Vivo migrará clientes de TV via satélite para tecnologias com IPTV

1 curtida

Depois da movimentação recente da Claro, tirando de linha seu Claro TV DTH e lançando apenas por app, era de se esperar que a Vivo tomasse uma atitude. Bom, já sabemos que ela vai trabalhar em cima do Vivo Play, que é bem mais penetrado que o app da Claro (que só tem em TV LG), já que o Vivo Play está presente na Samsung Tizen, LG WebOS, Android TV e Fire OS. Deveriam liberar logo a venda do Vivo Play atual para qualquer pessoa e não apenas para clientes móveis da operadora. Já vai maturando o sistema até a migração de base no fim do ano. Devemos esperar as cenas dos próximos capítulos nessa disputa acirrada pelo mercado de TV. DirecTV Go perderá o trono de líder para Claro App ou Vivo Play? Aguardemos.

5 curtidas

Acho que o decoder que usam pra iptv nos clientes fibra deve funcionar com internet vdsl, de repente coloca uma segunda linha vdsl nesses clientes só para entregar a iptv, não fica nenhuma maravilha mas não deixa o cliente na mão, pq depois que forem pra concorrencia não vão mais voltar para a Vivo.

3 curtidas

Nossa, lembrei que a minha irmã tem esse serviço de graça pq um maluco que trabalhava lá deu os equipamentos como pagamento por um serviço que o marido dela fez. Agora acabou a mamata.

1 curtida

Aqui em casa(Guarulhos) ainda tem o Internet e TV da época que era gvt, até hoje a vivo não teve a capacidade de trazer fibra pra cá, somos obrigados a ficar reféns de 15mb pq a vivo e meu pai querem, já que mudar pra claro ou outra operadora é fora de cogitação.

Vai sobrar só a Sky no SAT!

2 curtidas

A GVT já tinha tecnologia pronta pra isso faz algum tempo. Não sei como anda a Vivo TV atual…

GVT TV transmite a televisão via internet quando satélite falha – Tecnoblog

2 curtidas

E não vai demorar pra descontinuar o satelite e ficar só com o DirecTV Go não. É muito mais barato que manter satélite em operação, fora os decodificadores e antenas.

Sky já tá com um pé na cova faz tempo! Tv por satélite está se tornando um custo proibitivo, sendo que serviços de streaming são muito mais baratos.

2 curtidas

A materia cita, erradamente, que a tecnologia OTT seria o mesmo que IPTV. Só que são coisas diferentes. A verdadeira IPTV exige que o serviço seja prestado sobre uma rede onde a operadora tenha pleno controle, ou seja, nesse caso, sobre a rede de fibra da Vivo, e com um receptor. Nao pode ser pela internet pública.

Ja no OTT (ou tv pela internet) o serviço pode ser prestado atraves da internet pública. Infelizmente a confusao ja foi estabelecida na cabeça das pessoas por conta dos aplicativos piratas de tv pela internet que se auto-entitulam “IPTV”… Mas o comunicado da Vivo está tecnicamente correto ao separar os 2 produtos, ja que um é IPTV e outro nao é.

4 curtidas

da onde tu tirou essa definição de IPTV?

TV paga via Internet esta muito mais barata, mas não compensa mais. Assinava directv go, mas com o fim de alguns canais, preferi assinar streaming. Hoje, por exemplo, pago 9,90 nos disney+ e star+.

1 curtida

IPTV é um método de transmissão de TV por internet, é um termo bem genérico.

A Vivo utiliza o IPTV para prestação de TV paga (Serviço de Acesso Condicionado), por isso precisa estar na rede dela, com o próprio controle. Mas nada impede que lancem um IPTV como OTT (até porque já lançaram, se chama Vivo Play App).

2 curtidas

IPTV é uma daquelas coisas que muda a definição um pouco pra quem você pergunta.
Pro setor de telecom, costumam falar em rede própria, mas pro leigo, se for via internet é IPTV. A internet é uma rede baseada em protocolo IP, então :person_shrugging:

1 curtida

Em partes né? Acredito que manter satélite para o usuário final tenha um custo X, mas muitas destas empresas de comunicação não tem como abrir mão da comunicação via Sat entre emissoras por exemplo.
Enxugar as finanças, no mundo em que a inflação está em alta em diversos países é o melhor caminho, mas a tecnologia em sí ainda vai durar muitos e muitos anos.

da onde tu tirou essa definição de IPTV?

Das definicoes standard oficiais das agencias de normatizacao internacionais, como a ITU [International Telecommunication Union] e ATIS [Alliance for Telecommunications Industry Solutions]. Sao elas (e outras) que determinam que regras e padroes o IPTV tem que seguir.

