Arte feita por inteligência artificial já foi banida em alguns cantos da web

A eterna briga entre os automóveis e as bestas de carga.

Questão bem complexa pois abre um leque de possibilidades e problemas. A plataforma pode banir uma arte gerada por IA, mas uma arte feita com direto no Illustrator também é digital.
Como iriam diferenciar uma arte digital gerada por IA e uma feita em um dispositivo dedicado?

Todas as plataformas querem conteúdo 100% original. Incluindo CERTAS redes sociais. Já passei horas criando conteúdo 100% digital pra render migalha de pombo. Enquanto o vizinho, na mesma rede, consegue engajamento total kibando conteúdo de terceiros da internet em menos de 5 minutos. A IA depende de conteúdo alheio para gerar e mesclar imagens e entregar tudo mastigadinho pro sujeito que só apertou um botão. Ela (a IA) não vai criar nada do zero, ela precisa de algo pronto. Igual o nosso vizinho do exemplo.

Viram como é fácil?

Essas plataformas estão prestes a começar um conflito que já está perdido.
Este é o futuro.

1 curtida

Do ponto de vista técnico, isso obviamente é uma batalha já perdida. Da mesma forma que torceram o nariz quando artes digitais se tornaram realidade e mesmo assim isso não impediu sua popularização, não duvido que isso se repita aqui também. Só que dessa vez, temos um ingrediente extra na mistura.

Isso não se trata apenas de uma tecnicalidade. Se trata de arte. Por mais que você utilize ferramentas cada vez mais modernas, no fim estas obras tiveram que passar por todo um processo criativo durante sua concepção. Houve uma inspiração por trás e uma mensagem foi escrita para conceber o produto final. Isso basicamente é o que separa “arte” de uma “ilustração”. E pela primeira vez temos algo que pode acabar canibalizando as nuances subjetivas desse meio.

Dessa vez, realmente não estou munido deste cinismo que geralmente sou afetado quando aparece mais um dilema “novo vs. antigo” em pauta. Afinal de contas, ao mesmo tempo que isso é discutido, estávamos debatendo se o entretenimento se rendeu demais aos algoritmos pra definir o que deve ser ou não produzido, e de certa forma vejo isso como um problema com raízes similares.

P.S.: Nunca pensei que um dia ia ver o Fur Affinity sendo citado pelo Tecnoblog…

A plataforma alega que mecanismos como Dall-E e Craiyon antes, Dall-E Mini se baseiam em obras de centenas ou milhares de artistas (humanos) para gerar o seu conteúdo.

Mas humanos funcionam exatamente assim, fazem criações com base naquilo que vêem e se inspiram.

Como esses sites sabem que as artes foram feitas com inteligência artificial?