Então, a Bright agora vende fontes de 1000W

Eu só acho que o Inmetro deveria começar à requerer a certificação do Cybernetics para venda de fonte no Brasil…

Não estou falando que isso seja uma fonte bomba, mas fonte full modular de 1000W por 550 reais? Quero nem ver… Será que o TecLab faria resenha dessa hirosh… digo… fonte de 1000W?

Ei… BRIGHT tava em maiusculo para destaque, MESMO. Até porque a marca é escrita totalmente em minuscula como se pode notar na caixa… (o b não é maiúsculo.)

1 curtida

eu já acho ruim caixinha de som dessa marca, imagina a qualidade de uma fonte

2 curtidas

Mas provavelmente é XD

Bright pra mim é igual multi(laser) e leadership. Serve só pra mouse e cabo pra quebrar galho.
E tive um cabo componente da leadership q era uma bosta, então nem considero mto XD

1 curtida

Também acho. Não faz sentido testes da 80 Plus conduzidos a 23 graus celsius. Isso é a realidade de quem aqui no BR?

Nem lembro mais o motivo, mas essa marca me fez passar uma raiva danada. É uma das que eu não recomendo e, quando tenho a oportunidade, falo mal.

Todo e qualquer teste é feito com base em alguma temperatura padrão. Geralmente entre 21 a 25°C pq é considerado uma temperatura comfortável para seres humanos e normalmente temperatura em q um escritório com AC ficaria.

Não adianta testar a 40°C por causa de Teresina ou a -10°C por causa do Rio Grande do Sul sendo q são casos extremos e não usuais. E se fosse fazer em várias temperaturas obviamente seria muito mais custoso.

1 curtida

Levando em consideração que fontes funcionam melhor em temperaturas mais baixas, até que faz sentido certificar o bom funcionamento dela em uma temperatura um pouco mais alta do que a média, nao precisa ser a 40°, mas deveria ser a pelo menos 30°.

1 curtida

Cybernetics não é a mesma coisa do 80 Plus? Porque 80 Plus não é selo de qualidade.

A Leadership tinha a Goldship, que tinha produtos muito bom - os gamepads mais caros eram bons. A Multilaser tem o leitor de cartão USB 3.0 que é excelente.

Ce perdeu a noção do perigo? Tá doido, fio? hahaha
Falando sério… Sim e não. Sim, a Cybernetics é outra certificadora tipo a 80 Plus. E não, a Cybernetics é muito mais rigida nos testes.

O problema é que a 80 Plus faz testes bem genéricos, com sem um controle muito rigido. Eles sequer mantém lista de componentes das fontes e um modo de trapacear isso é mandar uma fonte que tu sabe que vai ganhar o selo 80 Plus Platinum e depois trocar os componentes todos por componentes mais baratos que sequer garantem que a fonte consiga 80 Plus White, não mexer no SKU e vender como 80 Plus Platinum. Além disso o controle da temperatura dos testes da 80 Plus é uma piada sem graça: 23°C ± 5°C… o que em teoria resultaria em algumas fontes sendo testadas à 18°C, enquanto outras sendo testadas testadas à 28°C. O que é super injusto.
Já a Cybernetics é bem mais rigida, eles mantém a lista dos componentes, e fazem testes com uma tolerancia de ± 1°C @ 31°C. (entre 30°C e 32°C), o que é bem mais justo para todo mundo. Além de, até onde eu lembro, testarem as proteções e também o nível de ruido da fonte.

2 curtidas

Moro no interior de SP e aqui no verão passado vários dias bateu essa temperatura.
Então o ideal é sim testar na maior temperatura, assim garante tudo que for dali pra menos.

escritórios médio e grandes em grandes centros comerciais ou industriais normalmente são essa temperatura

eu já penso o contrário, porque os testes deveria ser feitos nessas condições tendo em vista que ambos os públicos também vão receber o mesmo produto, ainda mais de uma marca que tem atuação global como gigabyte, asus, corsair,etc.

tendo outros produtos como exemplo, o Iphone mesmo tem a temperatura que deve ou não ser utilizado, já carros são testados na Suécia no gelo para serem avaliados.

Ideal é. A questão é q as empresas não querem esse custo fora o tempo pra fazer testes.

É como eu respondi pro Xavier. Eu concordo. As empresas não fazem.

A diferença é q o carro vai andar no clima severo da neve. A fonte do PC não. Ela vai estar na temperatura do ambiente da casa, q provavelmente vai estar naquela faixa de 21-25 q falei.

Aqui no Brasil as montadoras de carro tbm testam nos extremos. Teresina, por exemplo, e algum lugar do sul.

Tenta algo mais tipo 28 - 32 no versão, 25 só com ar condicionado pra conseguir manter.

Mas a ideia não é totalmente aumentar a quantidade de testes, e sim os atuais serem realizados em temperaturas mais extremas.

