Xiaomi Book S é um tablet 2 em 1 que combina Windows 11 com chip Snapdragon

Enquanto a Microsoft não fizer a sua própria Rosetta 2, isso aí nunca vai dar certo.

1 curtida

Procure se informar, a edição ARM do Windows já tem uma camada de emulação x86 (similar ao Rosetta 2) desde 2017…

2 curtidas

Se rodar a versão completa do Windows 11 sem restrições de apps, parece uma alternativa interessante ao Surface.

Pena que não vem o teclado junto, apesar de ser dispensável. A Xiaomi cobra um preço absurdo por ele e a caneta do Pad 5 com Android.

1 curtida

Parece um aparelho bem legal mesmo, eu só não gastaria esse preço pra ter um tablet desse. Fico me perguntando se é uma benção ou maldição essa “compatibilidade” dela com programas tão antigos, me pergunto (já que não sei tão a fundo) se não seria melhor fazer algo novo onde pudesse aproveitar melhor os hardwares atuais. E ainda digo que o Windows deveria ter uma verão lite, atualizada claro, ou até gratuita e limitada.

1 curtida

O problema não é esse. Como falaram, a Microsoft já tem sua própria emulação desde que o Windows pra ARM foi lançado.

O problema é a Microsoft e a falta de pulso firme dela. As coisas com a Apple dão certo pois ela vai lá e obriga todos que consomem o ecossistema dela a mudarem. Quer um novo MacBook? Tem que ser com processador ARM. Suporte pra MacOS com Intel, já tem os dias contados (apesar de ainda estar longe).

A Microsoft tá nem ai, lança a versão do Windows compatível com o ARM e não faz força pro negócio pegar e ir pra frente. As fabricantes bem acomodadas (e amarradas) com a Intel e AMD, vão empurrando com a barriga lançamentos de Notebooks e Desktops com processadores ARM e quem perde com isso é o consumidor do Windows.

Depois que o Windows deixou de ser a principal fonte de renda da Microsoft, parece que é o time B ou C que cuida do SO. Até hoje o Windows 11 não tem uma identidade visual como o MacOS tem, não é difícil você encontrar ícones ou partes do sistema que estão lá desde o Windows 98.

2 curtidas

Pior coisa que já fiz na vida, foi comprar um tablet com windows. Se galera reclama de tablet com Android é pq, realmente, nunca usou um tablet com Windows. Tive um Dell que cheguei a ficar com ele até receber o Windows 11, na esperança que o atual Windows ia ter melhor comportamento com telas por toque.

Você pode até ativar o modo tablet no Windows, mas a experiência ainda é precária, pouco produtiva para usar sem teclado e mouse. E, como sabemos, praticamente nenhuma aplicação do Windows é preparada para esse tipo de usabilidade.

Conclusão, acabei comprando um Ipad, tenho um Galaxy Tab S6, não é ruim, mas o Ipad ainda é mais intuitivo (Infelizmente algumas aplicações ainda pecam, mas tem a melhor experiência para um tablet).

Minha sugestão e opinião, quer tablet vai de Ipad, não quer ou não pode, vai de Galaxy Tab. Windows evite para tablets, sua experiência vai ser a mesma daqueles notes com touch, você vai usar muito pouco o touch e acabar carregando um teclado e mouse para todo canto.

3 curtidas

Sim, o foco atual da Microsoft é Azure, Office e Game Pass.

Infelizmente, Windows tem andado a passo de formiga (Quando comparamos com a evolução dos sistemas mobiles e até mesmo a evolução do Windows no passado).

Até o OneDrive da Microsoft parece não ser mais prioridade, em funcionalidades e interface o Google Drive dá de 10 a 0 no OneDrive (Mantenho o OneDrive devido a sua vantagem competitiva quanto a valor x armazenamento).

A Microsoft consegue ser MUITO pior que a Google na questão de padrões e exigências com fabricantes. O que faz, que até hoje, nem o Windows 11 tenha devido suporte a telas de touch, por isso, não recomendo tablet Windows é passar nervoso ou ter uma experiência precária.

Até o Gnome que é uma interface open source para distros Linux, hoje possui um suporte melhor para touch. Antes de vender o meu tablet com Windows, experimentei o Fedora e ChromeOS nele.

Para minha surpresa, o Fedora teve uma ótima experiência, o Gnome se comportou muito bem no touch.

Mas o que me agradou bastante foi o ChromeOS, ele se adapta automaticamente ao uso de teclado fisico ou touch, mudando seu modo de operação quando você conecta um teclado.

E é uma experiência muito bacana, mesmo, com suporte a gestos e total adequação da interface. Diria até que as fabricantes deveriam apostar mais no ChromeOS nos tablets do que no Android.

2 curtidas

A Apple pode se dar ao luxo de fazer isso. Se tem uma coisa que ela possui é uma base fiel de usuários. Os desenvolvedores e fabricantes “se curvam” porque sabem que os usuários ficarão lá, faça chuva ou faça sol. Com a Microsoft já não é bem assim.

Como não? A grande massa não vai passar a usar Linux e ChromeOS. MacBooks são muito caros e dependendo do uso da pessoa não compensa ter um.

Fora que é lá que os jogos estão, então a comunidade gamer também não tem pra onde ir. É só fazer um plano bem estruturado de migração que ela conseguiria fazer tão bem feito quanto a Apple. Talvez não na mesma velocidade, mas com certeza nesses 4 anos que o Windows para ARM existe, já era pra estar muito mais popularizado do que é.

3 curtidas

Isso me lembra o Windows S, acho que o projeto afundou bem rápido.

Gosto muito desse tipo de dispositivo, mas entra ano, sai ano e parece que não ocorre nenhuma mudança palpável, a Acer um tempo atrás me pareceu que iria se sobressair nesse seguimento com a linha Switch Alpha, tenho inclusive um Acer Switch Alpha 12 (que a patroa sequestrou por causa do tamanho reduzido), i5 6ger, 8GB de RAM, SSD 256GB, maquina excelente até hoje, assim como os demais dispositivos desse gênero carece um pouco na conectividade de portas, mas mesmo assim ainda era melhor que a maioria pelo fato de vir com 1 porta tipo-A e uma tipo-C thunderbolt (quando no geral esse tipo de dispositivo entrega uma única porta tipo-C), e leitor de cartão micro SD, e o melhor de tudo, custava 1/3 do surface (se não era menos) quando foi lançado e entregava muito mais, tanto em portas como em acessórios, já que o teclado destacável e a caneta já vinham na caixa. Vender uma tela pelo preço de um laptop completo e ainda te obrigar a comprar os periféricos pra poder conseguir de fato usar 100% da produtividade do equipamento é até ofensivo. Quase 4mil reais em conversão direta só pela tela, juntando tudo, quase 5.2mil reais pelo kit. Com exceção do tamanho e peso, por esse valor, que de fato ele entrega a mais que outros equipamentos até mesmo mais potentes nessa faixa de preço?