Meta pede fim de segundo que ajusta relógios à rotação da Terra

Vovó Mafalda já avisava: são 5:60!

6 curtidas

Não faltou colocar um “em média” no post?

Bloco de Citação
Em 1972, a rotação da Terra durou em média aproximadamente 86.400,003 segundos; em 2016, em média 86.400,001 segundos.

1 curtida

Acho que essas bizarrices já deveriam ter sido extintas a muito tempo. Quem precisar usar tal precisão, que rode em seus sistemas de forma isolada. Agora aplicar isso num padrão usado por todo mundo para seguir os horários que nós humanos estamos acostumados é pedir para causar problemas.

Não, pois esse numero não se refere ao dia, mas sim ao ano todo.

Lembro do Bug do Milênio, o povo todo com medo de uma catástrofe, criança nascendo com chifres, bezerro de duas cabeças… pera, isso foi no seriado.

Mas voltando ao assunto, um mísero segundo brickar vários servidores pelo planeta é bizarro!

1 curtida

A IA que se vire…:joy:

4 curtidas

Eu já estou satisfeito com o fim do horário de verão.

1 curtida

A ONU é de uma agilidade que me faz até achar que o Congresso Nacional não é tão ruim.
“Encomendou um estudo em 2015 e vai voltar a se reunir em 2023.” :rofl:

Tempos modernos, tecnologia em tudo quanto é canto, literalmente 1 segundo para o fim do mundo kkk

Bem observado, faltou sim. Obrigado!

1 curtida

É como pedir o fim do ano bissexto porque não sabe programar o cálculo e o tratamento correto do dia 29 de fevereiro…
Francamente quem concorda com a meta é um preguiçoso que devia sair do ramo.

Bizarro é não querer programar.
Quer sumir com o ano bissexto também pra facilitar a programação do seu calendário?!?

Como @centauro explicou abaixo, o ano bissexto é previsível e de fato mais importante, já que em poucos anos ele causaria uma enorme discrepância nas datas.

Já o segundo intercalar, além de ser uma variação de tempo ínfima, não tem uma recorrência pré-definida. Então sua aplicação além de danosa aos sistemas, também não muda muita coisa para nós meros mortais nem com muitos anos de não aplicação.

Por isso, em favor da praticidade, eu preferia que um sistema de horários globais não contasse com tais peculiaridades “bizarras”.

A principal diferença entre ano bissexto e segundo intercalar é que ano bissexto é fixo e fácil de calcular, segundo intercalar é anunciado, no máximo com 6 meses de antecedência e não é um evento regular.
Aqui a tabela mostrando as vezes que esse segundo foi adicionado:

Date MJD Date MJD Date MJD Date MJD
2016-12-31 57753 1998-12-31 51178 1989-12-31 47891 1979-12-31 44238
2015-06-30 57203 1997-06-30 50629 1987-12-31 47160 1978-12-31 43873
2012-06-30 56108 1995-12-31 50082 1985-06-30 46246 1977-12-31 43508
2008-12-31 54831 1994-06-30 49533 1983-06-30 45515 1976-12-31 43143
2005-12-31 53735 1993-06-30 49168 1982-06-30 45150 1975-12-31 42777
1992-06-30 48803 1981-06-30 44785 1974-12-31 42412
1990-12-31 48256 1973-12-31 42047
1972-12-31 41682
1972-06-30 41498

Fonte: Leap second and UT1-UTC information | NIST

A única consistência é que ele é adicionado em 30 de junho ou 31 de dezembro. Tem ano que é adicionado duas vezes, tem ano que não é adicionado e o intervalo não é fixo.
Como eu não sei como funciona o código nos servidores, eu não sei quão simples e efetivo é programar uma solução para um horário que ocorre de maneira irregular. Impossível não é, claro, porque hoje é o que fazem.

Faz diferença no longo (longuíssimo do ponto de vista individual) prazo.
Em mais ou menos 1500 anos, uma diferença de 11,2 minutos entre o ano Juliano (adotado por Júlio César em 46BC) e o ano solar fizeram esses dois sistemas de medição estarem 13 dias desincronizados. Em outras palavras, o verão em 46BC começava e terminava 13 dias antes no calendário Juliano do que em 1500DC (What exactly is a leap year and why is it important?). Isso afeta a agricultura, principalmente, mas também datas religiosas comemorativas (como os celebrados no solstício de verão ou inverno, por exemplo).

1 curtida

Puts, havia me esquecido disso, ai se tirar realmente piora tudo.
Mas como você também explicou ele é mais previsível, então é um “mal necessário” mais fácil de ser aplicado nos sistemas.

Discordo absolutamente deste pedido do fim do segundo intercalar de todas estas empresas, pois a tecnologia é flexível o suficiente para se ajustar a estas alterações naturais do tempo e espaço sem problemas significativos !!! … Ridículo isto !!! … :fist:t2::fist:t2::fist:t2::fist:t2::fist:t2::fist:t2::fist:t2: !!! … :raised_hands:t2::raised_hands:t2::raised_hands:t2::raised_hands:t2::raised_hands:t2::raised_hands:t2: !!! … :+1:t2::+1:t2::+1:t2::+1:t2::+1:t2::+1:t2: !!! … :clap:t2::clap:t2::clap:t2::clap:t2::clap:t2::clap:t2: !!! …

Em vez de fazer isso 2 vezes por ano poderiam fazer a cada 5 ou 10 anos, assim não se acumula uma diferença no longo prazo nem tem de fica toda hora lidando com esse problema.

1 curtida

A rotação ocorre todo dia, 365 (ou 366) vezes por ano, sendo que de um dia pro outro pode haver uma variação de 0,75ms, portanto não dá pra se falar de um ano ter uma duração específica pra rotação, o que dá pra fazer é uma média. O autor alterou o texto com a sugestão dada.

1 curtida

O problema é que a variação não é constante ano a ano.
Exemplo disso é que entre 1998 e 2005 não tiveram que adicionar nenhum segundo extra porque a variação acumulada nesse período não foi o suficiente.

Então se fixar um intervalo para adicionar tempo, o tempo a ser adicionado terá de ser diferente toda vez.
Se fixar o tempo a ser adicionado, o intervalo para adicionar o tempo será diferente toda vez. E é essa a opção adotada.