que a Microsoft também não sabia divulgar de uma forma adequada, pois eles se vendem como uma empresa de produtividade e no final das contas as pessoas queriam apenas um smartphone para redes sociais e multimídia, talvez ninguém queria produtividade.

Igual agora com o Windows 11, com o Teams integrado que só de ouvir me lembra trabalho e com games integrados ao sistema com o Game Pass… Afinal, é trabalho ou lazer?

Mas eu gostava muito do sistema.

1 curtida

Usei Windows Mobile, depois praticamente todas as versões do Windows Phone. Fui até o W10 em beta com o meu Lumia 1320, um telefone incrivelmente barato pelo tanto que oferecia, e enorme. A tela era um deleite para consumir conteúdo, e até o Excel rodava muito bem.

Desisti depois que soube que, mesmo rodando o W10 em beta, o 1320 não receberia o W10 em versão de lançamento. Acabei voltando para o Android, que eu já havia experimentado no sofrível Galaxy 5 e num Motorola Defy que deu todos os defeitos do mundo.

Gostaria muito, muito mesmo, que o Windows Phone tivesse continuado. Era um sistema muito fluído, muito bem acertado e que apresentava um paradigma totalmente diferente. Seria inclusive muito legal se o launcher da Microsoft no Android trouxesse os live tiles, ao invés daquela interface sem sal e bugada.

1 curtida

Eu queria comprar um Windows Phone, quase comprei um Lumia 800 em 2012 (ainda bem que não comprei), também fiquei com vontade de comprar o Lumia 925, mas acabei pegando um Android novamente.

Quando eu ia nas lojas que vendiam celulares, os que eu mais mexia eram os Lumias, eu realmente achava legal aquele sistema e tinha vontade de experimentar, mas por diversos motivos eu acabei sempre comprando Android.

Tive 3 Lumias, 620, 920 e 925. Eu gostava muito de todos eles, no começo o lance dos apps nem pegava tanto porque tinha os básicos e/ou alternativas, mas depois foi ficando insustentável. Uma pena mesmo, lembro até hoje de como era uma experiência boa usar o Windows Phone.

Bons tempos, tenho muita saudade do Windows Phone 8.1 :sob::sob::sob::sneezing_face::sneezing_face::sneezing_face::sneezing_face:

Obrigado, Pedro.

Realmente, o Windows Phone tinha uma boa identidade, mas os suscetíveis erros o “destruíram”.

2 curtidas

Tiva um Lumia 1020. Gostava muito dele, mas a própria Microsoft tratou de me fazer voltar para o Android: primeiro, garantiu a atualização para o Windos 10 Mobile; depois, voltou atrás e deixou os donos do dispositivo numa sinuca de bico: ou instalava e se virava com um sistema que permaneceria em beta para sempre (com aplicativos não rodando direito - o aplicativo do Facebook fazia o celular consumir toda a bateria em stand-by durante a noite, e a única solução que encontrei foi desinstalar o app), ou voltava pra versão anterior, o WP8.1 e sua gama ainda mais restrita de aplicativos.
Em pouco mais de um ano me arrependi do Windows Mobile (apesar de ter gostado do sistema) e acabei voltando para o Android.
Mas, cá entre nós: que um terceiro sistema, que ciscasse um pouco pro lado de onde iOS e Android estão se empurrando, seria interessante isso seria. Pelo menos para os entusiastas.

1 curtida

Velho, é tanta coisa errada e que não deveria ter acontecido nessa história que chega dá preguiça de listar tudo. A coisa começa a partir do N97, o abandono do desenvolvimento do MeeGO (esse que rodava no Nokia N9), tinha o N900 que a foi um produto de nicho que a Nokia simplesmente não fez por onde ser tão conhecido, o “cavalo de tróia” chamado Stephen Elop, a venda da Nokia para a MS, a própria MS…

1 curtida