Fairphone 4 é um celular sustentável com garantia de cinco anos

Compraria! Está dentro das minhas necessidades, e parece muito mais amigável ao ambiente do que outras “estratégias” usadas por empresas maiores.

1 curtida
  • 6 GB + 128 GB (cinza): 579 euros (cerca de R$ 3.610 em conversão direta);

Apesar de achar a proposta interessante, é muito salgado para um smartphone com um Snap 750.

Indo para o mundo dos notebooks com a mesma proposta, me interessei pelos modelos da Framework.
Podia rolar uma matéria sobre ele ein.

1 curtida

O preço mais salgado é culpa do suporte longo. Não dá pra querer que tenha um suporte longo e que seja o mesmo preço dos concorrentes “descartáveis”. Claro, se compensa ou não, varia de cada pessoa.

1 curtida

Para uma empresa que corre por fora, achei um produto bem interessante. Se manter a performance satisfatória por 5 anos, certamente é uma opção bacana, ainda mais para quem quer salvar o planeta e poupar em reparos.

1 curtida

Então, eu costumo ficar com o mesmo aparelho por vários anos.
Até hoje estou com um Mi A2, em uso desde 2018 e sem previsão de troca, só troquei a ROM dele para a MIUI 12.1 (não gostei do Android puro nele).

Antes dele, estava com um Galaxy Note 4 adquirido em 2014.

Imagino que parte do custo alto seja pela escala pequena de produção em relação aos players maiores.

1 curtida

Isso, além do custo inerente ao projeto com foco em modularidade (custo mais baixo é um motivo pelo qual vários eletrônicos passaram a trazer cada vez mais componentes soldados), além do custo da garantia de 5 anos, além do custo de manter peças de reposição por vários anos (aparentemente eles ainda oferecem algumas peças de reposição do Fairphone 2 lançado em 2015, ou seja, há 6 anos), além do custo de manter o suporte ao sistema por vários anos (li em algum lugar que eles pretendem atualizar o sistema por 6 anos e esse ano o Fairphone 2, que foi lançado no Android 5, recebeu o Anrdoid 9 oficialmente).

Ou seja, a proposta do Fairphone é diferente dos outros grandes players. Por mais que um Galaxy S ou um Mi ou outro aparelho mais topo de linha dure fisicamente por 5, 6 anos, eles perdem tanto suporte de software quanto de hardware em menos tempo do que isso.

4 curtidas

É consideravelmente mais caro produzir um smartphone que não seja cheio de cola, é mais difícil automatizar um projeto com encaixes e parafusos delicados, sendo necessário mais mão de obra humana, enquanto que pontos colados é mais fácil de automatizar, ou mesmo que utiliza humanos, é mais rápido.

2 curtidas