O e-SIM é o futuro?

Desde a chegada da tecnologia ao Brasil, com os iPhones XS, XS Max e XR, lançados em 2018, apenas a Apple tem investido na ideia em smartphones, ao menos por aqui. A Samsung, até o momento, não dá sinais de que incluirá o cartão virtual em seus topos de linha, embora já os disponibilize em relógios no mercado nacional. O e-SIM vai vingar?

A comodidade que a tecnologia pode trazer é absurda. Imagine comprar um plano e fazer o download do QR Code e mudar de operadora apenas por app? Pena que aqui no Brasil, Claro, TIM e Vivo não tenham posto em prática tudo o que a tecnologia oferece, tornando-a um mero TDMA moderno.

1 Curtida

Como sempre, operadoras brasileiras são atrasadas (me surpreende até que o eSIM já tenha chegado no Brasil, mesmo que parcialmente). Mas sim, acredito que serão o futuro. Assim como a entrada para fones saiu dos celulares para dar lugar a outros componentes, o mesmo deve acontecer com o SIM card. Querendo ou não, ele ocupa um espaço considerável dentro do celular, e uma hora ou outra vão acabar tirando ele de vez.

Sem contar nisso que você disse, que torna tudo mais prático (na teoria ao menos). Aqui ainda é meio burocrático, mas lá fora é totalmente possível assinar um plano de outra operadora por um app e já configurar ele no celular via eSIM.

Também tem a vantagem de poder “replicar” o eSIM como o Apple Watch faz. Não é uma nova linha para o relógio, mas sim a mesma linha do iPhone que é transferida para outro aparelho. Imagina isso no futuro com outros aparelhos também.

Talvez as outras fabricantes não adotaram ainda por custo, etc, não sei se precisa de algum licenciamento novo ou se a tecnologia é cara de ser implementada. Mas acho que é o futuro sim.

5 Curtidas

O último parágrafo referente ao e-SIM no Brasil já disse tudo!! Tirou as letras do meu teclado!!

1 Curtida

O e-SIM para sabermos da verdade é bem mais seguro contra golpes e clonagens de números de telefone!!

2 Curtidas

Cara… você tirou a minha opinião da minha cabeça e colocou neste parágrafo kkk…

Mas tipo, analisando bem o conceito do e-SIM, me faz pensar que é um CDMA/TDMA da nova geração… pq uma coisa é como se fosse o caso de, sei lá, gerar um login e senha, que você loga em um aparelho para baixar o “chip” e outro é você ter um cartão que é o seu código e-SIM…

E sinceramente dizendo, acho esse método do QR Code uma coisa mais insegura do que qualquer tipo de tecnologia de CHIP… Pense assim: você não precisa estar com o cartão que tem o QR Code pra usar o celular… então ele pode ser guardado, e com isso, é muito mais fácil ocorrer um furto e ter um “”"“SIM SWAP”""" com diversas aspas…

1 Curtida

O e-SIM torna as possibilidades de alteração de número ou operadoras muito simples e facilita para quem precisa por exemplo viajar, imagina que vc vai para outra cidade ou país e precisa se comunicar mais o serviço de sua operadora atual é ruim ou inexistente, nesse momento essa tecnologia se torna um enorme facilitador.
O que mais impede uma tecnologia que saiu em 2013 e até hoje não chegou claramente ao Brasil é o não interesse das operadoras nacionais, a tecnologia não é nova então varias opções de segurança e implementação viáveis já foram desenvolvidas e testadas em outros países, então não é uma tecnologia nova, não uma implantação é uma atualização de tecnologia, mais se beneficia somente o usuário não é interessante, teremos que esperar as operadoras de telefonia desenvolverem uma forma de ter lucro com a mesma, somente depois conseguiremos usar.

1 Curtida

Eu tenho usado o eSIM na Claro em um XR e confesso que antes eu tinha a ideia de ser um “TDMA moderno” e não me animava em usar. Mas o fato de imaginar que se um dia eu for roubado não conseguirão tirar o chip e eu vou conseguir rastrear o aparelho até recuperá-lo (ao menos que o destruam), ao meu ver já é 120% de vantagem.

Sem contar as outras vantagens da tecnologia como mencionado acima, de ter a mesma linha em vários dispositivos.

6 Curtidas

Pelo menos na Claro, o QR Code para de funcionar depois de algum tempo (questão de horas), você não consegue colocar em outro aparelho, precisa ir na loja solicitar outro eSIM.

Uma das promessas do eSim, é a possibilidade de trocar de operadora com um clique (não me lembro se eles mencionaram alguma forma de usar ao mesmo tempo, como é hoje com o físico).

Só isso já me anima a migrar para ele.

Só que vai ser uma looooooooonga transição, como foi do CDMA para o GSM.

