Tecnocast 214 – E se o real fosse digital?

1 curtida

Tanto faz se o Real for físico ou digital, vai continuar não valendo mais nada.

1 curtida

Excelente episódio, como sempre. Sempre que esse assunto aparece (algum governo querendo entrar na “onda” das moedas digitais). Eu me lembro do fórum P2P foundation, onde o próprio Satoshi Nakamoto responde a uma mensagem deixada por um membro… Isso em 2009!


Link para o fórum. Esse fórum é uma Joia para quem se interessa por este assunto. Você consegue, literalmente, ler essas pessoas definindo como será o futuro.

A impressão que dá é que, mesmo 12 anos após a introdução do Bitcoin, os governos (e as pessoas de um modo geral) simplesmente não entenderam a razão de ele existir… Boa parte delas não entende nem mesmo a razão de ele estar tão valorizado e a razão de ele ainda ser o maior MarketCap mesmo sendo tecnicamente inferior a várias outras moedas por ai.

A verdade é que as moedas fiduciárias já são digitais HOJE. Real, Dólar, Euro… Todas as moedas emitidas por governos já são, atualmente, digitais… A cédulas de papel e as moedas de metal são apenas tokens físicos que representam valor monetário em um sistema. Digitalizar “ainda mais” essas moedas vai ser apenas para cercear ainda mais a liberdade econômica, com a justificativa de “coibir atividades criminosas”.

4 curtidas

Moeda digital estatal continua com o problema de ser regulado por uma autoridade central, sujeitas a decisões unilaterais e erradas como impressão de dinheiro. No caso do Brasil, acredito que o maior interesse em um possível Real digital é dificultar a sonegação, já que é a prioridade dos nossos governantes.

Penso que o principal benefício das CBDCs será a possibilidade da existência de “dinheiro programável”, algo que atualmente só é possível com criptomoedas, especialmente Ethereum. Se essa idéia vingar poderíamos, no futuro, ter “contratos inteligentes” vinculados a moedas soberanas atrelados a bens físicos, e que atualmente dependem de “cartórios” para transferência legal de titularidade. E obras de arte digitais vinculadas a NFTs poderiam ficar vinculadas a CBDCs ao invés de a criptoativos.

Exatamente! Outro dia ouvi uma refutação ao Bitcoin de um senhor com mais de 50 anos de idade. Ele dizia “pra quê eu vou querer aprender a manusear carteira, endereços, etc. se eu posso fazer um PIX onde eu só preciso do CPF da pessoa”. Esse senhor, claramente, não entendeu que a Receita Federal está de OLHO nos que se declaram “ISENTOS” e movimentam milhares de reais pra lá e pra cá via PIX. É como dizem: quando algo é “gratuito” é pq o preço é você! Não existe almoço grátis! O governo está dando a corda para os “espertões” se enforcarem. O Real Digital será mais do mesmo e sofrerá grande resistência e lobby dos bancões, haja vista que o Real DIgital transformaria os bancões obsoletos da noite para o dia! rs