Nintendo entra com processo contra emulador do Switch

Aqui a Nintendo de novo está batendo a cabeça num conceito que empresas japonesas definitivamente não entendem, que é o fato que aqui no Ocidente, ter a posse de um bem físico é tratado como um direito inviolável, inclusive para obter meios de usufruir de tal mídia como se der na telha. E isso inclui copiar e adaptar tal produto para estes fins. Se tal hábito pode ser uma porta para pirataria, é problema de da dona da propriedade intelectual e a mesma deve pelo menos fazer seu serviço mais atrativo para combatê-lo (como já dizia o Uncle Gaben).
Só que o fato da Nintendo recorrer a basicamente “intimidação judicial” a faz ficar mal na fita mais do que já está.

5 Likes

Ficaria feliz em ver o Yuzu comprar essa briga, ganhar o processo, e criar um precedente judicial positivo para a comunidade de emulação (payback is a bitch, Nintendo).

Mas sendo realista, creio que eles não tem grana para bancar as custas judiciais de um processo desses. Seria mais fácil eles encerrarem o Yuzu e outro grupo de pessoas continuar o projeto sob outro nome (já que trata-se de um projeto open source). Mas isso de fato seria algo desmoralizante e um incentivo para outras empresas como a Sony fazer o mesmo com tudo aquilo que as desagrada, mesmo não havendo base legal (a mera ameaça judicial já basta para coibir).

1 Like

Nada que um fork nao resolva. Ate porque, há um concorrente que faz o mesmo e até melhor haha. A Nintendo só escolheu um pra exemplo.
E falando em Nintendo, o navio continua navegando nos 7 mares.

3 Likes

O navio pode continuar navegando pois ele tem endereço incerto e não sabido. Mas os desenvolvedores dos emuladores são pessoas reais que podem ser atingidas por processos, e por consequência ficariam amedrontados em continuar a desenvolver os emuladores. No caso do Yuzu, ainda criaram uma LLC nos EUA para dar de bandeja para a Nintendo um alvo para o processo. Não subestime os efeitos amedrontadores desse processo sob os outros emuladores de Switch.

1 Like

Caso a Nintendo ganhe, (e vai ganhar) isso abre um precedente legal para perseguir qualquer um que tenha feito um fork do projeto original.

Ainda podemos usufruir do Ryujinx…

Ela não se importa em estar mal na fita, pois ainda fatura o que fatura.

Na verdade, nenhum processo contra emuladores em si se sustenta. A gente teve aquele processo que forçou o core do Dolphin para RetroArch a ser removido da Steam, por exemplo, só foi ganho pois o core utilizou de uma chave de criptografia para fazer o emulador rodar de forma plug-and-play na plataforma, o que é consenso de que não é algo aceito.

Já o yuzu em si não fornece nenhuma chave de criptografia e como o artigo falou, criar um emulador na base de engenharia reversa não é ilegal. A Nintendo normalmente se baseia na ideia de que adulterar a forma original de sua propriedade intelectual já é por si só uma violação de copyright, o que não é lá uma ideia muito bem-vinda no ocidente: “se eu comprei, é direito meu fazer o que quiser com o produto para uso pessoal. Se isso vai abrir porta pra pirataria indiretamente não é problema meu”, e a Big N já perdeu muitas empreitadas judiciais por isso.

O medo na verdade é ela fazer “bullying jurídico” e vencer o yuzu na base da carteira pesada. O que pode ocorrer de fato, mas open source existe pra isso. Vamos ver se a Nintendo consegue cortar todas as cabeças dessa hirda.

7 Likes

Isso foi decidido ainda no início no ano 2000, quando a empresa processou a Bleem pelo seu emulador de PS1.

Ah… isso fica meio estranho… ficaria melhor trocar empresa por Sony, porque num texto falando sobre a Nintendo, dá a entender que foi a Nintendo que processou. hahaha

1 Like

O caso do Dolphin foi bem diferente.

Primeiramente, o que seria lançado na Steam era uma versão standalone do próprio Dolphin, sem nenhuma relação com o RetroArch, nem com o núcleo disponível para ele (que é não oficial, que não tem relação alguma com a equipe por trás do Dolphin e que nem mesmo está disponível para a versão da Steam do RetroArch, até onde eu sei).

