Vivo libera ativação de eSIM pelo site, mas não do jeito que você queria

2 curtidas

11 curtidas

É aquela música: Brasiiiil, Brasiiiil :musical_note:

2 curtidas

Esse lance do e-SIM não poderia ser algo regulamentado por algum órgão de telecomunicações ? Digo isso, porque é um absurdo que cada operadora siga um protocolo diferente.

A experiência deveria ser a mesma, independente da operadora. O melhor mesmo seria dentro do próprio OS na seção de celular, poder escolher entre as operadoras disponíveis, autenticar com biometria para selecionar a opção de migrar para e-SIM, e já abrir a página da operadora, com uma UI simplificada dos planos, selecionar e confirmar os dados de pagamento, para concluir a migração para e-SIM, basta digitar o PIN do SIM fisico anterior, pronto.

6 curtidas

esse é o constante dilema do mais estado e do menos estado, esse é o tipo de coisa que o estado não deveria precisar se meter, e sendo assim ele vai demorar um bom tempo até se meter (e arriscar a fazerem merd*).

3 curtidas

A Anatel costuma não meter (muito) a mão nos padrões técnicos, a não ser quando precisam forçar a mão (tipo IPv6 que agora é obrigatório).
Parte disso é para permitir que as operadoras decidam por conta própria o que vão usar, o que fazia mais sentido quando havia alternativa real (GSM/WCDMA vs CDMA2000/1xRTT/EVDO). Hoje em dia só existe um padrão viável para redes móveis, os do 3GPP (GSM/WCDMA/HSPA(+)/LTE(Advanced/Advanced Pro)/NR).

Dito isso, a Anatel as vezes força a mão, como agora com o leilão do 5G que vão impor redes no release 16 (Standalone) e, quando, no começo dos anos 2000, licitaram 1800MHz para as novas operadoras em vez de 1900MHz, o que praticamente selou o destino dessas redes a serem GSM.
(a decisão foi acertada, não só pelo GSM, mas para reservar 1900/2100MHz para 3G, harmonizando com o resto do mundo).

4 curtidas

Nem acho que seja o caso. Estamos falando de eficiência e consistência. As operadoras continuam livres para implementar ou não, mas se optassem por implementar, todas deveriam seguir uma mesma diretriz. Justamente para evitar um mar de reclamações e insatisfação.

Telecomunicação é uma área estratégica do país, é preciso que certos aspectos atuem de forma coordenada, tanto da parte de segurança da rede, como na confiabilidade de toda a implementação. Esse tipo de estratégia coesa é que confere confiança e da previsibilidade para o mercado. Se tivesse uma normativa clara de que após a chegada do 5G, as redes 2G e 3G seriam desligadas, não estaríamos discutindo isso e muito provavelmente as operadoras já teriam se movido para tapar as lacunas de conexão, justamente por haver pressão do mercado e população em geral.

Mas sobre o e-SIM e VoLET e aquela do 5G, é exatamente a mesma. As operadoras não oferecem porque é uma bagunça, as fabricantes não dão suporte porque as operadoras não dão suporte e entramos em loop. Isso vai além de simplificar em “estado se intrometendo no mercado” porque não é exatamente isso.

Querendo ou não, existe a pasta de telecomunicações e as entidades em torno. Mas só aparecem a cada 10 anos para encher os bolsos e a sensação é que não fazem muito pelo avanço tecnológico do país.

3 curtidas

Chip virtual que vira chip físico.

Possuo um no iPhone. E troquei de aparelho, precisei ir até a loja pra comprar um novo. Me foi cobrado 40 pila. Tinha uma reclamação na Anatel sobre essa dificuldade que fazem e a atendente ficou surpresa com o valor cobrado. Ai me deu de volta em créditos no número.

1 curtida

Acho que tive sorte com a Vivo. Consegui um e-sim em menos de 1h pedindo pelo WhatsApp. Entrei no site da Vivo e descobri o número de uma loja da região. O atendente demorou uns 30 minutos pra responder, qdo começou o processo não foi mais que 10 minutos. Apenas me pediu os dados do aparelho e mandou o link para fazer a biometria. Claro que poderiam ser mais eficientes e deixar a gente usar o mesmo QR code qtas vezes a gente precisasse. Usar o e-sim deveria ser mais simples, inclusive no caso de portabilidade nem deveria ser preciso pedir um novo QR code, bastaria a operadora de destino aproveitar o e-sim já existente. Mas facilitar a vida dos clientes não é praxe das operadoras de telefonia no Brasil.

1 curtida

brazil1

Venho falando disso algum tempo, dessa dificuldade de poder ativar o eSIM.

Nos EUA eu nem entro no site da empresa, é tudo na própria interface do iPhone, ainda aparece os planos pra escolher, salvo algumas operadoras que precisa instalar um APP, mais ainda sim vc não precisa falar com ninguém e nem precisa de gambiarra de WhatsApp pra isso, é tudo online de verdade.

2 curtidas

A Claro facilita a obtenção de um eSim por meio de uma página onde da para escolher Controle ou Pré meuplanoclaro.com.br/esim que no caso da Claro é Claro e-chip

1 curtida

TL;DR
Tudo uma porcaria, continua não funcionando por aqui…

Fui semana passada em uma loja da Vivo no shopping e me informaram que apenas pós pago poderia utilizar o eSIM.

As lojas podem até utilizar o mesmo sistema (que parece ser uma porcaria pois vivem reclamando que “está fora”), mas definitivamente não há ações efetivas por parte das operadoras em propagar as informações e repassar conhecimento para as lojas que levam o nome da marca em si.

Algumas operadoras de outros países permitem ativar o eSIM de forma remota pelo próprio site da companhia. Tecnicamente falando isso é possível de ser feito por empresas brasileiras, mas simplificar esse processo também aumenta as chances de fraudes aconteceremse com SIM Cards físicos comuns elas já acontecem, imagina com um processo 100% eletrônico?

Que interesssante

Acredito q a Vivo tá testando algo do tipo. Nas atividades do Meu Vivo para Android já existe uma menção ao eSIM, embora não funcione, é claro.

vou dar uma olhada nisso, pq ainda não tenho ipv6, só não criei caso com a operadora pq tenho ipv4 valido.

Muito seguro esse processo da vivo pelo whatsapp pelo jeito.

torcendo que isso seja verdade, depois só falta a Vivo resolver a frescura que é o VoLTE.

Os dispositivos novos são obrigados a ter suporte a IPv6. Até aonde eu sei, a Anatel não baixou norma obrigando as empresas a fornecer IPv6 pros clientes (mas certamente devem cutucar).

E acho que quem lida com numeração IP e essas regras, em geral, é o registro.br.

2 curtidas

Putz, que fantástico isso! Pena que troquei meu Xr por um S10+

Eu estava precisando de um, aí ligando mas operadoras você precisa fazer um plano controle no mínimo pra conseguir, então fiz o tal plano de 70 reais pra não ter fidelidade aí um mês depois cancelei, agora posso usar de como pré pago como segundo número!