Para evitar demissões, Apple muda política de bônus e amplia congelamento de vagas

1 curtida

Sinal de mudança de hábitos de consumo. Hardware agora não se troca com a mesma frequência do que se trocava antigamente. Antes pra smartphone a média era de no máximo 2 anos, aumentou pra 4-5 anos. Tablets já era longo e computadores idem. Aí entram os gadgets que também passam bastante tempo sem ser trocados. E a cada lançamento não entra nada de exatamente revolucionário que valha um upgrade em um modelo do ano anterior ou mesmo de 2 anos atrás.

E chuto aí que a Apple está mantendo os empregos por conta do faturamento com serviços (App Store, iCloud, Apple TV). Se fosse dependente só do hardware pra compor o faturamento muitos empregos já teriam sido limados.

Concordo com a primeira parte, diversos dispositivos estão voltando a ter uma vida útil mais longa. Porém, o faturamento de serviços e wearables (Apple não faz distinção) é apenas 13% do faturamento, Iphone continua sendo o cargo chefe.

A Apple anunciou em 2021 que bateu 1B de usuários ativos no iPhone. Em 2022, ela vendeu 232M de iPhones, isso é ~23% da base de usuários. Portanto, podemos estimar que a cada 4 anos a base toda de usuários troca de dispositivo, ou seja, mais ou menos o tempo que eu e você estimamos.

Dito isso, dá pra concluir que o iPhone é um negócio muito, mas muito sólido, pensando que são, em sua maioria, usuários fiéis.

Fontes:

2 curtidas