Tecnocast 189 – Presos no ecossistema

Originally published at: Tecnocast 189 – Presos no ecossistema – Tecnoblog

Em janeiro eu pensei em trocar de celular e decidi continuar com a Samsung justamente por isso.

Se eu trocasse de marca, iria perder uma boa integração com meu Galaxy Watch (já usei no iPhone e até na Motorola e sei quão ruim é) o Galaxy Buds+, além das funcionalidades Samsung com o Windows, como as funções exclusivas do Your Phone ou o OneDrive na galeria.

3 curtidas

Interessante esse podcast e o tema em si, eu estava pensando exatamente sobre isso uns dias atrás. Em termos de ecossistema, o da Apple é um dos melhores e com uma integração entre dispositivos quase imbatível (claro, no conceito Apple, que é mais pra parte de produtividade/mídia, com o iPhone, Mac, Apple Watch, etc).

A Samsung, por exemplo, trabalha num ramo um pouco mais amplo que a Apple: além dos computadores (que não rodam um sistema próprio, mas Windows) ela tem geladeiras, máquinas de lavar, como a que o @higa falou, TVs, aparelhos de som, ar condicionados, entre outros eletrodomésticos. Ou seja, faz sentido alguém optar por aparelhos Samsung quando quer uma automação e integração melhor dos dispositivos da casa.

Eu penso que é justamente isso que faz as pessoas travarem um pouco na hora de mudar de um ecossistema para outro, fora que tem a questão da necessidade de cada um. Eu, particularmente, me vejo preso a dois ecossistemas, voltados pro meu uso pessoal e profissional, e acho sensacional duas grandes empresas compartilharem praticamente os dois ecossistemas, quase que como se fosse um só: Samsung e Microsoft.

Tenho um PC com Windows, uso a suíte da MS, com OneDrive e OneNote. Contatos, calendário e email também, além do Edge. E é tudo muito bem sincronizado com meu Galaxy. O Your Phone, citado pelo @vctgomes, é show de bola também.

A Google, pra mim, apesar de ser o Android que roda no meu smartphone, é como um ecossistema à parte, que nem a Amazon. Basicamente só uso YouTube (Premium tbm) e Mapas. Não uso Chrome, Gmail, Drive, nem mesmo o Fotos.

Ou seja, no final das contas, como eu disse, dependendo da necessidade, um ecossistema muito bem integrado ajuda bastante na organização da sua vida. De fato, é uma “prisão” aparentemente, mas é o preço que se paga por ter a sincroniza e integração de um ecossistema, para manter a qualidade e praticidade.

1 curtida

Outro ponto, que até foi falado no cast, é o conflito entre o lado pessoal e o lado profissional e o círculo de amigos.

Por exemplo, se a maioria dos seus amigos tem iPhone e/ou usam o ecossistema Apple, não faria mais sentido você também usar, pra ter uma interação melhor? Ou se a sua empresa usa a suíte Google como ferramenta corporativa, não é melhor e mais prático você também usar para uso pessoal?

De certa forma, as bigtechs ganhando espaço no ambiente corporativo influencia indiretamente nos usuários, para o lado pessoal também. Temos, por exemplo, a MS, Google e Amazon disputando terreno nas soluções em nuvem, que basicamente é o rumo que a tecnologia está tomando.

É uma disputa interessante ver quem consegue ganhar o usuário da melhor forma possível com seu ecossistema. O lado bom disso é que nós, consumidores, acabamos ganhando, pela concorrência.

Não, mas eu uso Windows e Android e basta vc instalar o aplicativo…
E conectar na rede 2,4GHz…
:joy: :joy: :joy:

Eu estava comentando com um amigo recentemente sobre isso, o q me levou a abrir aquele tópico sobre o Dropbox x Onedrive.
Como o OneDrive hoje é bem integrado ao Windows e ao sistema do MS Office.

Gostei muito do episódio…
Me lembro do meu primeiro iPhone, q eu até desabilitava o imessage (enviando apenas SMS) pra economizar plano de dados e pq ninguém tinha imessage e tinha gente q tinha, mas ainda só se conectava via wifi, então a mensagem ficava no limbo até a pessoa ver - lá se vão uns 8 ou 9 anos disso.

Fato é q a Apple está anos luz na frente, mesmo a Samsung fazendo um bom trabalho do lado do Android. Mas nem sempre foi assim. Na época do iPod, era um saco abrir o Itunes pra ficar copiando coisas para o gadget. Mas passou, oh God, passou!!!

1 curtida

Vou adiantando sempre pra pegar o contexto e parei imediatamente quando o maluco chamou Spotify de ecossistema. Forçada de barra terrível.

1 curtida

Você foi pulando e PERDEU o contexto, então.

O episódio é sobre aprisionamento tecnológico, construir um ecossistema é só uma forma de aprisionamento. Ouve a introdução da pauta que você vai entender.

3 curtidas

Interessante de ouvir vocês falando sobre a “sensação de continuidade” de trocar de iphone e ter os mesmo apps, mesma posição e wallpaper, porque pra mim e para alguns amigos que gostam de tecnologia, esse é uma coisa “ruim”, quando trocamos de smartphones justamente queremos a ideia de ter tudo novo, e quando acontece do dispositivo fazer essa sincronização ficamos com a sensação de ter jogado dinheiro fora ou ter trocado “coelho por lebre”, porque fica exatamente o mesmo jeito enjoado.