Mas nao adianta tentar discutir isso de forma tecnica, porque o povo baixa app pirata que se auto-denomina “IPTV” (um nome tecnicamente errado) e agora todo mundo acha que esse tipo de aplicativo é IPTV (ou que basta colocar a transmissao de um canal de televisao na internet, que isso ja passa a ser IPTV). Vai ficar o nome errado mesmo, porque ninguem quer saber… :slightly_smiling_face:

.

A Vivo utiliza o IPTV para prestação de
TV paga (Serviço de Acesso Condicionado),
por isso precisa estar na rede dela, com
o próprio controle. Mas nada impede que
lancem um IPTV como OTT

.
Nao tem nada a ver com ser TV Paga ou nao ser… O que “impede” de ser chamado IPTV é a normatizacao do que define o IPTV, feita por agencias internacionais como a ITU [International Telecommunication Union] e a ATIS [Alliance for Telecommunications Industry Solutions].

A definicao do IPTV exige, entre outros, o total controle e o gerenciamento rigoroso em pontos importantes como a segurança e o desempenho da rede, para “garantir uma experiência de entretenimento superior, resultando em um ambiente de negócios atraente para provedores de conteúdo, anunciantes e clientes”.

Sao as exigencias das agencias de normatizacao que forçosamente deixam a “transmissao de televisao pela internet” de fora da definicao de “IPTV”, ja que ninguem tem como garantir qualidade, desempenho e muito menos gerenciamento usando a internet pública, isso voce só consegue dentro de uma rede própria. Na internet publica voce coloca um video em 4K e muita gente so vai conseguir assistir a no maximo 720p. Nao tem como garantir nada! (como as normas tecnicas exigem).

Mas, como eu disse, essas sao as normas tecnicas… Para o leigo, basta apenas usar a internet para transmitir televisao, que apenas isso ja configura IPTV (afinal a internet é uma rede IP). Entao acaba sendo perda de tempo tentar convencer, porque isso exigiria que a pessoa fosse ler as definicoes oficiais, pesquisar as normas de uma ITU e por aí vai… Eu so posso resumir da seguinte forma: tecnicamente, o app nao é IPTV. Por isso a Vivo acertou em seguir a normas tecnicas e diferenciar os 2 serviços no seu comunicado.


[Isso tudo me lembra muito o termo “SUV”… Ate a legislacao brasileira coloca algumas exigencias tecnicas para definir um veiculo como SUV, como o angulo de ataque do carro… Mas para o povo, basta ter uma aparencia de “jipe” que para eles já é SUV… Ninguem liga para normas tecnicas…].

.

IPTV é um método de transmissão de
TV por internet, é um termo bem genérico.

Se voce usar uma definicao simplificada assim, concordo que fica generico… Mas isso aí é apenas uma definicao para os leigos, as agencias internacionais de normatizacao em telecomunicacoes, como a ITU, fazem uma difinicao muito mais complexa e com varias exigencias, para definir o que é IPTV. Nao é apenas “jogar audio e video na internet” que faz alguma coisa virar IPTV.

.

Debates definicionais sem referências fica difícil.

ITU-T define o IPTV como:

Fonte: STANDARDIZING IPTV

Já o ATIS, no relatório final do seu “Grupo Exploratório de IPTV” de 2006, definiu IPTV como:

E adicionam:

Tem o relatório nesse link: [PDF] ATIS IPTV Exploratory Group Report and Recommendation to the TOPS Council - Free Download PDF

Não me parece dizer explicitamente que a prestadora tenha pleno controle da rede.
O ATIS diz que no IPTV a segurança e performance da rede são gerenciadas de maneira mais focada para garantir uma experiência de entretenimento superior.
O ITU-T diz que a rede é gerenciada para prover os níveis de qualidade de serviço, experiência, segurança, interatividade e confiabilidade necessários.

Eu não tenho noção de redes o suficiente para concluir com certeza que os níveis necessários das diversas qualidades só pode ser atingido se o provedor tiver pleno controle da rede.

Tanto é que o ITU-T (no mesmo link usado como fonte para a definição da ITU-T) divide a arquitetura do IPTV em quatro partes: provedor de conteúdo, provedor do serviço, provedor da rede e consumidor, o que deixa margem para intepretar que o provedor de serviço e da rede não precisam ser, necessariamente, o mesmo ente. Dá pra argumentar que pode ser uma configuração onde são duas empresas distintas controladas por uma mesma empresa matriz, claro, mas também dá pra pensar em uma situação onde o provedor do serviço faz um acordo com um provedor da rede pra priorizar o seu serviço.

Sem falar que no caso do IPTV, existe um link de internet dedicado separado para o IPTV da internet da sua casa. Para garantir melhor experiência de uso na TV, e sem atrapalhar a internet na casa… Ao menos era assim com a VIVO IPTV, OI IPTV, antigamente…

Mas eu já cansei de falar sobre a diferença de “IPTV de verdade” vs “IPTV” kkkkkk, pro povo é a mesma coisa…