1 Curtida

Pior ainda… aí sim podemos dizer que é um TDMA/CDMA, pq se vc trocou de aparelho e ter que ir sempre na loja pra trocar o “”""“chip”"""" de aparelho lembra exatamente como era quando tinha esses aparelhos que a operadora dizia se estava ou não com qual número…

A minha preocupação com o e-sim é referente a segurança. A facilidade de alguém ativar o seu número em algum outro aparelho por exemplo.

1 Curtida

Acredito que tenha alguma autenticação… Algo como usuário e senha, código, etc. Por ser algo tão atual acredito que não seja tão fácil assim de ser “duplicado”.

Já tive a oportunidade de testar e achei incrível a facilidade. Numa viagem internacional tem o problema do chip, ou compra por uma empresa q entregue o chip em sua residência (aí vem aquela ansiedade do chip chegar antes da viagem) ou ao desembarcar no país tem que procurar alguma loja e fazer a contratação de algum serviço.

No último ano fiz diferente, entrei na net, procurei por empresas que ofereçam planos internacionais através de eSim e resolvi minha vida. Contratei um plano, recebi um QRCode e ativei o eSim ainda no Brasil. Quando cheguei no destino o chip já pegou e foi sucesso! E ainda tinha a comodidade de contratar mais GB caso eu precisasse.

eSim pra mim é tendência, especialmente pra quem for fazer alguma viagem internacional, a praticidade e o custo 0 na hora de adquirir um eSim, realmente n tem preço, hehehe!

PS.: tem sites q cobram uma taxa de 10 dólares/euros pra “comprar” um eSim, achei absurdo, mas o q usei n cobrava esta taxa.

Acredito que daqui uns anos a Apple poderá oferecer apenas eSim e forçar a industria a evoluir mais este serviço. Se o Jobs ainda fosse vivo, provavelmente ele já teria forçado a industriar a adotar massivamente o eSim.

4 Curtidas

O problema é que isso mais atrapalha do que ajuda quem utiliza dois chips (pessoal e corporativo OU nacional e internacional (em uma viagem)). Sem falar no povo que quer simplesmente tirar o chip do celular1 e colocar no celular2 e sair usando.

O processo é tranquilo. Vc pode ter quantos eSim cadastrados no celular vc quiser, porém apenas 1 pode ficar ativo por vez.

Pense q vc tem 1 bandeja virtual e pode ter vários eSim guardados numa gaveta virtual.

Inclusive, tem aparelho q permite q vc tenha 1 chip físico e 1 eSim ativos ao mesmo tempo.


A única desvantagem do eSim é pra quem gosta de trocar ou formatar celular o tempo todo. Pois no processo os eSims são perdidos

1 Curtida

Pelo menos no iPhone, o backup do iCloud também restaura o eSIM — desde que seja no mesmo aparelho. E sim, é isso que você disse, dá pra deixar SIM + eSIM ativos juntos e também guardar até 8 eSIM se não me engano pra alternar entre eles.

3 Curtidas

Boa! Tenho um Pixel 3, aqui n vi nenhuma opção de salvar os eSims

Tenho um iPhone XR, minha linha da Vivo particular está no eSim e uso um chip tradicional da Tim(linha do trabalho) ao mesmo tempo. Muito pratico.

2 Curtidas

Sim, acho que é o futuro, mas realmente é preocupante o que pode acontecer se não existir nenhuma legislação ou coisas assim. Veja bem:

Em 2017, por exemplo, eu comprei um Gear S2 com 3G (O GS2 foi primeiro dispositivo com o eSIM) através da T-Mobile. O relógio, infelizmente, não poderia ser desbloqueado, já que mesmo inserindo o código, não possuía mais a página para alteração do eSIM, que havia sido removido via software pela TMobile.

O Google Pixel 2 foi o primeiro celular a vir com o eSIM já em 2017, porém foi só recentemente que a Google liberou a possibilidade de usar o eSIM para operadoras que não seja o Project Fi.

No Apple Watch e Galaxy Watch tbm não são diferentes. Caso vc tenha um modelo diferente dos homologados pelas operadoras nacionais, também não poderá não poderá cadastrar o eSIM, por exemplo.

E pra piorar: você é obrigado a usar somente os planos compatíveis com as operadoras, já que o eSIM desses aparelhos é “especial”, logo não é possível inserir uma linha Pré-paga num smartwatch da Samsung ou Apple.

Como se não bastasse tudo isso, você ainda precisa comprar um novo eSIM card em uma loja TODA VEZ que for trocar de telefone.

O eSIM realmente é o futuro, mas não será tão bom como as propagandas prometem. Infelizmente esse tipo de tecnologia só faz aumentar ainda mais o poderio das operadoras pelo dispositivo.

1 Curtida