Será que a Claro está mudando de estratégia do VoLTE?

Consultando recentemente no site da Anatel as ERBs licenciadas pela Claro, pude observar que em algumas cidades como Boa Vista, Ananindeua, São Luís, Macapá, Manaus, São Paulo, Xangri-lá, Natal, Recife, Joaboatão dos Guararapes, Mossoró, Teresina, Fortaleza, João Pessoa, Maceió, Guarujá, São José dos Campos, Diadema, etc. algumas das antenas está usando ou usará só 4G/5G.

Sabemos que nos dias de hoje, com o VoLTE limitado ao pós-pago, os clientes dos outros planos dependem do sinal 2G/3G para fazer/receber ligações, então isto será um indício de uma expansão aos planos pré e controle? Já cheguei ver antena até no extremo da periferia (pensando num perfil de consumo).

Ainda é cedo para afirmar com convicção, já que em alguns outros lugares ela tem licenciado ERBs com 3G. A Vivo, por exemplo, está licenciando 3G, provavelmente para atender aparelhos que não suportam VoLTE ou que ainda dependam do 3G, como máquinas de cartão, mas a maior parte dos novos licenciamentos é só com 4G/5G.

Cogito a ideia de que ela queira acelerar a expansão do 5G, e seria a alternativa mais viável economicamente focar na quarta e quinta geração.

2 Likes

Para fazer ligações precisa do volte, e para o volte funcionar precisa do 4g estar funcionando. Eles meio que vão ser obrigados a ativar o volte por padrão em todos os planos.

1 Like

Não entendo porque eles se recusam tanto a utilizar. É tão caro assim por linha? A TIM usa somente o VoLTE, sem VoWIFI e funciona tão bem. Não entendo esse rolê, sendo que no 5G já se usa o VoRN de mais de 128kbps.

1 Like

Muito interessante. Primeira vez que vejo isso vindo na Claro, enquanto na Vivo e TIM já existem até cidades exclusivamente LTE.

Eventualmente ela terá que correr atrás do prejuízo e adotar o VoLTE massivamente.

2 Likes

Uns 2 anos atrás falei com um funcionário da Claro do setor de inovação deles, basicamente o
VoLTE/VoWIFI tem custo e a Claro não queria gastar com isso já que tem freqüência de sobra pra 2G e 3G.

Embora migrar pro VoLTE reduza os custos, principalmente do consumo de energia dos equipamentos legados, afinal são milhares de torres de celular.

Mas o pessoal de tecnologia/inovação só pode dar a sugestão é quem decide é o setor financeiro né!
Marketing pode gastar milhões num famoso qualquer pra fazer um comercial de 30 segundos, mas área de tecnologia não é vista como investimento e os contadores de moedas só veem o setor que faz tudo funcionar como custo.

Quem é da área vai entender o que tô dizendo.

Ainda bem que edital do 5G Anatel especificou que tem que ser SA/Ref16 então a Claro que se planejava ter só NSA usando as redes legadas pra voz está tento que correr atrás do prejuízo enquanto TIM e Vivo que já estavam migrando pro VoLTE saem na frente.

4 Likes

Agora eu não entendo da TIM estar licenciando ERBs com 2G. Será que são as as incorporadas com a aquisição da Oi?

O grande problema para ela é “jogar fora” o que já gastou e substituir pelo novo. Nesse aspecto, a Vivo está muito à frente, pois além de instalar novas ERBs, em sua grande maioria, exclusivamente 4G, está trocando o uso das já instaladas. Onde tinha refarming ela está alocando tudo para o 4G, deixando com uma única frequência 3G para atender os outros clientes.

Por isso ela tinha os pacotes de dados mais expressivos que a concorrente, pois estava cortando o máximo de custos possíveis.

Seu comentário me fez lembrar que uma localidade turística aqui no meu estado só veio ter antena da TIM há poucos meses.
Até então, apenas a Vivo tinha antena por lá, há mais de duas décadas.
O detalhe é que essa antena da Tim é apenas 2G.
Aqui no estado foi a Claro que recebeu clientes e a estrutura da Oi.

1 Like

Então será que ela está reciclando transmissores/receptores substituídos, alocando para outros lugares?

Equipamento de uns 10-15 anos pra cá aceita várias tecnologias (dependendo das bandas, claro). Se for algo mais antigo, precisa meter uma plaquinha nova no baseband unit, se for algo mais recente, dá pra ativar remotamente.

1 Like

Mas também tem a comutação de circuitos que sustentam as gerações legadas, nao é?

Eu tava falando da interface de rádio mesmo.
A Claro eventualmente vai ter que liberar, não vão conseguir manter pra sempre todo mundo dependendo de CSFB, mas dá pra ver que não tão com pressa…

1 Like

Não sei qual a ERB em questão, mas costuma ser justamente o contrário hehe.

A maioria desses novos licenciamentos 2G da TIM se dão por conta do acordo de compartilhamento do 2G, a tal rede única, entre a Vivo e a TIM.

Nesse caso, os locais onde a Vivo cedeu a rede 2G pra TIM (pra formar a rede única), estão sendo licenciados pela TIM como uma ERB nova apenas 2G.

Se você reparar bem, essas ERBs 2G recém licenciadas pela TIM tem exatamente a mesma frequência da Vivo e estão juntas da ERB da Vivo tbm

2 Likes

Bem provável, pois o trio de operadoras foi obrigado a atender toda a base de clientes, inclusive aqueles com a rede legada (2G), então até as próprias operadoras mudarem os clientes da extinta Oi Móvel pras redes mais atuais (4G/5G), elas (as 3 operadoras) terão que operar a rede “antiga” da Oi, em sua totalidade!

1 Like

Bem lembrado por você, ainda tem a questão da rede única “legada” entre a TIM e Vivo!

1 Like