Nova geração Intel Core traz i9 batendo 6 GHz de frequência

LGA 1700 na 14º, tá ai uma coisa que não esperava da Intel

kkkkkk em tese, a minha placa gigabyte que não tem mais bug, suporta um i9 de 14 e estará pronta para ser fritada

2 Likes

Estou é esperando pra ver quantos watts esses monstros vão drenar. Porque a Intel não está exatamente preocupada com eficácia energética. Não duvido nada que você vá ser obrigado a usar Water Cooler pra dissipar o calor.

E nem porque não exista solução de dissipação a ar mas pra dissipar 250W+ você tem que apelar pra monstros de mais de 1KG de peso. Daí acaba que você tem que dar jeito de ter apoio na peça pra ela literalmente não quebrar a placa-mãe com o peso.

E ainda tem o agravante bem lembrado pelo colega @123 antes de mim: será que as placas da geração anterior vão ser capazes de lidar com tanta energia sem literalmente fritar?

1 Like

De “três gerações e três soquetes” para três gerações e um soquete. Mais surpreendente que uma CPU de 6 GHz

1 Like

acho que já deveria ter a 6GHZ a bastante tempo se a intel não tivesse dormido no tempo, intel chegou em 4GHz na sexta geração, bem na época que ele começou a dormir

do soquete, eu ainda me surpreendo, porque a intel nunca foi de ficar com mesmo soquete por muito tempo, era política deles, e era criticado sobre isso a bastante tempo e nunca mudou, a exceção era a linha extreme edition

@trovalds minha placa é de entrada, no máximo um i7, um i9 então, esquece, os componentes são baratos, não aguenta uma carga de energia sem sofre dano, a dúvida poderia ser olhando a documentação da placa, mas as empresas escondem isso como se fosse… nem empresas de referencia com gigabyte e Asus apresentam todas as informações como deveria.

i9 é placa mãe intermediaria para cima.

1 Like

Essa geração é mais uma exceção do que realmente uma mudança, duvido muito a Intel suportar mais do que duas gerações no mesmo soquete nos lançamentos seguintes. O real motivo da 14ª geração para desktops ter mantido o LGA 1700 foi a Intel não ter conseguido preparar a versão para desktop dos chips Meteor Lake a tempo (esses vão ser exclusivos da 14ª geração para laptops, prevista para o final desse ano).

O resultado tá aí, uma 14ª geração para desktops que é apenas a geração anterior requentada e com pouquíssimas mudanças, mantiveram até o mesmo soquete. As novidades mesmo (design em chiplets, processo de fabricação Intel 4, encapsulamento Foveros, entre outros) esse ano serão exclusivas dos laptops…

3 Likes

Eu lembro que li em uma matéria, não sei se era naquela Revista Info ou numa Super, que dizia que com a chegada de processadores Dual Core, não havia mais necessidade de processadores mais rápidos que 3.6Ghz. Talvez a Intel tenha se apegado nisso. kkkk

2 Likes

kkkkkkk não duvido, ainda mais que tem pessoas que não acha necessário termais performance, o que tem já no mercado já esta bom

e olha que intel tb demorou para sair de poucos cores,

O i9 14900K em situações de 100% de uso (blender) chega a incríveis 282W em stock, 311W com overclock em 5.5ghz em todos os núcleos e 407W sem os limitadores de energia, segundo o review do techpowerup.

Na média em gaming, temos 144W de consumo contra 49W do 7800X3D, e o mais incrível que o ryzen ganhou do i9 nesse cenário mesmo consumindo 1/3 da energia!

Geração péssima essa da intel, só temos o i7 com mais núcleos frente a geração anterior, sem benefícios de consumir menos ou custar mais barato.

2 Likes

A Intel tem que ficar requentando as porcarias até que consigam finalmente sair da arquitetura Core i. Ficaram muito tempo dominando o mercado sem a AMD pra incomodar. Daí quando a AMD veio com a arquitetura Zen, continuaram acomodados. Mas daí veio Zen2, Zen2+, Zen3… e a Intel, bom.

E a Intel está apanhando em todas as frentes, praticamente. Desktops é esse fiasco. Notebooks até levaram alguma vantagem mas a custo de TDPs altíssimos pra máquinas que dependem de bateria. Em workstations e servidores a Intel está no papel que a AMD estava anos atrás: irrelevante.

Eu torço é pela briga mesmo. A Intel lança algo, a AMD dá o troco e nós nos divertimos. Aliás depois de um longuíssimo tempo longe da AMD, vou voltar pra eles. O Ryzen 7800x3D é a escolha. Não é exatamente barato montar na plataforma mas DDR4 por mais que ainda esteja no mercado já é plataforma que está caindo em desuso. E a performance de um 7800x3D frente ao 5800x3D (era a outra escolha) vale o investimento. Fora que se fico no 5800x3D literalmente estou no “fim de linha” já que a AMD não vai mais lançar nada em DDR4. No DDR5 estou servido por pelo menos 2 gerações seguintes, apesar de possivelmente perder PCIe 6.0, USB 4 e afins.

é que pra ir para 7800, não é só o 7800, tem que comprar mais dois componentes junto, isso se o cooler servir

Vai ser um desktop totalmente novo. Do antigo nem a fonte aproveita pela capacidade (450W). O máximo seria pegar o HDD de 2TB que tenho nele.

1 Like