A compra do Figma comprova: não é uma boa ideia se apegar a ferramentas

1 curtida

É como já está ali nos primeiros parágrafos: a dor não é pela ferramenta em si, mas sim pelo péssimo histórico que a Adobe tem com essas ferramentas. Quer ela tenha produzido, quer ela tenha comprado, o que mais se vê são ferramentas de desempenho ruim e inchadas de features irrelevantes. Photoshop, Illustrator, Premiere, After Effects… todos sofrem disso.

O XD, pelo amor de deus, nadava em bugs ridículos. Lembro bem da minha produtividade prejudicada com um bug de seleção de texto que me obrigava a reiniciar ele para voltar a funcionar.

E aí, a gente vê o Figma, que funciona bem e evolui de um jeito conectado com a realidade dos product designers… cair na mão podre da Adobe? Não inspira confiança nenhuma.

3 curtidas

Sabemos que é chato falar nisso de novo, não queremos ser evangelistas… Mas mesmo sendo inferior a única alternativa é o software opensource.

2 curtidas

Em um mundo capitalista, quem tem capital compra os menores e fazem bostas com seus produtos kkkkk

3 curtidas

E criam um monopólio.

4 curtidas

Isto faz parte na saúde empresas devoram outras acaba competição e quem paga da saúde a tecnologia sempre é o consumidor final.

1 curtida

Macromedia morreu faz tempo. E não foi a Adobe quem matou. O anúncio da morte veio quando os primeiros rascunhos do HTML5 começaram a tomar forma. E o Steve Jobs colocou um prego importante no caixão do Flash quando anunciou que o iPhone não iria suportar o plugin, o que inclusive foi extensivamente explorado como um diferencial de marketing pelos fabricantes de Android [nós suportamos o Flash]. Mas o plugin não tinha mais pra onde evoluir sem um grande investimento e ainda mais com o novo HTML cada vez mais tomando forma.

E pra quem ainda se importa com o Flash, o web archive tem milhares de conteúdos feitos no plugin.

1 curtida

No geral compras de software tendem a isso
alguém lembra do Rdio Eles estavam como patrocinadores do rock in Rio, mas mataram a plataforma, ela foi comprada. pelo deezeer ou Tidal e encerraram a atividade, gostava dela Justamente por não ter propagandas no pc.

Outro detalhe também é que poderiam reclassificar como software as a service, e ao invés de comprar uma licença vitalícia para aquela versão você precisaria assinar o serviço

Esse mérito não é apenas da Adobe. Como uso mais Linux que Windows para trabalhar, existia o gravit designer. Uma excelente ferramenta opensource e multiplataforma. era uma maravilha até a Corel comprar (se vcs falam da Adobe dessa forma eu acho que a Corel é bem pior). Depois que a Corel comprou a ferramenta que era gratuita lógico que ficou paga (ainda existia uma versão gratuita mas tinha só 20% dos recursos da paga). O Gravit foi caminhando aos trancos e barrancos e com uma assinatura até que razoavelmente barata até que a Corel abandonou de vez o nome, transformando-se em Corel Vector. A assinatura aumentou absurdamente e o resto é história. Como diz a matéria independente de usar figma ou não, é necessário dominar as técnicas e não ficar dependente de ferramenta. Além do figma uso Gimp e Inkscape (que são opensource) e me atendem muito bem.

4 curtidas

Quando a Adobe comprou a Macromedia ela não era apenas flash. Tinham outras ferramentas excelentes no portfólio como Dreamweaver e Fireworks. O flash morreu mas ainda demorou pra morrer de vez. Quando a Adobe a adquiriu a Macromedia era uma grande evidência à época em ferramentas de criação.

1 curtida

Falou tudo amigo. Corel e Adobe são experts nessas atitudes com suas ferramentas. O negócio é sempre buscarmos alternativas e elas existem (como mencionei em outra resposta, temos o Gimp e o Inkscape que são excelentes alternativas ao Photoshop/XD/Figma e ao Corel Draw/Illustrator respectivamente).

3 curtidas

Dreamweaver ainda existe, mas tem outras ferramentas muito melhores, por isso a Adobe não dá bola.
E o Fireworks ficou redundante, nada mais justo que dar um fim.

1 curtida

Opa Xavier! Sim claro, só coloquei estes exemplos para a época: Dreamweaver ainda existe mas com o advento dos editores de código multifunção sua ideia morreu e o Fireworks tinha um concorrente dentro de casa que era o Photoshop (mas não deixou de ser ótimo e usei muito o Fireworks como ferramenta gráfica de edição). No caso do Dream, a Adobe tinha como editor de código o Brackets, que foi descontinuado por ela para apoiar o VSCode.

2 curtidas

Pior que dá pra fazer um programa OSS decente, que rivaliza soluções proprietárias e pagas. Descobri o ShotCut procurando editor de vídeos, e cara, fiquei muito surpreso como funciona bem e com a quantidade de recursos. De longe o melhor software open source que já usei, quem não é profissional já atende perfeitamente.

OBS Studio é outro open source que é melhor do que muitos programas pagos. LibreOffice também me atende muito bem para uso básico/intermediário.

1 curtida

Corel é uma desgraça. Tenho amigos designers que fazem pirataria de software Corel, pois as proprias gráficas não usam nada além disso (também pirata obviamente). Não há cobrança, não há interesse em abordar outras alternativas… entendo o ponto de comodidade, mas se fosse realmente passar um pente fino teríamos grande maioria do mercado pego em pirataria.

Blender é outro puta exemplo de sucesso.

OBS Studio é pra captura de vídeos e streaming. Não tem nada haver com edição ou coisa do tipo. E sim, é uma ferramenta gratuita, de código aberto e que se tornou referência no mercado. Tanto que vários gigantes apoiam o projeto.