Piano de papel usa tinta condutiva, celular e NFC para produzir som

Se não se importar em não ter um retorno tátil, beleza.

No caso do piano, ainda estou pra conhecer alguém que sabe tocar piano/teclado que não se importe com a sensação da tecla. Todos que eu conheço (que são poucos, admito) abominam teclados baratos por causa da sensação horrível das teclas.

Para outros usos talvez um retorno tátil não seja tão importante, mas que faz diferença, isso faz.

Imagino a utilidade disso para a educação, devem haver muitas possibilidades para explorar.

Nossa, parece que foi só eu que achei essa ideia um pouco sem sentido (melhor dizendo, over engineered). Pensa, para que toda essa complexidade envolvendo carbono, NFC e smartphone, quando tudo isso pode ser substituído apenas pelo smartphone, usando um app de reconhecimento de gestos.

Com isso você poderia digitar na mesa e a câmera reconheceria os padrões, poderia inclusive criar presets personalizados. E indo alem, porque se limitar a superfícies quando se pode usar a mesma metodologia para reger uma orquestra no ar, apenas com o poder de um smartphone, sua câmera e o app certo de reconhecimento de gestos.

Não é o piano o importante, mas justamente a tecnologia que foi usada, com ela daria para criar um banner interativo por exemplo.