The Sims 4 tem DLC de casamento barrado na Rússia por lei anti-LGBT+

E a imprensa ainda fica batendo na tecla de que o Brasil é o pior país do mundo para LGBTQQICAPF2K+.

:roll_eyes:

11 curtidas

ELES precisam de discursos para aprovarem suas leis progressistas. O Brasil é um dos países que mais mata pessoas no mundo (pretos, brancos, heteros, gays, etc.) é claro que vai ficar na frente em número de qualquer tipo de homicídio, mas optam por só mostrar uma parte.

8 curtidas

[…] Estamos comprometidos com a liberdade de ser quem você é, de amar quem você ama e conte as histórias que você quer contar

Falar é fácil. Se estão tão comprometidos, vão fazer algo a respeito? Vão parar de vender produtos na Rússia em protesto?

Palavras vazias da EA.

10 curtidas

Você também compartilhou conosco sua vontade de caminhar no corredor, faça com que seus Sims tomem seus assentos e derramem uma lágrima de alegria ao assumir um compromisso vitalício.

Caramba galera, acho que precisa ajustar a tradução hein…

É o que mais mata, principalmente a população trans, porque aqui homofobia é crime, logo, dá pra tipificar esse tipo de crime.

Não sei se você leu corretamente o título da matéria, mas num lugar onde existe uma lei anti-LGBTQ+, 1: não contabilizarão oficialmente esse tipo de assassinato (por motivos óbvios) e 2: pessoas da comunidade não podem expressar livremente sua condição, então é até difícil de saber quando ocorre tais crimes.

20 curtidas

mas o problema desse estudo “onde o brasil é o que mais mata trans” eles não tipificam o tipo de crime se realmente foi homofobia ou não (exemplo: latrocínio) a maioria dos óbitos contabilizados nem se quer tem o real motivo explicito (imagino que pode ser sim transfobia a maioria, porque a policia nem investiga direito e ela existe, mas não são todos) e para piorar no estudo contabilizou brasileiros trans que morreram em outros países

3 curtidas

A qual estudo você está se referindo?

1 curtida

Só se você se refere a estatísticas criadas forjadas pelo GGB.
Agora se forem estatísticas REAIS, não.

2 curtidas

Não preciso apoiar meu comentário em um estudo realizado por um “instituto” abertamente de direita. Estudo que nem deve ter sido revisado por pares, mas não entrarei neste mérito, haja visto que os autores não sabem o que é homofobia e classificam que héteros podem sofrer homofobia.

Toma os dados de uma organização mundial, que é referência no monitoramento desses casos:

13 curtidas

Fonte: Times New Roman

2 curtidas

Nao confia no estudo porque é de direita… por suposto vies político, então colega cancela um monte de estudo porque tem vários com viés de esquerda por aí (mas não sei porq parece q se fosse um estudo feito por um grupo abertamente de esquerda contra um trabalho de um grupo da direita você não iria fazer esse questionamento, fica a dúvida)
… mas beleza, aí manda um link com mapas coloridos, desculpe, mas entrei pelo celular, bem travado o site, mas me ajuda onde estão colhendo as fontes? Será que a ONU não está usando estudos como esses publicados pelo GGB? Esses estudos foram revisados? O estudo do GGB também foi revisados? Ou só é uma simples coleta de dados de vários estudos e pintados no mapa? … melhor, usando seu artifício, podemos confiar em estudos de grupos assumidamente com viés políticos como o GGB?

2 curtidas

Pois é, eu li tanto o texto enviado @doorspaulo quanto vi o link do @xavier, diferente que ele fala esse “estudo” postado na LiHS não afirma que heteros sofrem homofobia, mas sim ele mostra que a GGB usou morte de heteros nas suas estatísticas de mortes violentas de LGBT. Outra coisa eu coloquei estudo entre aspas, pois esse texto tenta ser justamente uma verificação do trabalho da GGB, eles afirmam terem refeito o trabalho de pesquisa da GGB.
Uma coisa engraçada, no link do @xavier, fica parecendo que o morrem muitos LGBT pois o site abre por padrão mostrando as mortes desde 2008, quando você coloca para mostrar os números só de 2021 o índice do brasil cai de 1645 para 92, pois bem acessei a parte do site que tem as fontes das mortes, um dos primeiros casos é justamente do brasil, e nele tem o link da matéria jornalística que foi usada para afirmar a morte, porem na tal matéria não informa em momento algum que a causa da morte foi homofobia, o texto é incrivelmente curto e apenas afirma que uma mulher foi encontrada morta num córrego com as mãos e pés amarrados por fios que aparentavam ser de telefonia.