Resumidamente, após a página do Dolphin na Steam se tornar pública, o departamento legal da Valve, por conta própria, questionou a Nintendo sobre o seu posicionamento, e a resposta (obviamente) não foi favorável, a argumentação da Nintendo seguiu uma linha parecida com a do processo movido contra o Yuzu, de que é um software que permite burlar o DRM imposto pela empresa e que portanto viola a DMCA. Diante da resposta da japonesa, a Valve, então, comunicou a equipe do Dolphin informando que só poderiam seguir com o lançamento na Steam se resolvessem essa questão diretamente com a Nintendo, que por motivos óbvios nunca seria resolvida.

O ponto mais importante é que em nenhum momento a Nintendo chegou a processar, nem enviar uma requisição de takedown para o Dolphin (nem para a Valve), e que a inclusão da chave comum do Wii no código do emulador tem precedentes legais (pelo menos nos Estados Unidos) que permitem seu uso dessa forma, tanto que ela tá presente no emulador faz pelo menos 15 anos e nesse período todo a Nintendo nunca processou, nem demonstrou intenções de processar o Dolphin, nem mesmo quando o Wii estava no seu auge e era o carro chefe da japonesa.

Outras diferenças em relação ao caso do Yuzu é que o Dolphin é completamente gratuito (não existe nenhum tipo de acesso antecipado), o uso da chave comum corresponde a uma parte ínfima do emulador (você ainda teria acesso a toda a biblioteca do GameCube e homebrews para ambos mesmo sem a chave) e que os guias no site oficial não te ensinam a desbloquear o console para obter tais chaves.


No geral, eu não acredito que a Nintendo consiga ganhar esse processo e provavelmente ela sabe disso, a intenção ao meu ver é prolongar essa batalha judicial o máximo possível com o intuito de falir os responsáveis pelo Yuzu com os custos do processo e consequentemente tirar eles do mapa de uma forma ou de outra, coisa que não deve ser difícil visto que estamos falando de uma gigante japonesa, com dinheiro praticamente infinito para queimar nessa batalha, contra um pequeno grupo de desenvolvedores que, no melhor caso, arrecadam 30 mil dólares mensais pelo Patreon…

5 Likes

Sim, sim… e isso é culpa exclusiva da turma do YUZU… quem mandou inventar de fazer patreon. Acho que o ryujinx, o melhor emulador de switch, provavelmente será o próximo… hahaha

1 Like

Esse não é o primeiro emulador que sofre um cease and desist. Desde os anos 2000 vez ou outra alguma empresa joga o processinho por conta de emuladores. A Nintendo já é freguesa nos tribunais americanos.

No caso do Yuzu, há alguns agravantes: A criação de uma empresa LLC como você mesmo disse, e arrecadação de fundos mesmo que por doação (Patreon).

A ideia é essa e foi o que eu entendi. Não faz sentido processar um app que não tem nada do Switch, sequer uma linha de código. A Nintendo vai usar a LLC e o Patreon dos caras como pano de fundo. Infelizmente a chance deles ganharem e alta.

Prevejo que o Ryujinx vai dar uma sumida.

Tem que aproveitar agora. Aposto que no Switch 2 irão implementar proteções bem mais avançadas pra isso, igual nos PSs recentes. O fato dos emuladores já existirem em plena vida ativa do console é bizarro, não ocorre isso com o PS. O emulador do PS3 por exemplo só começou a ser usável hoje em dia. Do PS4 sequer está 1% feito.

2 Likes

Pra Nintendo combater a pirataria, primeiro ela tem que arrumar um jeito de impedir o desbloqueio nos próprios switch pra depois ir atrás de emuladores, já que o próprio console dela alavanca pirataria

Ocorre, mas o suporte para jogos é bem menor.
O RPCS3 foi lançado ao público em 2012, sendo que o PS4 foi lançado em 2013, um ano e meio depois.

Eu chuto que isso tem mais a ver com a complexidade da arquitetura dos consoles do que com a proteção do console.

O pior é que, no papel, o modelo de segurança do Switch realmente era bem sólido, o que ninguém contava (nem mesmo a Nintendo) era com o exploit no bootloader do Tegra X1, que acabou minando quase toda a segurança do console, e bem cedo, com 1 ano no mercado.

Se esse exploit no bootloader não tivesse existido, eu tenho minhas dúvidas se teríamos emuladores tão maduros em tão pouco tempo…

A Nintendo NÃO vai ganhar, e ela sabe muito bem disso. Vai ganhar no cansaço pois tem dinheiro infinito.