Uma casa inteligente ainda é complicada demais para um usuário comum

1 curtida

Casa conectada é um porre… mas se tu tiver dinheiro, contrata uma empresa em automação residencial que não use esses produtos prontos e tu vai ter um resultado infinitamente superior.

7 curtidas

Eu me considero um usuário médio-avançado. Lido bem com tecnologias e o que não sei resolver eu pesquiso e arrisco fazer alguma coisa além do que o usuário comum teria interesse.

Só que minha disposição pra isso é inversamente proporcional à idade. Com o tempo eu passei a perceber que é o produto que tem que vir pronto pra ser usado, não eu que tenho que ficar fazendo malabarismos para que tudo dê certo.

E casa conectada hoje é exatamente isso.
Como sempre foi no capitalismo, toda empresa quer te prender numa rede de produtos próprios. Em se tratando de casa conectada, todos os fabricantes querem ter seu próprio ecossistema, sua própria nuvem, como a matéria muito bem falou. (Como é bom coletar dados dos usuários e cobrar um royalty de outras empresas, não é mesmo?)

E, meu amigo, isso é um porre. Você não tem, na prática, liberdade para escolher o dispositivo que mais lhe agrada, pois se começar a misturar aparelhos de fabricantes diferentes a integração simplesmente não existe - e é você que tem que ficar estudando e quebrando a cabeça pra fazer funcionar.

Como cliente eu bem queria entrar de cabeça nesse mercado. Mas nenhum ecossistema satisfaz 100% das minhas necessidades. Aliás, até onde sei absolutamente nenhuma empresa oferece uma linha completa de produtos para casa conectada (e nem eu iria querer ser totalmente dependente de uma única empresa pra isso).

Eu achei legal a Echo Show 15 como produto - mas prefiro usar os serviços do Google Assistente.
Enquanto isso, minha TV é Samsung e tem um excelente aplicativo para controle via celular Samsung, mas que simplesmente é lerdo e nada prático pra abrir, além de não conversar com o Google Assistente.
O ar condicionado inteligente que eu compraria seria um LG. Mas aí teria que instalar um outro app no meu celular para configurar só ele.
Se eu compro um interruptor “nacional” ou importo, sou obrigado a ter meus dados sendo enviados pra China, e se não quiser fazer isso eu preciso aprender a alterar e configurar um firmware alternativo.

É muita complicação desnecessária.

A tecnologia para uma automação decente já tá toda aí. Só que falta interesse das empresas para proporcionar a integração necessária e, principalmente, dar liberdade para o cliente comprar e usar seu produto como quiser.

5 curtidas

E se a internet cair a casa toda para de funcionar, pq não podem oferecer uma solução local.

2 curtidas

Pensava que só eu achava isso do SmartThings, muito lento pra abrir e pra carregar o aparelho.

1 curtida

Um conjunto do meu interesse em casas conectadas:

  • monitorar energia geral da casa
  • monitorar volume da água na caixa d’água
  • fechaduras inteligentes
  • lâmpadas
  • controle remoto de aparelhos
  • um sistema único para automatizar tudo, tendo templates prontos como no ifttt para diversas funcionalidades.

Não me interesso por comandos de voz nem por abridores de cortina

1 curtida

o problema é integrar tudo em uma única solução, na maioria das vezes cada produto tem de usar o seu próprio app.

As assistentes de voz ajudam a ter acesso a vários sistemas a partir do mesmo lugar.

4 curtidas

Em automação residencial tu consegue… dá pra usar algo tão simples quanto um raspberrypi para rodar um servidor local para todos os equipamentos enquanto não volta a internet.

1 curtida

Eu fiz um pequeno investimento nisso, pois acabei ganhando 3 Alexas (é, se dependesse de mim pra comprar…).

Hoje eu acendo as luzes do meu quarto e da sala por voz, além das TVs da sala e do quarto.
Também adapto uma das tomadas inteligentes pra ligar um ventilador em época de calor e no inverno uso pra outra finalidade.

Também coloquei fechaduras inteligentes nas portas.

Mas, de fato, é tudo muito pouco integrado (apesar da Alexa centralizar bem).
Tem que simplificar muito até o leigo usar.
Smartphone mesmo, ainda q seja super popular e simples hoje em dia, tem certas coisas q acho complicado pro afegão médio.