Mulher é encontrada morta com mãos e pés amarrados, em Curitiba - RIC Mais

PS: não é só no celular não, entrei no site pelo PC e ele é bem travadinho mesmo.

5 curtidas

Legal, também achei essa parte dos nomes… fui ver o caso do segundo brasileiro na lista… uma trans que foi assassinado pelo ex-companheiro, transfobia? Única coisa que confirma nesse site é o que sabemos, somos lider em homicídios

Não estou questionando a transfobia sei que existe é assunto sério e deve ser combatida, estou questionando os número, será mesmo que se isolamos só casos de morte por transfobia somos tão piores que Irã, China, Rússia… países extremamente homofóbicos, se somos porque nossa legislação rígida contra esses casos e nossa liberdade na mídia para aceitação do LGBT+ não estão servindo para nada?

5 curtidas

Não te ajudo, pois a informação já foi passada, você que vá atrás. Mas ao invés de tentar se informar, é muito mais fácil ficar fazendo suposição do comportamento de outras pessoas.

Algumas das vítimas da homofobia são heterossexuais

Sem mais quanto a isso.

Esse site trata especificamente de pessoas trans, não inclua a sigla inteira.
E, mesmo que for 1 ou 2 pessoas assassinadas, isso não refuta o caso de o Brasil sempre estar na liderança, todos os anos, em relação aos outros países.

Vou ter que repetir o que já falei? NÃO dá pra comparar países onde são abertamente anti-LGBTQ+ com países que tem leis que protegem essa minoria. Nesses países devem matar mais? Talvez sim, mas não existe dados pra corroborar isso. E muito menos colocar na mesma balança, pois lá é “legal” matar, enquanto aqui e em muitos outros países é crime.


Talvez vocês estejam com problema de interpretação de texto, mas estão relacionando um suposto “estudo de caso” de homofobia com uma fala minha que foi: “O Brasil é o que mais mata a população trans”. Não falei que todas as mortes são causadas por homofobia.
Em momento algum eu relacionei as mortes com homofobia, exatamente por todos os vieses que isto pode ter, e as interpretações falhas.
Pra deixar mais claro ainda, a expectativa de vida de pessoas trans, em 2017, é de 35 anos, segundo o texto publicado pelo Senado. No mesmo ano, a expectativa de vida do brasileiro era de 75,5 anos.

Em apenas uma coisa concordamos, o GGB foi uma organização com bastante falhas na administração e divulgação de resultados, entre os anos de 2014 e 2018.

5 curtidas

Todas as fontes e metodologia estão bem detalhadas no artigo.
Só ler e tirar suas próprias conclusões, podendo inclusive refazer o estudo por conta.

1 curtida

E essa organização usa os dados do GGB.
Não adianta usar dados “viciados” para fazer métrica alguma.

Se tivesse lido o artigo direito, teria visto que sim, héteros podem sofrer de homofobia por mal entendidos. No artigo está bem claro, onde um pai e filhos foram espancados por acharem que eles eram um casal gay. Se isso não é homofobia pra você, eu não sei o que pode ser.

Mas qual é a causa da expectativa de vida menor?
O índice de suicídio é extremamente alto nessa parcela da população, além do abuso de substâncias ilícitas e comportamentos de risco.

Existem N motivos para uma expectativa de vida menor, e apontar a transfobia (que existe e deve ser punida) como única causa é fantasioso.
Cada indivíduo tem que ser responsável por suas escolhas.

2 curtidas

Parabéns, você está jogando a responsabilidade pra cima da vítima.

Qual é a causa da expectativa de vida menor?
Falta de acolhimento da família, expulsão de casa, falta de acolhimento pelos amigos, falta de oportunidade no mercado de trabalho, falta até mesmo de um olhar pra estas pessoas como gente, não como algo que deve ser combatido.

Transfobia não é xingar alguém na rua, não é “jogar um tijolo”, é isso também e junto de todas as violências e portas fechadas que sofrem no dia a dia.

Ou alguém ainda acha que se prostituir é uma escolha? Viver nas ruas é uma escolha?
E antes que apareça alguém pra falar “nossa, mas fulano ‘venceu na vida’”, não dá pra pegar um caso isolado e usá-lo como regra.

E quando o indivíduo não tem escolhas? Este é o ponto.

7 curtidas

Fizemos um leve acerto, a frase estava confusa mesmo. Tempos verbais… brigado!

Imagina meu amigo, agora ficou excelente! Eu que agradeço pelo ouvido (ou olhos) ativo(s).