Um smartphone "apertável" pode ser mesmo útil?