Lembra de quando a AMD ameaçou a supremacia da Intel?

1 curtida

Curiosamente a Intel chegou primeiro com um processador 64-bit, o Itanium. Mas ninguém comprou a ideia (ou o produto em si). Veio o AMD Athlon 64 e a matéria já explana bem. Apesar que o vanguardismo da AMD não se refletiu no software, que demorou anos pra ter versões nativas 64-bit de SOs e softwares.

E de mais a mais, a Intel vence a AMD pela capacidade de produção. Por mais que a AMD tenha (ou tivesse) um produto melhor, a Intel era capaz de suprir a demanda de OEMs e integradores sem maiores problemas. E com o boom da computação pessoal, essa demanda se tornou exponencial. Hoje mesmo algumas marcas como a Dell tem pouquíssimos modelos baseados em AMD justamente porque a empresa não fornece uma fração do que a Intel é capaz nessa questão [demanda].

Enfim, competição é sempre saudável. Mas no mercado atual a Intel já sentiu o baque de ter produto inferior. Nos desktops e notebooks ainda consegue bater a AMD na demanda. Mas nos mercados corporativos (Workstations e Servidores) todas as empresas que fizeram upgrades de parque de máquinas e datacenters nos últimos 4, 5 anos dificilmente não optaram por AMD. O disparate é tão absurdo que o melhor que a Intel tem a oferecer a AMD oferece muito mais barato como produto de entrada. E aqui, novamente, entra a barreira do software. Quase nenhum software do mercado é capaz de aproveitar o absurdo desses processadores.

Nessa prosa toda o que vale (pra mim) é o que vai atender a minha demanda.

1 curtida

O Itanium fracassou pois ele não era retrocompatível com o x86, precisava recompilar todos os softwares para ele, mesmo motivo do ARM até hoje não ter presença forte nos notebooks.

2 curtidas

Eu nasci em 1983 e peguei muita tecnologia velha como nova em Portugal. Eu lembro de me jogar eu acho w era um ibm 8022 não me recordo ser floppy disk 1/2 daquela q trava ou já as pequenas de 1.44 MB. Era tudo por dos pois o windows 2.1 / 3.1 eu não me lembro sei q era tudo escrito sem mouse sequer tudo por cmd,e o text letras brancas e fundo azul, era tudo criado com cmd até criar pastas. O meu primeiro Pc foi um Pentium 2 mmx com seus 32 MB de ram e um hdd de 5 gb e veio com Win 98 plus mas fiz upgrade pra SE. E tinha uma voodoo com sound blaster 16bits era muito bom pra games e programas, lembro o mais a frente meu Pentium 3 ser ainda mais rápido w os primeiros Pentium 4 kkkk e foi aí q amd atlon começou a bater frente. Atualmente estou com amd Ryzen 3 apesar destas décadas com a Intel mas eles pararam de inovar, e se tudo está bem barato e pq tem a amd batendo de frente.

Eu só lembro que as holding que mandam são dona de ambas e o povo fica se dividindo kkk

Vivi essa época também. Mouse não era realidade nos PCs e o MS-DOS era o que dominava. Vivi bastante na AMD com o K6-2 450MHz, depois passei pelos Athlon X2, Phenom II X4 e acabei que voltei pra Intel porque a AMD não trouxe nada de novo. Máquina relativamente antiga aqui (Core i5-4460) mas que ainda serve bem mas a caminho de um upgrade para breve.

Entendo perfeitamento o Senhor. Bem eu não consideria o i4 4gen antigo mas sim a 2 e 3 gen, mas é tudoi muito relativo, pois se é algo casula serve para mais uns 5 anos, verdade é que vivemos num mundo de consumismo, tem muito monitor CTR com melhor resolução que os atuais monotores, tal como CD foi boa invenção mas perdia em qualidade para o vinil.Nasci na ERA de ouro onde tinha q estudar e instalar o “Microsoft Encarta Encyclopedia 97”, onde nós temos wikipédia e outros sites, o modem RDIS o meus DEus kkkk 56 kbps demorar uma eternidade mesmo sites simples, onde download de 100 mbs era um tormento de 100 gb de hoje kkk (talvez pior).Eu acho que tive um amigo meu que teve Phenom mas queimou pq não colocou pasta térmica coisa que não acontece na altura com intel… Eu acredito que a AMD está indo muito bem agora.

