Discos de vinil: uma paixão antiga agora por LPs novos

Originally published at: https://tecnoblog.net/429450/discos-de-vinil/

Brasil ainda tem fábricas de discos de vinil em atividade que produzem juntas centenas de milhares de novos LPs e Compactos

texto bom que me deixou com vontade de comprar LP, mas fico triste pois linda as maletinhas kkkkkk

1 curtida

Tem uns modelos muito lindos e com qualidade, mas não tem no Brazeeeel.

Infelizmente.

Porém, vem aí:

Destaquei os microfones mas teremos novos toca-discos.

Minha carteira quase teve um infarto, entrei na loja deles no ML e o toca discos mais em conta lá é 4500 reais :joy:

Eu amo. Todos os lançamentos de Pop, Eletrônico, meu irmão compra tudo vinil. Som melhor, além de lindos e capas grandes. Ele só não usa esses meletas, e sim aqueles bem modernos com agulha bem cara tb. E tb ele possui uma máquina que limpa vini.

Infelizmente essas maletinhas deixa absurdos a desejar, primeiro pela agulha e capsula cerâmica muito pesados para poder tocar e desgasta o vinil mais rápido, mas o pior é o som, que é muito, mas muito ruim.

Uma solução é encontrar alguém que entenda um pouco e ir atrás de uma garrard funcionando e com uma capsula pickering. procurando bem se consegue uma nos seus R$300, 400. Um prezinho barato de toca disco as vezes encontra em torno de R$150, 180, e se tiver um system com entrada auxiliar, basta ligar nele que ainda vai ter mais economia e um som muito melhor que uma maletinha.
Quando precisar trocar agulha, não procure as mais baratas, são literalmente um prego no lugar do diamante e o disco sofre pra conseguir tocar sem pular… Uma boa agulha começa entre R$150 a 199, mas vai por mim, se bem cuidada te dura por anos!

Um toca disco portatil da Ion com essa mecanica de maletinha chega a ser vendida de R$700 a 900. Com esse valor (caso já tenha um micro system com entrada auxiliar) consegue comprar um bom toca disco usado em bom estado que vai te dar alegria por muito tempo e com um som e regulagem muito melhor.

O negócio é procurar aparelhos usados em bom estado e restaurar. Aparelho novo é fora da realidade. A tecnologia é antiga, não tem sentido cobrar tanto.

Um toca disco antigo vale de acordo com o estado que ele está, e nem todo toca disco antigo vale a pena restaurar, pois dependendo do que precisar, vai ser tanta coisa que vai custar o valor de um REGA novo…

Falando de “Tecnologia antiga, não tem sentido cobrar tanto”, vou dar exemplo de duas linhas sem citar marcas:

-Toca disco antigo: Carcaça em aglomerado (esfarela), prato sem muita atenção no alinhamento, mecanica envolvendo plástico, cobre, latão (que enroscada e entortava com o uso) e borracha preta que não aguentava com alguns anos e precisava ser trocada.

-Toca disco de linha novo: Material em alumínio, prato de extrema precisão, motor de fabricação própria e uma equipe de pesquisa só para faze-lo, mecânica envolvendo aço, alumínio, fibra de carbono, com todos os contatos em ouro e borracha vermelha especial (agora, imagine que só um “pinch roller” dessa borracha vermelha pra um gravador de rolo chega a custar $300)…

Mas como disse, aí tudo depende muito. Uma garrard é feito com os materiais do “toca disco antigo” e se consegue uma em bom estado vale muito a pena, mas quem quer vender por mil, dois mil, com esse preço você quase compra uma REGA novo e muito bem feita.
Como também a gente encontra maletinha e derivadas que usam a mesma mecânica, porém por ser “diferente” as vezes tem quem queira vender a mil, o que é fora da realidade (ainda mais pra uma mecanica chinesa inteira de plastico que custa R$30)…

O mais importante se tiver a oportunidade, é ter contato com quem entenda e possa te ajudar a conseguir um toca disco em um valor acessível e que te atenda, e esse auxílio vai te ajudar a saber se o valor vale a pena, se tem que restaurar algo, se vai ter essa peça e se vai valer a pena o orçamento (que tem que caber no seu bolso), ou algum vendedor que seja legal, entenda do assunto e não queira te passar uma faca nas costas…

O porque a gente fala tão mal da maletinha? Porque fora as dores de cabeça (de início e pior com o tempo, tudo começa a falhar), e além de prejudicar os discos, a experiência sonora é a pior do mundo. vai dar aquela impressão de que “disco é uma M****”, como acontecia antigamente com quem vivia com um toca discos desalinhado, agulhas ruim e o sistema de som com as caixas rachando e os tweeters queimados (mas te juro que o som da maleta é ainda pior, vai por mim… eu tive uma… toquei um disco e desisti)

Este tópico foi automaticamente fechado após 92 dias. Novas respostas não são mais permitidas.