Microsoft estuda sistema antipirataria em blockchain da Ethereum

Eles próprios não se esforçam em evitar pirataria.

E tu acha que a idéia de oferecer Office/Windows no modelo Software As A Service surgiu por qual motivo?

Tenho dúvidas sobre a DRM através do blockchain. Uma delas é como o sistema de proteção antipirataria funcionaria sem internet no dispositivo?
Essa técnica poderá ser útil para evitar trapaças em jogos multiplayer online?

1 curtida

Acredito que seja mais para rastrear a pirataria e encontrar a fonte ou coisa do genero do que impedir-la. Até hoje não vi um único DRM que continuou 100% efetivo depois de um tempo. Então provavelmente não funcionaria 100% nem mesmo com internet…

Pelo que eu entendi, essa idéia da Microsoft não tem muito a ver com trapaças de jogos online.

O modelo na teoria é ótimo. Mas na prática se esbarram em alguns problemas, tipo:

  • Dispositivos que não se conectam à internet; e/ou
  • Usuários que bloqueiam a comunicação dos serviços de telemetria do Windows.

Esse último, aliás, o que mais tem é programa pra fazer.

@Anderson_Antonio_San o problema do blockchain é o tempo de processamento. Pra games online, a detecção da trapaça precisa(ria) ser instantânea. O blockchain demora minutos pra processar uma requisição, o que torna o processo inviável. PODE ser útil pra detecção sem banimento instantâneo, como algumas empresas costumam fazer e de tempos em tempos fazem “ondas de banimento” de milhares de contas por utilizar algum tipo de trapaça.

Este tópico foi automaticamente fechado após 92 dias. Novas respostas não são mais permitidas.