Último dia para tirar o título de eleitor: etapa pode ser feita pela internet

Uma coisa que chamou a atenção é como o servidor do TSE não suportou durante a semana o cadastramento de 7 milhões de pessoas e durante as eleições aguenta 140 milhões de votantes. Algo não esta certo nessa historia. Deveria passar por uma auditoria para descobrir os erros.

Sim pq os votos são tudo online pela internet.

E toda eleição o sistema de divulgação (que é separado do sistema totalizador) sofre de sobrecarga

6 curtidas

Acho que você não entendeu oque estou dizendo, não é a pagina e sim os servidores para receber os dados. São eles que estão com problemas.

1 curtida

Tu tá comparando um sistema que exige diversas consultas a base de dados que costumam ficar armazenadas em disco e depois gravar esses dados em disco de novo, com um sistema que só tem de fazer uma rápida checagem de validadores e criptografia (o que pode ser escalonado em diversos servidores essas conferencias) e depois só tem de pegar um numero e somar ele no numero anterior de votos do respectivo ID de candidato em que tudo está rodando em memória RAM pq devemos ter menos de 100 mil candidatos no brasil inteiro?

7 curtidas

100% confiável só as urnas eletrônicas meu caro

2 curtidas

Um dia em que algo for 100% é porque esse sistema não existe no próprio universo.

A única base de dados que precisa ser analisada nesse caso é do próprio servidor do TSE, um sistema bem completo com os dados dos brasileiros. Tanto é, que é usado para localizar pessoas desaparecidas. Outra coisa que você disse é que ele precisa fazer diversas checagens, mas nas eleições ocorre a mesma coisa de comparação e validação de dados nos servidores e não nas urnas. A carga de trabalho vai ser nos mesmos moldes comparativos.

essa galera, sabe zzzzzzz. . .

Claro pô, todas as urnas eletrônicas ficam conectadas a internet e os votos são computados em tempo real no servidor do TSE. Temos que investigar mesmo.

4 curtidas

É você que esta dizendo isso, em nenhum momento eu disse isso. Chegou na conversa e nem se atentou ao assunto, estamos falando em carga de trabalho dos servidores no momento em que os dados recebidos pela urna no final da eleição são recebidos de todos as regiões do Brasil como aconteceu nas eleições do Haddad em SP. Na qual os servidores podem ficar sobrecarregados como esta ocorrendo nesse cadastramento.

da pra colocar a soma de todos os votos de todos os candidatos do brasil em RAM usando 1 MB (4 bytes pro ID + 4 bytes pro total de votos * 100 mil candidatos).

Enquanto isso tu não carregou nem a foto do eleitor com 1 MB de RAM no servidor.

Processamento de verificação de segurança podem ser feitas de forma descentralizada por vários servidores que depois alimentam o totalizador.
Já um banco de dados descentralizado é um inferno de implementar.

justamente por isso é uma base de dados tão pesada e não suporta tantos acessos simultâneos assim.

2 curtidas

Ok então é bem poucos megas de informação, mas então como se explica os problemas na apuração? Digo nos atrasos recorrentes na totalização. Algo leve dessa maneira como você esta explicando deveria ser moleza para computar nos dias atuais, já que usamos dessa maneira desde 1996, deveria ser cada vez mais rápido não? Mas não é oque ocorre. E mesmo se fosse verdade há um outro problema. A minha versão e a sua e outras tantas só são suposição porque nenhum desses dados de como é feito já foi divulgado, e quem tenta saber mais sobre esse tópico logo é tachado de algum nome pejorativo como antidemocrático.

1 curtida

O título de eleitor nem deveria existir. Você tem uma zona e uma seção fixas e já precisa de um documento de identidade pra poder votar. O título é só uma burocracia adicional pra fazer você perder seu tempo com a justça eleitoral.

A ideia do titulo é identificar a seção e a zona em q vc vai votar.
Jamais foi obrigatório o porte no dia da eleição.
Não houvesse essa distinção, todo mundo ia votar na seção mais cômoda possível, ou ia querer votar em seções diferentes em eleições diferentes.
A identificação por zona e seção é meramente pra organização e logística.

Quanto ao recadastramento que termina em 04/05, foi focado mais em quem tem entre 16 e 18 anos (voto facultativo) e em quem, por motivo qualquer, precisa transferir o titulo para outra seção.

Mas brasileiro deixa tudo pra última hora sempre…

4 curtidas

Tu diz a dificuldade de pegar os dados de uma urna numa cidade no meio da Amazônia e levar até um posto do tribunal eleitoral e depois transmitir os dados via satélite pq o lugar fica tão no meio do nada que não chega fibra ótica?

As urnas são todas offline, e isso faz parte da segurança dela, tu tem de pegar o pendrive (antigamente eram disketes) com os votos criptografados e levar até os pontos de transmissão, e não tem eles em todas as cidades. Depois tu tem de manualmente inserir um por um em um computador conectado a VPN do sistema eleitoral e dar o comando de envio, verificar se tudo ocorreu bem e passar para o próximo pendrive, todo esse processo tem controle de cadeia de custodia, ou seja, não é simplesmente um monte de pendrive jogados em uma caixa.

Quer ver o sistema funcionando? não é nenhum segredo, é só tu se voluntarias como mesário e conversar com as pessoas que estão trabalhando lá no dia.

tu acabou de descrever o titulo eleitoral, um papel que informa a tua zona e sessão, ou tem sugestão melhor? lembrando que não pode ser um sistema online pois muitas pessoas não tem acesso a smartphones e internet.

4 curtidas

Então fui mesário/(presidente de seção e outros títulos e níveis) desde que tirei titulo de eleitor sou de 1982(39 anos) e essa vai ser a 1 eleição que não vou ser porque pedi baixa. Conheço o processo todo, oque estou falando é sobre qual é o tipo de segurança usada e outras variações técnicas. Mas virou um tabu meio que esquisito perguntar qualquer coisa a respeito que o pessoal já vem com pau e pedra pra cima de quem ousou perguntar algo além do que é passado nas propagandas sobre a eleição. Não sou contra as urnas, mas sim gostaria de saber muito mais sobre a linguagem usada, qual é o tipo de criptografia usada e outras coisinhas. Mas não é permitido.

2 curtidas

foi só digitar no google “assinatura de chaves urnas eletrônicas” e apareceu o site do TSE falando isso:

Nas Eleições 2022, os eleitores contarão com novas urnas eletrônicas protegidas pela tecnologia de hardware com os mesmos requisitos da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil. São mais de 200 mil urnas do modelo UE 2020 que já sairão da fábrica protegidas por esse novo equipamento certificado.

Basicamente é só pesquisar sobre que criptografia exatamente estão usando no ICP-Brasil

Fonte: https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2021/Julho/novas-urnas-eletronicas-contarao-com-certificacao-da-icp-brasil

4 curtidas

Por incrível que pareça tinha visto isso mas não tinha associado na nomenclatura ICP Brasil, obrigado pela informação. Então as urnas usam ICP Brasil A4?

Esta postagem foi sinalizada pela comunidade e está oculta temporariamente.