Para onde o mercado de micromobilidade está se movendo?

O problema mais chato com essas bicicletas com estações não é quando não tem bicicleta pra pegar, e sim quando não tem vaga para estacionar.

Lembro que em uma viagem eu peguei uma bike do Santander. Cheguei até o meu destino e tive que andar por mais uns 10 min pra achar vaga, pra depois voltar tudo a pé.

a micro mobilidade para dar certo, precisa de um nível educacional e ética muito alto, infelizmente, somente em países como Finlândia e Japão conseguem, o resto do mundo, inclusive nós, não conseguem.

já ouvi relatos das pessoas jogaram não só o patinete, mas carro também, no Rio Pinheiros, fica dificílimo investir em um negócio que o retorno seja a longo prazo e tem muita chance de não ter retorno

Difícil imaginar dar certo, em terras tupiniquins.

Mas tem “corajoso” que tenta.

Tinha o problema do preço, que era bem caro e as vezes valia mais a pena chamar um uber ou taxi. Outro problema, pelo menos pra mim, era a desorganização e a falta de consideração dos usuários da modalidade dockless.
Era um pé no saco andar e ver patinete e bicicleta largados no meio da calçada ocupando metade dela ou largados na rua, encostados no meio-fio. Eu via isso e só torcia pra esse modelo dockless falhar miseravelmente.

Até comentei no Tecnocast: me mudei para São Paulo no final de 2018, e foi por aqui que me familiarizei com essa coisa de patinetes e bikes compartilhados (não tinha na minha antiga cidade). A forma como conheci esse modelo de locomoção foi um pouco arbitrária, já que, bem, ele aparecia toda hora no meu caminho, quase sempre largado no meio da calçada. O dockless realmente trazia problemas demais e em várias frentes diferentes.

Olha, certamente tem dificuldades por aqui, tanto de infraestrutura das cidades quanto de segurança. Mas, de acordo com o Maurício Villar no papo que teve conosco pro Tecnocast, a parte de segurança pega mesmo no modelo dockless, sem estação. Segundo ele, no modelo que eles operam, com as estações fixas, a média de ativos (bikes) perdidos todo mês é de cerca de 1%, e isso se mantém regular de cidade para cidade.

Eu lembro desse surto. Ideia de jerico demais. Ainda bem que entre o dinheiro de VC minguando, as empresas que tentaram falindo e as prefeituras tendo noção, essa maluquice acabou.

1 curtida