STF corta ICMS sobre telecom, mas operadoras não prometem queda de preço

Enquanto maioria dos governadores vai ter um desgaste para se adequar (votação na assembleia Legislativa, negociação com base pra aprovar, refazer orçamento e LOA, etc)

O governador daqui de Mato Grosso, se antecipou e em setembro (e usou de seus contatos em Brasília, e ouviu uns passarinhos cantarem) apresentou projeto de redução de ICMS em energia elétrica, incluiu os combustíveis, e ainda fica “bonito na foto” com eleitorado.

http://www.mt.gov.br/-/18024065-governador-de-mt-anuncia-o-maior-pacote-de-reducao-de-impostos-do-brasil-para-beneficiar-o-cidadao

1 curtida

Aqui em MG o ICMS da energia elétrica é de 30%. O gov. Zema que reclamava dos impostos antes de eleito nem tocou no assunto depois que assumiu o cargo. Bem liberal ele, né!?

2 curtidas

No meu ponto de vista não seria uma perda de arrecadação, seria um pouco do roubo a menos… ou não!

1 curtida

O roube se mantém. Só farão um ‘ajuste’.

1 curtida

Aqui no Ceará é 27% sobre energia e 30% sobre telecomunicações, bem capaz do governo do estado parasita aceitar a redução sem fazer muita confusão.

Foi um dos governadores que mais defendeu o “fica em casa” e lockdown a qualquer custo para pirraçar o presidente, mas não aceitou reduzir um centavo dos impostos de máscara e álcool gel e nem das empresas, enfim a hipocrisia.

2 curtidas

Eletricidade mó cara (ao menos aqui no PR, tão arrancando o couro) e eu de cara que o título cita as 4 operadoras e nem menciona energia!

Caros leitores, um update desta matéria.

Ao contrário do que foi noticiado a princípio, a decisão do STF de reduzir a alíquota do ICMS sobre o setor de telecomunicações não deve ser repassada de imediato ao bolso dos clientes. Isso significa que, por enquanto, as operadoras não se comprometeram a diminuir o valor de planos ou tarifas, mesmo com a diminuição do imposto.

Por isso, a matéria foi atualizada de acordo. Obrigado pela leitura :slight_smile:

1 curtida

Já esperava, e nem vão reduzir. Empresa no Brasil reclamam da carga tributária insana (com razão), mas quando há uma eventual redução, não reduzem os preços ao consumidor, com raríssimas exceções.

1 curtida

No final, a culpa ñ são só dos impostos.