Phil Spencer defende emulação como forma de preservar jogos

1 curtida

A declaração do Phil, somado com o simples fato do serviço de retrocompatibilidade ter sido descontinuado só serve como evidencia de que o sistema de copyright atual certamente atrapalha, e muito a preservação de games.
Longe de dizer que vestir o chapéu de Jack Sparrow deva ser glamourizado, mas quando temos uma indústria que literalmente acaba por colocar suas obras em um limbo graças a obsolência, fica difícil não advocar pela emulação e pela cópia de ROMs por preservação.

2 curtidas

Exatamente! A turma do Xbox foi bem clara ao dizer que o empecilho jurídico foi o que fez com que o programa fosse descontinuado. Uma pena, pois vinham fazendo um trabalho sensacional e mostravam muito respeito ao consumidor e seu investimento em games.

2 curtidas

Ah, a Nintendo já faz algo do genero… mas tu tem de comprar os jogos, não é no oba-oba de emuparadise. hahaha

Ai o pessoal surta pelo fato de ter de comprar os jogos. hahaha

O ruim da nintendo era que tinha que comprar em todos os consoles, se vc queria jogar no DS e no wii tinha que comprar nos 2 o mesmo jogo, não era que nem o PSVita e o PS3/PS4 que tinham compra casada, você comprava em um e ganhava no outro também.

Devia ter uma lei que, após 20 anos, qualquer retrocompatibilidade ou emulação oficial fosse permitida sem problemas de copyright.

Mas a lei de copyright já da um limite, o copyright não é eterno.

Sim, mas pra games tem que ser bem menor e oficializada. Se isso demora muito pra jogos, alguns podem simplesmente sumir, principalmente jogos de nicho e impopulares.

Isso não tem como resolver. Os cartuchos nem tinham um identificador unico não falsificável para resgatar… acho que na próxima geração em diante bem que poderia ter algo do genero…

Mas é a mesma coisa que os jogos atuais, se tu compra no PC, mas quer jogar no PS5, tem de comprar a do PS5. à menos que eles te garantam a versão do PS5 de graça, mas é incomum acontecer isso

Tem que ser discutida na indústria de games a questão da preservação de jogos antigos.
Talvez uma lei de direitos autorais que permita a entrada de consoles e jogos em domínio público após 20 anos caso um console ou jogo não seja mais comercializado seria uma boa ideia.
As empresas, no entanto, preferem atualmente remasterizar jogos antigos em plataformas recentes para continuar lucrando.
Porém, existem inúmeros jogos que nem são mais comercializados e não receberam nenhum remaster ou remake ou Port para sistemas recentes.
A emulação legalizada pode ser uma alternativa, desde que o preço dos jogos seja inferior ao dos jogos de hoje.
Há iniciativas de emulação legalizada, como a dos consoles da Sega, no PC e no Android, mas é insuficiente.

Mas é renovável… Como a Disney, por exemplo, que de tempos em tempos altera algum aspecto visual imperceptível no Mikey para que este não caia em domínio público.

1 curtida

Não é bem renovável, a versão nova vai ter copyright a antiga quando der o tempo perde, por exemplo essa versão já é de domínio publico.