1 curtida

Acrescentando: hoje fui tentar exibir uma foto do telefone na TV. Ambos produtos da Samsung e o celular tinha um ícone “Exibir na TV”.

Tentei transmitir para a TV, mas, pra minha surpresa, recebi uma mensagem que a minha TV não era compatível. Pra eu conseguir resolver a limitação tive de usar o espelhamento de tela que funciona, ou Smart View, como a Samsung chama. Ele tem uma boa comunicação entre dispositivos, mas me impede de utilizar o telefone enquanto isso, então acabava sendo ruim.

Fiquei bem decepcionado. Ambos são aparelhos da Samsung, mas nem por isso quer dizer que terei a melhor comunicação possível. Até lembrei da comparação com a LG que fizeram no podcast.

A minha TV tbm nem é tão antiga.

Foi falado no episódio que, quando troca de iphone, praticamente tudo no telefone antigo é transferido e mantido no novo, até mesmo os logins.

Os tokens dos bancos são mantidos também? Troquei de Android recentemente e foi um transtorno reconfigurar os apps de banco (tenho conta em vários). Tava até resistindo em trocar para um aparelho novo por conta desse incoveniente.

É muito legal trocar de dispositivo, tirando a parte de ter que instalar tudo de novo e deixar do jeitinho que você gosta de usar.

De todos os bancos não posso dizer por não ser cliente, mas do Bradesco e do Santander foram migrados automaticamente. Itaú até onde me lembro migra também.

1 curtida

Bom saber. Santander foi terrível: eu podia habilitar o token pelo caixa eletrônico, mas recentemente eles implementaram biometria nas máquinas, e, como eu tava há um tempo sem usar, tive que procurar a gerência para cadastrar. Só que o Santander tá com o atendimento presencial todo zoado por causa da pandemia, com muitas filas e falta de horário para eu ir. Levou uns 15 dias para eu conseguir ir lá resolver.

Bradesco foi bem tranquilo. Dá para transferir a chave de segurança se você estiver com o aparelho antigo.

Itaú eu tive que ir no caixa eletrônico, mas foi rápido. O chato foi ter que sair de casa pra isso.

Os outros bancos digitais foi mais fácil, eles colocaram reconhecimento facial, deu para fazer rápido, de casa mesmo.

Vontade de ter um iPhone no futuro só aumentou agora.

Tem gente que não gosta, mas isso pra mim é uma vantagem absurda. Eu atualmente tenho dois iPhones que uso simultaneamente como telefones principais, e seria um saco ter tudo separado em cada um deles. Graças ao iCloud, tudo o que tá em um, também tá em outro (e exatamente do mesmo jeito). Isso sem contar meu iPad que também entra nessa sincronização. É só escolher qual device eu vou usar e está tudo lá, de onde parei.

Como já comentaram aí, depende do banco, mas vários já sincronizam o token no backup. Aqui eu tenho Itaú e o iToken sempre passa de um iPhone para o outro no sistema de transferência direta de dados. É realmente muito prático, só colocar um aparelho do lado do outro, esperar uns minutos e pronto, tá do jeito que o outro estava sem ter que ficar configurando tudo de novo.

3 curtidas

De fato! Eu nem entendo os motivos de não gostar disso.

Recentemente dei um telefone novo pra meu pai e ele quase desistiu da ideia de trocar de celular justamente por conta das dificuldades de migrar tudo.

Detalhe q a Samsung tbm tem um bom serviço pra migração de dados. Ele restaura papel de parede, locais dos ícones, configurações etc. É integrado até mesmo ao WhatsApp (permite migrar tudo sem precisar baixar todos arquivos da nuvem). O problema mesmo era ter de fazer login e configurar todos apps do zero.

Quando usei iPhone, lembro que restaurei o celular uma vez pq mantei pra garantia e, se n me engano, o telefone restaurou até as minhas notificações não lidas! Era surpreendente.

1 curtida

O Android melhorou bastante nesse quesito de restaurar integralmente o sistema num aparelho novo.
Mas nada se compara à Apple.
Em tempos onde o celular é ferramenta de trabalho (e de lazer tb, pq não), pegar um aparelho novo e ter o sistema pronto com tudo q vc usa quase instantaneamente, é um recurso muito valioso.

Por anos reclamei q a Apple não dava muita liberdade pro usuário (e não dá realmente). Mas a praticidade com as coisas é tanta, q vale a pena.
E a bem da verdade, mesmo com Android, eu hoje nem mexo em sistema. Pra terem ideia, nem troco o papel de parede. Só quero o equipamento rodando direito.
Então, a suposta liberdade do Android nem faz diferença pra mim.

O meu sentimento é o oposto ao do colega ai pra cima - ter q instalar tudo do zero (ou quase tudo) me passa perda de tempo já que, se paguei 3 mil ou mais em um aparelho, quero q ele “lave, passe e cozinhe” pra mim.

1 curtida

Este tópico foi automaticamente fechado após 92 dias. Novas respostas não são mais permitidas.