Os equipamentos wifi que tem por ai não são muito simples de usar sem acesso a nuvem da sua fabricante, com zigbee já começa a dar pra fazer alguma coisa, mas é só pra pessoas avançadas, tem de configurar coisinha por coisinha, não vem tudo pronto, dá muito trabalho integrar tudo.

Só lembrei disso

Tanto o Google quanto a Alexa na minha experiência estão longe de serem bons. Talvez pra comandar uma coisa ou outra ainda vai, mas escolher música é frustrante, não acha ou toca uma música nada a ver, chega a tocar até um cover. Ou a quebra de expectativa quando você pede algo óbvio e faz o oposto, tipo “Alexa dispense a notificação”, ela vai e começa a falar a notificação.

Tirando o que já apontaram sobre a integração dos dispositivos, para minha pessoa enquanto não tiver um bom assistente de voz não vejo sentido em casa inteligente.

2 curtidas

Uma forma de melhorar isso, talvez (nunca testei pq não uso com frequência), é:

  1. Manter o app aberto, travando nos apps recentes (Galaxys mais avançados permitem manter até 3 apps abertos). Isso deixa ele rodando em segundo plano sem congelamento.

  2. Ir nas configurações e tirar as restrições de bateria do app, deixando ele rodando em segundo plano sem intervenção do sistema.

Isso funciona com os apps que uso com mais frequência aqui. Deixa o app mais rápido, sem que ele fique recarregando o tempo todo, quando abre. Mas claro, o meu aparelho tem 12 GB de RAM. Talvez funcione com o Smart Things.

Eu já fico ressabiado com essas câmeras que usam cloud e abrem uma brecha na sua rede. Imagina ter a casa toda com soluções de terceiros que estão se conectando com servidores externos e enviando todo tipo de dado sobre a sua casa para um servidor na china. Tá doido.

1 curtida

Um dos grande empecilhos para eu adotar um sistema mais robusto de automação residencial é a falta de necessidade. Moro num apartamento de 70m2 com apenas uma porta de entrada. Além das lâmpadas, interruptores de energia, haveria espaço para uma fechadura inteligente e uma câmera na sala (que se bem posicionada cobriria porta da varanda, cozinha e corredor dos quartos. O investimento seria na casa dos R$4.500,00 montar este setup “básico”. Pessoalmente não acho que valha a pena para poder pedir para Alexa cuidar das luzes e vez ou outra saber quem entrou ou saiu de casa.

1 curtida

Ninguém nasce sabendo tudo. Aprende lendo. hahaha

Mas eu fico imaginando o primeiro hack numa dessas empresas da nuvem e o pessoal zoando as lampadas alheias pelo lulz…

Tenho uma tv da LG com integração com Alexa.
A cada 10x que eu pedia a alexa para ligar, umas 3x funcionava. Se nem pra ligar uma simples tv a tecnologia Presta direito, imagina uma casa toda.

O Linus do ltt é o melhor exemplo que consigo pensar. O cara tem “dinheiro infinito “ pra isso e mesmo assim ta quebrando a cara pra integrar a nova casa dele.

1 curtida

Tá ótima a novela dos interruptores de lâmpada, tem firmware novo mas não liberamos ao usuário final, depois descobre que não tem firmware novo que foi tudo um engano de numeração de versão.

2 curtidas

Acredito que só se precisa configurar tudo uma única vez. Depois é só questão de ajustes pontuais periodicamente, de acordo com o usuário. É que nem hard user quando compra um Android novo.

Até algo parar de funcionar por uma atualização, é aquele eterno dilema, se não atualiza arrisca uma falha de segurança, se atualiza arrisca quebrar as configurações. E quanto mais distante fica uma atualização da outra maiores os riscos de tudo parar de funcionar quando atualizar.

1 curtida

Uma coisa que me cansa: a Mi Lamp, que funciona relativamente bem no app próprio - as vezes não -, mas no HomeKit o brilho fica bem menor. Já possuo ha 03 anos e nenhum sinal de resolver.
Se uma lâmpada já é assim, como vou confiar em fechaduras? Interrompi assim minha saga pela automação kkk

1 curtida