Errei um poquinho, mas ta na tolerência vai kkkkk
https://blog.frigelar.com.br/qual-temperatura-ideal-ambiente/#:~:text=Segundo%20a%20OMS%20(Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Mundial,a%2023%C2%BAC%20para%20o%20inverno.

Tentei achar um link da OMS, mas não deu. O parênteses ali ferrou a coisa kkkk

Sim, estou me referindo estritamente à ambientes climatizados, seja no calor ferrado q faz no verão aqui ou no frio congelante da Suécia.

O ponto é q as empresas q fazem esses equipamentos pressupõe, em algum grau, que o ambiente aonde o produto em questão vai ser utilizado é climatizado, seja para aquecer ou resfriar.

No caso específico da fonte do PC aqui, imagino q TEORICAMENTE, o mercado principal de uma fonte de 1000W sejam workstations. PC gamer usa? Usa. Mas pra cada 1 PC Gamer q compra uma dessas, uma empresa sozinha deve comprar uns 5.

Quantas dessas vão ser climatizadas? 5. Pq a empresa com ctz tem climatização, não só pelos funcionários por questão de conforto, bem estar e blá-blá-blá, quanto pelos próprios equipamentos q inclusive são levados em conta em cálculo de carga térmica na refrigeração.

Se por algum acaso a fonte do pobre pc gamer queimar, foi “só” 1/6 no meu exemplo. Sendo que mesmo assim, apesar do teste ser em temperatura “ambiente”, essas empresas ainda costumam ter uma margem de segurança para funcionamento. Então mesmo a pessoa não estando nas condições de teste, ela ainda está na margem de segurança do produto.

Ou todo mundo aqui acha q as empresas de celular REALMENTE testaram as baterias a -20 e +80°C extensivamente?

Não to dizendo que as empresas não devam fazer testes nas temperaturas extremas ou que os testes que são feitos sejam perfeitamente representativos. O que estou dizendo é q entendo o pq as empresas não fazem esses testes, ainda que eu discorde que não sejam feitos.

Aí q ta. Se hoje a empresa faz “um” teste na temperatura “ambiente”, pra fazer ambos os extremos ela já teria q minimamente dobrar a quantidade de testes, um pro limite superior e um pro inferior. Se não, ela cobre um extremo e descobre outro, e aí fica melhor (ou menos crítico" testar numa temperatura intermediária, q é o q costuma acontecer.

Ou seja, por selo nenhum dos dois pode ser usado como parametro de qualidade, lembrando que o objetivo do 80 Plus é verificar a eficiência energética da fonte e não sua qualidade. Existem inumeras fontes com selo 80+ que mesmo com a eficiencia energetica do selo atendida, o projeto e o produto são de baixa qualidade.
No geral, fora do selo a Cybernetics tem informações importante no relatorio como ripple da fonte, não sei se é levado em consideração no selo mas pelo menos algo de util se tira dai.
OBS, não vi o video ai mas lembro do teclab tratando o assunto anos atrás.

A Cybernetics está querendo certificar esse tipo de coisa, qualidade não só eficiência.

Sim, sim. 80 Plus nunca foi sinonimo de qualidade. Ainda mais pelas picaretagens que eles permitem fazer.

Acho que a temperatura intermediária tem de ser ponderada, quantas pessoas usam a fonte a 0°? Quantas usam a 40°? Uma casa, mesmo em uma região fria e sem aquecimento não costuma estar em uma temperatura negativa, já em uma região quente e sem refrigeração é nornal passar dos 30°.
Outra coisa, não sou um especialista em eletrônica, mas pelo que eu entendo de fontes de computadores, uma temperatura ambiente de 40° é mais problemática do que uma de -10°, então faz mais sentido testar a 40° do que a -10°.

Ao meu ver, temperatura de teste de fonte deveria ser a pelo menos 30°, idealmente aos 35°.

2 curtidas

só que ai é uma parte do mercado esta temperatura, a que o Felipe falou de 28 a 32 também é outra parte do mercado. Mas as fontes também são usado em computadores de comércios, oficias de carro, pequenas fabricas, etc. e nesses locais a temperaturas são extremamente variadas e boa parte sem nenhuma ventilação.

Se você espalhar isso para o Brasil inteiro, em cidades do nordeste e norte em que a temperatura passa dos 30 graus fácil e no sul na época do inverno que fica a 0 graus, isso se não tiver negativo.

Se vc levar para o mercado global, tem lugares que nem o Chile que as temperaturas podem ser mais baixas ou no norte da África, oriente médio, Índia ou Paquistão que tem região que a temperatura ambiente é 40 graus fácil, e por essas marcas ser globais, elas vendem tanto aqui quanto lá

@Keaton olha aqui a concorrente da bright

https://www.kabum.com.br/produto/259694/fonte-atx-1000w-80-plus-silver-pfc-ativo-mymax-mpsu-fp1000

1000w, PFC ativo, 80 plus silver e mais barata