Qual a melhor opção para importar um notebook?

Pessoal, tô pensando em pegar um macbook pro (ainda esperando o “m2”), no brasil pelo que pesquisei o melhor preço médio é o da goimports mas ainda sim bem acima do preço base. Pensei em importar pelo grabr mas não sei como fica a questão da alfândega caso o traveler queria restituição. Enfim, qual serviço/loja vocês recomendam considerando que não posso sair do brasil?

Andei analisando o Grabr, e a responsabilidade pela alfândega fica 100% por conta do viajante, não tendo você comprador obrigação de reembolsa-lo.

Com isso percebi que 99% das ofertas tem preço baixo devido a entrega do produto ser feita fora da caixa original, numa tentativa do viajante em escapar da Receita Federal.

Caso isso não seja um problema para você, a plataforma aparentemente também tem um bom histórico de garantia de reembolsos em caso de problemas, o que pode ser uma alternativa a importação via redirecionador.

5 curtidas

Notebook é complicado, só tem isenção quando de fato o viajante permanece por longos períodos, que não caracterizem férias.

Se for pego pela receita, tem que pagar os 50% em cima dos 500 dólares e mais 50% de multa. E enquanto não for pago, o produto fica retido por até 3 meses (se não me engano), depois disso o produto é confiscado …

O viajante no Grabr só recebe o pagamento após entregar a encomenda, não sei como procederia em caso de taxação. Lembrando que caso vc não tenha a declaração de imposto desse produto, quando fosse a uma viagem ao exterior e voltasse ao Brasil, poderiam taxar você. As vezes esse tipo de abordagem ocorre até mesmo com produtos Anatel, que não tem documentação apresentada.

Se você tiver que pagar todos os impostos do MacBook, a diferença entre comprar aqui e fora, é pequena se levar em conta o potencial de dor de cabeça.

2 curtidas

Risco muito grande esse Grabr aí. O serviço não deixa claro qual a responsabilidade no caso de haver a cobrança de impostos do viajante que traz a sua mercadoria. Ainda mais se tratando de uma mercadoria que ultrapassa US$ 500, que é passível de taxação.

3 curtidas

E aquele papo de aparelho pra uso pessoal?
Até onde eu saiba você sempre pode levar consigo um laptop e um smartphone (e talvez alguns outros eletrônicos, não lembro) sem pagar imposto se você alegar que o aparelho é seu e de uso pessoal.
Mudaram isso?

1 curtida

Meu pai fez isso com um iPhone no Paraguai. Ele comprou, tirou da capa e guardou no bolso (jogou a capa fora). Na alfândega disse que já era dele.

1 curtida

As normativas não mudaram. Mas a RFB está de olho em passageiro que viaja com frequência e por períodos curtos. Uma coisa é você ir pro exterior coisa de 1 vez por ano ou intervalo maior e passar uns 10-15 dias. Outra é você viajar todo mês e ficar só 2-3 dias. Daí o cara alegar cada vez que for retido pra ter a bagagem fiscalizada falar que trouxe mercadoria pra uso pessoal não vai colar.

E como fizeram disso um negócio (Grabr tá aí) a RFB está cada vez mais endurecendo a fiscalização. E se pegar além de ter que pagar o imposto devido paga multa por sonegação. Claro, se a pessoa vier com mercadoria dentro da cota permitida (US$ 500), ela passa incólume. Mas no caso do colega que quer um notebook de US$ 999, aí a cota já estoura por muito e o risco é grande.

2 curtidas

Mesmo o uso pessoal tem critérios. Se o fiscal da receita concluir que sua viagem não é compatível com o eletrônico, será taxado. Fora que grabr não é uso pessoal, né ? Só aí anula qualquer possibilidade, se forem bem duros acho até que rola um processo por descaminho, mas daí não sei dizer com certeza.

1 curtida

Aparelho celular/smartphone é considerado de uso pessoal e tecnicamente você pode portar um sem problemas. Ele não entra na cota dos 500 dólares. Entretanto se portar mais de um, aí pode ser que o segundo seja taxado.

Porém notebook é mais circunstancial, são diversos fatores levados em conta. Quantos dias durou a viagem, qual a motivação, quantidade de itens trazidos… lembrando que a cota tem validade de 30 dias, ela não se renova ao voltar e ir novamente, mesmo para o Paraguai. Que inclusive tem o adendo que o fiscal pode zerar sua cota se ele lhe parar, tem que ficar atento a isso.

2 curtidas

Dá uma olhada com alguns importadores que vendem direto, costuma sair mais barato do que comprar em lojas tipo GoImports. Posso te indicar um vendedor por mensagem privada, inclusive.

1 curtida

Se possível, também gostaria de saber o vendedor para uma possível compra.

1 curtida

Este tópico foi fechado automaticamente 30 dias depois da úlima resposta. Novas respostas não são mais permitidas.