Canon fecha fábrica brasileira de câmeras na Zona Franca de Manaus

O último que sair apaga a luz. Tá complicado enxergar alguma luz no fim do túnel

15 curtidas

Com celulares com câmeras excelentes, como o S21 Ultra ou o iPhone 12 Pro, cada vez menos essas câmeras serão necessárias.

Conheço fotógrafos que usam apenas o celular e não dá pra notar diferença entre ele e uma DSLR.

Certo que o mercado de câmeras está virando algo de nicho, mas a desindustrialização do país e essa moeda desvalorizada só vão afugentar os investidores.

13 curtidas

Quem trabalha com fotografia só tá se fu… ultimamente no Brasil

3 curtidas

Questão de nicho. Por melhor que um smartphone seja, nunca substituirá uma câmera dedicada. E aí tem pra todos os bolsos.

O que da para argumentar é que os smartphones evoluíram em fotografia computacional, justamente para superar limitações físicas. E esses resultados sim são melhores que câmeras profissionais na mão de amadores.

13 curtidas

Cada vez se torna mais de nicho o segmento de câmeras fotográficas, então nem me espanta essa decisão de fechar a fabrica, nos próximos anos devem sobrar pouquíssimas fabricas para atender o mundo inteiro, afinal uma câmera topo de linha de hoje em dia não vai fica desatualizada tão cedo, não tem muito mais onde revolucionar nesse segmento, são somente pequenas melhorias incrementais.

5 curtidas

Tá embaçado mesmo, se nem na zona franca que tem incentivo fiscal as empresas estão dando conta, imagina no resto do país…

5 curtidas

Em fotos pra redes sociais, de fato não dá pra notar, mas o mercado de imagens não se resume a isso, e qualquer coisa que não seja web, a qualidade de um smartphone não se compara a uma DSLR

10 curtidas

Não tô falando de rede social não… tô falando da foto crua mesmo. Não nota diferença entre a tirada de um celular com câmera excelente e uma DSLR.

Como até me responderam ali em cima: o software dos celulares evoluiu tanto que mesmo com hardware teoricamente piores, conseguem o mesmo resultado. As câmeras tem apenas o hardware pra usar. É questão de tempo morrerem, como as câmeras amadoras morreram.

Tô falando de profissionais. Pessoas que usavam câmeras e trocaram por iPhone. Conseguem o mesmo resultado.

E tanto vai substitui, que já tá substituindo. Câmeras como as apresentadas no artigo vão desaparecer, como as câmeras amadoras desapareceram.

Quem trabalha com imagem nota a diferença apenas olhando rapidamente. Pra um leigo é a mesma coisa, mas te digo com 100% de certeza, igual não é.

Uma câmera dedicada não vai morrer tão cedo por causa de uma simples questão física: lentes. Lentes grande-angulares supre apenas uma parcela da necessidade e todas as teleobjetivas de celulares (ou melhor, a tentativa de ser uma), produz resultados pífios.

Não se engane, tem muito “fotógrafo de iPhone” que vez ou outra ainda corre para uma câmera dedicada por causa da limitação física do dispositivo mesmo. Já vi muitos vendendo curso de “fotografia com o celular”, mas metade das fotos promocionais não eram com um celular.

8 curtidas

Desculpa, mas a sua visão deste mercado é extremamente simplista. Algumas pessoas conseguem utilizar um celular ao invés de uma câmera tradicional? Com certeza, mas há muitos outros cenários onde ainda não é possível fazer essa troca.

Como fotógrafos de esporte vão usar um celular pra pegar uma ação do outro lado de um campo?
Como um fotógrafo de casamento vai mandar todo mundo ficar parado pro “modo noturno” capturar a foto no meio da cerimônia?
Como alguém especializado em retratos vai conseguir um bokeh (aquele desfocado) de forma satisfatória em 100% das vezes (e não torcer pro software fazer o trabalho corretamente).

Essa mudança pode acontecer um dia? Pode, mas não é tão imediata igual você pensa que é.

7 curtidas

Fora que “fotógrafo” é completamente genérico: uma coisa é um fotógrafo de rua usar smartphone, outra é de natureza/esportes que usam lentes de 600M. E, para foto de estúdio, não há motivos para abrir mão de sensor e lentes melhores.

6 curtidas

Exatamente.
No estúdio você não quer o software do celular intrometendo na imagem, com a possibilidade de alterar cores que necessitam ser precisas. Mas se não deixar o software trabalhar, o alcance dinâmico da foto é muito menor, o que por si só já não produz o mesmo resultado.

4 curtidas

Me lembrou a keynote da Asus para o zen8, tinham várias fotos de banco de imagens, para fins ilustrativos. Se a pessoa não repara, não lê a nota de rodapé. Podiam ter usado apenas os clipes e imagens feitas pelo próprio aparelho.

3 curtidas

“Em 2012, a multinacional japonesa inaugurou sua fábrica na Zona Franca de Manaus como uma nova e decisiva etapa para aumentar as vendas de câmeras e acessórios em mercados emergentes”

Lembrando que em 2012 os smartphones estavam longe de serem referências em fotografia (mesmo tendo várias limitações nos dias atuais). Esses produtos se tornaram de nicho, toda vez que vou em um loja e vejo uma câmera profissional fico impressionado com os preços acima dos R$2.000, na cabeça do afegão médio é muito mais lucro comprar um S20 Ultra do que uma câmera dessas

Uma pena isso, porque por mais que todo o produto fosse apenas montado aqui é uma “empresa a menos” no mercado brasileiro.

É porque esse túnel, na verdade é um poço w agente só está indo cada vez mais pra baixo.

Amigo, eu não sei que fotógrafo é esse que só usa smartphones. Mas, fotógrafos de verdade jamais cairiam nessa esparrela. Eu mesmo tenho fotos de viagem onde, parte são feitas com DSLR e parte com smartphone top. E o resultado é surpreendentemente diferente. E olha que estava usando uma lente relativamente simples (35mm - 1.8g) e uma Nikon de entrada,com sensor cropado.

Não posso dizer que smartphones nunca conseguirão o resultado de uma DSLR, pois isso seria outra esparrela. Mas, atualmente, nada supera um equipamento dedicado.

4 curtidas