Sony recorre, mas é obrigada a desbloquear PS5 banido em SP

Sony se ferrando e eu sorrindo.

4 Curtidas

Não concordo com a ação do usuário, de compartilhar os jogos, mas concordo com a decisão da juíza. De fato, o banimento é bastante abusivo, principalmente considerando a dificuldade que é ter um console atual aqui nas terras brasileiras. Acredito que cabe algum tipo de punição ao usuário, mas o que estava sendo praticado era muito exagerado.

4 Curtidas

Ia comentar exatamente isso. É um absurdo a empresa apertar um botão lá e transformar o hardware que você comprou em peso de papel.

3 Curtidas

Nem é questão da dificuldade de ter, mas sim do fato de que o console a Plus são dois produtos diferentes, e não é obrigatório possuir a Plus para o console em si funcionar. Então porque banir o acesso ao console como um todo se o erro foi em relação ao Plus? A sony deveria só cancelar a assinatura dele da Plus e impedir que ele possa assinar novamente.

3 Curtidas

Eu já acho o seguinte, primeiro o usuário fez uma coisa errada para o cara ser bloqueado, eu estava vendo pessoas lucrando ilegalmente com isso. O que eu acho revoltante nesse ponto é que também o usuário não é julgado por em parte estar promovendo um tipo de pirataria e ainda tem que ter o seu console desbloqueado por parte da lei alegando prejuízo de mais de R$4.000,00. Mas parem para pensar o que esse cara fez para perder esses R$4.000,00, ele não tava jogando sei lá o jogo da pepa e a Sony do nada bloqueou. Se fosse isso sim concordo, mas também os caras fizeram uma coisa errada também.

Agora falta a Defensoria Pública entrar com uma ação popular para pedir que a Sony deixe de bloquear qualquer aparelho

1 Curtida

A Sony devolve o dinheiro do pia e o pia o vídeo game e ta tudo certo!!

O console tinha sido banido da PSN, não dá PS Plus. Sem PSN, o aparelho sem disco vira um peso de papel, já que é a única forma de instalar jogos nele e o com disco é praticamente inutilizado.

Sim, concordo. Acredito que pelo fato de no Japão, como em muitos países com moedas menos desfavorecidas, o preço do PS5 é bem dizer uma semana de trabalho do trabalhador comum, isso pode parecer uma pena justa nesses países. Aqui é o equivalente a apenas 4 meses de trabalho. O que deixa, o que já era injusto, ainda mais pesado.

Enquanto outros serviços de assinatura permitem que vários usuários usufruam do conteúdo que ela oferece, a Sony vai na contramão. E essa punição é tão exagerada que me faz questionar a sanidade desse povo. Estão em tamanha zona de conforto que acham OK inutilizar um console de $500 por uma besteira dessas, ao invés de suspender a assinatura do usuário por um tempo x ou algo do tipo. Sony tá como a Intel tava quando a AMD tava capenga, tá precisando de uma boa porrada.

1 Curtida

É equivalente a 4 meses de trabalho mas ninguém compra com 4 meses de trabalho. Só se a pessoa morar na rua e comer em centros comunitários kkkk.

1 Curtida

Claro claro kkk É só uma equivalência direta sem considerar outras variáveis. Até porque se for ver mesmo, no Brasil, com um salário mínimo já é bem difícil sobreviver, quem dirá gastar mais de 4k em algo secundário.

Não é só aqui não. Um americano ganhando salário mínimo passa bastante aperto também. Eletrônico é barato, mas coisas mais básicas como aluguel, seguro e comida não é tão barato assim não.

Alias, um americano que ganha salário mínimo não tem $500 pra dar a vista em um console jamais, isso é metade do salário. Aqui ainda tem como apelar pra parcelamento, lá nem isso. A galera meio que exagera quando compara as coisas.

A Sony ainda não entendeu que termos de serviço não podem ser superiores a lei?

“ah, vou te matar porque você infringiu esse termo aqui que eu decidi escrever e sem aceitar você não pode usar um produto que você pagou pra ter”.

Ao invés de ficar gastando com advogado, deveria gastar com desenvolvedor limitando a apenas um resgate por aparelho. A Apple por exemplo deixa resgatar apenas um acesso a Apple TV+ quando se compra um celular novo. Não adianta ficar trocando de conta, só o primeiro tem acesso.

Realmente abusivo o bloqueio permanente. Solução simples e justa seria cobrar do cara o preço dos jogos que ele compartilhou.