Porque o mercado de Notebooks/Desktops está retraído?

Tenho percebido isso nas lojas online, não tá tendo tanta opção mais desses tipos de computadores. Eu para comprar um Dell Inspiron Gamer no qual eu paguei 2.800 a uns anos atrás já não tem mais disponível esse modelo no site da Dell. O Meu irmão tem um Dell XPS 8900 que pagou 4.000 nele, já não tem mais esse modelo que ele comprou. E o que tá disponível e 9mil r$. Eu gostaria de comprar um novo computador daqui a algum tempo. E se eu quiser ter um bom, eu vou ter que comprar as peças e montar. O que voces acham disso?

O mercado de desktops já faz um tempo que tem reduzido, o que é meio esperado já que as pessoas buscam por mais mobilidade.

Quanto ao de notebooks, nesse momento é o contrário. Com o home office todo mundo está procurando por notebooks, o que afeta os estoques. A produção de componentes também está reduzida. Nesse contexto de oferta/procura os preços dispararam.

Sinceramente, a não ser que você tenha muita necessidade agora, seria bom esperar a situação melhorar

2 Curtidas

Eu faço essa pergunta, só para saber a opinião das pessoas. Enquanto a compra vou pensar um pouco

1 Curtida

O mercado de desktop/notebook anda meio parado se comparado ao de celulares, mas ainda tem seu folego.

Tem vários fatores:

  • Quando tu monta um computador para uso normal/home office, você tem um computador por no minimo uns cinco anos. (Até um computador para jogos roda coisa atual se tu não se importar em diminuir a qualidade)
    Por exemplo, meu computador “antigo” é um AMD FX-6300 [CPU de 2014], 2x4GB e SSD SATA. Ele consegue lidar tranquilamente com muita coisa. Incluindo internet, MS Office, VPNs, VNCs, maquinas virtuais e etc. (Ele roda até Monster Hunter World em 720p, low, 45-50fps - exceto nos mapas com a praga da Velkhana… ai cai pra 10-12fps. hahaha)

  • Outra motivo seria a situação atual: desabastecimento mundial por causa da paralização da maioria das fabricas por conta do COVID. (Fonte de qualidade no Brasil tá super caro e dificil de encontrar, tanto que eu precisei usar fonte do meu FX-6300 no Ryzen e a fonte do E5200 no FX-6300…)

  • No Brasil ainda temos mais o dolar absurdo que está insistindo em estabilizar entre 5,30 e 5,50…

Então, eu tinha um Intel Core I5 de 3geracao. Agora tenho um AMD Ryzen (Dell Inspiron 5675 Gamer) ele até tem placa de vídeo off. (AMD Radeon) e roda uma boa parte dos jogos que tem por aí. Tipo, CS (Counter Stricke) mas outros só roda no mínimo. Fiz um teste no Can You Run It (e os resultados foram bem abaixo do que eu esperava) tipo, 90% no mínimo e outros tantos no recomendado) mas eu tenho XBOX One S e Nintendo Switch.

Retraído no Brasil. Com esse dólar e a economia em crise, pouca gente compra.

Nos EUA está normal, inclusive com modelos que jamais chegarão oficialmente ao Brasil, como os Surface.

Esse fim do seu comentário era o que eu ia dizer.
Um dos motivos dessa retraída é que consoles estão ficando cada vez mais vantajosos em relação ao PC Gamer, antes desse aumento brusco dos preços dava para encontrar um PS4 por uns 1500, esse valor era mais baixo que os Moba Box que a Nvidia lançava em parceria com algumas marcas que geralmente vinham equipado com um FX6300 e uma Geforce 1050. Além do preço os consoles ganham em tamanho físico, sendo menores que os PCs, sendo assim mais fáceis de se manusear/carregar e de não atrapalharem, pois, um PC requer um móvel exclusivo para ele.
É verdade que os desktops podem ser atualizados, mas no console, eu não tenho que ficar pensando se meu hardware é suficiente para jogar algo, se tem versão para o meu console, então roda. Verdade que não com o mesmo desempenho que um PC top de linha, mas roda. PC ao meu ver está virando coisa exclusiva de entusiasta que quer ter tudo no máximo e com números enormes, afinal qual a necessidade de rodar um jogo a 360FPS? ou mesmo 144?

Nem me lembra do Switch. Fui comprar um para quarentena… Deu problema com o vendedor e quando devolveram o dinheiro já estava naquela palhaçada dos 5 mil…

concordo, e complemento:

Aparentemente, temos 2 linhas de “usuários”:
Gamers hardcore, que devem focar em PC com tudo no extremo, e que buscam sempre ter a ultima configuração.
Gamers rotineiros; pessoal que basicamente usa um notebook pra trabalho, e que baixa alguns jogos para algo ocasional (e não se preocupa com fps, resolução, etc), e que prefere um console para jogos mais longos e/ou avançados.

pensava em trocar meu note antes da pandemia, mas como as opções eram poucos, preferi manter ele (Asus X550LN) e colocar uma SSD de 120gb.

Na duvida, se transformo a gaveta de CD/DVD em uma 2 partição e coloco um Hd normal de uns 500gb 1T, ou se mantenho a gaveta, e invisto em HD externos com capacidade maior.

De qualquer forma, pretendo adquirir e montar varios HD externos, com meus acervos de documentos, cursos, filmes, anime, etc

1 Curtida

Acho que o termo rotineiro não serve aqui. O termo não seria casual?

Eu ajudei alguns amigos nos últimos 3 meses a pesquisar notebooks e os preços estão muito altos mesmo. É como vários colegas comentaram ai em cima, o cenário de pandemia promoveu a alta dos preços pro conta da alta demanda (home office) e pela redução da produção dos componentes. Eu recomendaria esperar um tempo caso não for realmente essencial um notebook/pc mais potente nesse momento.
Por experiência própria eu vi que colocar um SSD dá uma boa sobrevida ao noteebook caso ele já tenha configurações razoáveis, eu tinha um Dell inspiron do final de 2012, com i7, 8GB de RAM e GTX 630m que ao trocar o HD para SSD ficou suave e passei ele para um casal amigo meu que estava precisando de um pc e está sussa. Talvez seja seu caso.

1 Curtida

É basicamente dólar, faz mais de 10 anos que dólar sempre cresce e hoje está mais de R$5,00. E isso impacta em cascata.

No Brasil, tem o “problema” dos benefícios fiscais: os notebooks “fabricados” aqui pagam menos impostos, mas continuam suscetíveis ao dólar já que as peças são todas feitas lá fora. Os importados, que são basicamente todos os high-end com exceção do XPS 13, refletem todo aumento do dólar mais os impostos adicionais.

Lá na época do dólar a R$2,00 havia ainda benefícios fiscais para notebooks/computadores baixo de R$3000,00. Até importados na faixa dos $999,00 entravam nesse desconto, hoje não deve sair menos de 7K vendido legalmente.

1 Curtida

Este tópico foi fechado automaticamente 30 dias depois da úlima resposta. Novas respostas não são mais permitidas.