Isso é uma piada ou desconhecimento das tecnologias? :thinking:

O buraco do Itanium é muito, mas muito mais embaixo. Não era só a necessidade de recompilar (ou fazer tradução binária) de softwares, é que ele era uma bela porcaria mesmo.

Tive um Compaq Presario com um K6-II 475MHz que me deu bastante dor de cabeça (mas não por causa da CPU). Parecido com esse dessa foto que eu surrupiei (mas menos amarelo e com adesivo falando dos recursos).

2 curtidas

Itanium teria tido uma chance (mesmo sendo ruim) caso fosse compativel com o x86, como foi feito não tinha nenhuma chance de ir pra frente.

Não tenho saudade da ninha placa mãe SIS que usava no meu k6-2, como era ruim aquela placa.

Eu queria um case desses para colocar um Ryzen 3 7xxx… Seria bem top. hahaha (Sim, eu sei que AINDA não foi lançado)

Olha o rico com placa mãe SIS. Eu tinha uma PcBoard com K6 233MHz original… (Para quem não lembra das PcBoards… seria como se PCChips e ECS tivessem um filho e surgido um filho problemático de uma quinta linha… hahaha - ainda tenho a mobo, acho)

1 curtida

Curto ameaças saudáveis às soberanias. Gostava de ver as tentativas da AMD em desbancar a Intel. Inclusive o que mais curto hoje é ver a Intel comendo poeira franca quando comparam com os M1 da Apple, mostrando o desespero e a acomodação da companhia em relação a alguns assuntos.

Mas meu AMD K6-2 500MHz curtia uma pastinha térmica, esquentava horrores.

Olhando para o passado não sei pq aquele dissipador e cooler eram tão pequenos, projetaram aquilo só para lugar com neve.

Fui irônico, até porque sempre houve disputa entre os dois qual melhor pode ler este artigo O Som do Disco de Vinil é Realmente Melhor? - O Som do Vinil , sempre no fundo dependia de como gravado e claro q forma general cd tinha ótima qualidade, mais faixas ou trilhas sonoras, ainda hoje tem a disputa do wav versus mp3 e acc. Vc pode escutar que wave tem melhor qualidade em princípio mas ocupa muito espaço, eu não vou dar aula disso… Falei ironicamente que cd tem melhor qualidade mas não tão inovadora (como o mp3 por exemplo).

Alguém conta pra ele sobre os 7xxx? hahaha

Cara, desculpa, mas esse texto que você linkou é completamente tendencioso.

Está se comparando duas coisas que não são comparáveis, pois uma é um áudio analógico e outra digital. Os processos não seguem as mesmas grandezas pra entrarem num mesmo gráfico.

Em resumo, o que se dá pra aferir de ambos é a faixa dinâmica com que o áudio consegue ser reproduzido, a distância entre o som mais alto e o mais baixo. Um Vinil tinha teóricos 80dB (que são afetados até por sujeiras no disco ou por gravações mal feitas), já no CD esse limite é de em torno de 150dB.
Esse “limite” do vinil se dá a fisicalidade como o som é construído e lido ali dentro. Pra aumentarem a “resolução” do áudio gravado nos bolachões, aumentou-se os RPM das toca-discos para em torno de 33 ou 45 rotações por minuto. Mais que isso reduziria drasticamente os incríveis 20 minutos de som de cada lado.

O que muita gente acha que o som do vinil é “melhor” se dá por um processo de masterização diferente, e não porque ali “está exatamente o que o artista queria” como esse artigo que você linkou. Assim como alguém ouve pelo YouTube e pelo Tidal e acha que o Tidal é muito superior, enquanto na verdade são masters diferentes.

Se quiser se aprofundar, recomendo: Myths (Vinyl) - Hydrogenaudio Knowledgebase

3 curtidas

Itanium nasceu pra ser uma alternativa pra workstations/servidores, em vez da meia dúzia de arquiteturas que usavam na época pra isso (MIPS, Alpha, etc). O problema é que era ruim.

1 curtida

A Intel não consegue mais bater a AMD em notebooks e desktops com essa nova linha.
O problema da AMD for ser apenas compatível com ddr5

MIPS ainda é muito forte no mercado

Ano que vem a intel vai seguir o mesmo caminho e cortar o suporte ao ddr4, unica diferenca é que a amd se adiantou um pouco nisso.