Lei na Flórida proíbe Twitter e Facebook de banir políticos

Canseira demais estes políticos, criando leis para o óbvio!

Mas é claro q rede nenhuma pode (ou quer) banir ninguém. Maaaaas, se o sujeito, seja ele quem for, estiver abusando de sua influência para prejudicar o povo, é mais do que correto banir este serzinho das redes.

Deleta essa lei aí pq n faz sentido. A responsabilidade de se manter ou não nas redes é do sujeito e não da rede em si.

Quer ficar nas redes? Se comporte e não xingue a mãe de ninguém.

bjs!

Eu fico meio em cima do muro com relação ao banimento de contas em redes sociais, seja de políticos ou não. A grande questão é: as redes sociais são apenas a ferramenta para o compartilhamento de ideias ou elas tem o direito de fazer a filtragem do que pode ou não ser dito? Ao controlar o que é publicado, as redes sociais estão assumindo um papel de censoras? Se já existem leis que banem excessos, as redes sociais estariam se sobrepondo ao Estado?

4 Likes

Não tendo abusos, n vejo problema da rede banir famosos/influentes que desrespeitam os termos.

Banimentos coerentes com termos coerentes com as leis, fica difícil alguma rede banir alguém que não mereça.

O próprio caso do Trump pode ser usado como exemplo, ele espalhava fake news a rodo com o intuito de se beneficiar com isto. Provavelmente a red alertou que o que ele faz não tá certo e deve ter pedido para parar com a prática. Ele continuou ferindo os termos… foi banido! Não há problemas aí.


E tb, qualquer banimento sem motivo claro/injusto pode ser revertido na justiça e a rede ainda pode ter q indenizar os prejudicados.

5 Likes

Todas as redes sociais ou plataformas possuem diretrizes e políticas de uso. Se ferir estas regras, cabe sanções, que abrange para casos mais graves o banimento.

O que precisa ser esclarecido é justamente esses gatilhos para o banimento. Uma coisa é certa, estado não tem que intervir em diretriz de banimento de plataforma privada alguma.

6 Likes

Toda rede tem termos de uso, mas parece que esse pessoal aí clica no aceitar sem ler, desrespeita as regras e depois vem reclamar.

4 Likes

Só Twitter, Facebook e outras redes sociais proibirem políticos da Flórida de sequer criar contas. :man_shrugging:

Para depois elas se foderem nas mãos dos Republicanos e Democratas? Pode esquecer, a última coisa que as Big techs querem e ficar de cara a cara com esse pessoal.

Resumindo: é uma lei vai proteger aqueles Republicanos e Democratas mais extremos (ala Donald Trump e Bernie Sanders)

Podem.

São empresas privadas e tem termos de uso, se o cidadão não respeita pode ser banido sim.

Por essas e outras que eu agradeço as leis dos estados brasileiros não terem tanta autonomia.

Acho que o problema é que é tudo muito subjetivo, falta objetividade nos termos de uso, nada é muito claro. Por exemplo, se o movimento terraplanista fosse relevante e socialmente aceito e eu postasse objetivamente que a Terra não é plana, eu poderia ser banido por estar promovendo discurso de ódio por ter ofendido terraplanistas, independente da veracidade do que foi postado. Logicamente é um exemplo, mas já aconteceu de mensagens objetivas serem classificadas como discurso de ódio.

1 Like

Elas não se sobrepõem ao Estado, pois o Estado tem o poder de cercear o cidadão de uma forma geral, enquanto as redes sociais apenas de falar que X pessoa não é mais bem-vinda ali.

É mais ou menos como você impedir de um desafeto seu entrar na sua casa, ali é uma propriedade privada e você não quer a convivência com aquela pessoa.

Poder, ela pode. Querer, provávelmente não… só quando o pentelho é tipo o Trump. Ai sim eles querem banir. #FirstUSAPresidentBannedFromThreeSocialMediaInLessThanAYear. lol

Xingar a mãe dos outros nem dá problema de banimento. hahaha

Quase isso, só tem a diferença que rede social é mais um espaço público de uma organização privada que um espaço privado de uma propriedade privada. Ao meu ver, o mais adequado seria comparar à uma loja ou restaurante e um mal cliente/maluco que só arranja confusão. (No Brasil, se não me engano, é proibido se recusar à prestar um serviço caso o cliente esteja disposto à pagar. - O que é diferente nesse caso, já que o Twitter não cobra nada.)

Pela natureza aberta das redes sociais e dessa gratuidade, não passa pela cabeça de muitas pessoas que são grandes empresas lhe ofertando um serviço (que tem termos de uso).

Lá nos primórdios das redes sociais, não se tinha essa consciência de vida pública (e toda essa exposição dos ecos da mente e posicionamentos). Só que de lá pra cá a sociedade evoluiu, e passaram a olhar para essas as plataformas de mídias sociais e ver o potencial (de segmentar público e atingir esse público) e claro, não demorou muito para ligarem 1+1 e verem o poder que tinham nas mãos .

Aquela natureza orgânica de postar algo e seus amigos reagirem, não existe mais. Tudo isso foi substituído por métricas de crescimento, tanto por parte das pessoas, como dessas empresas que dependem de inflar a base para rentabilizar em cima.

Hoje estamos vivendo a convergência de muitos movimentos (privacidade, caráter social dessas plataformas, responsabilidade das mídias sociais com relação ao conteúdo que é propagado), que vão moldar o que essas plataformas serão nos próximos anos. Justo a isso estão havendo diversos processos de regulamentações mundo a fora, que querendo ao não irão influenciar no posicionamento dessas empresas.

Todo esse conjunto de regras do que é aceito ou não, ainda é muito tendencioso. São termos muito amplos, que permitem um peso e duas medidas. A verdade é que para essas empresas que vivem de engajamento, não é viável acabar com os problemas. Elas tem esse poder, mas preferem usar de forma macro, porque no fundo é isso que move a plataforma. E no momento em que estamos, de sentimentos superlativos, os problemas do mundo real, se confrontam com os do mundo virtual e essa linha de certo e errado se torna borrada.

Cada vez que alguma autoridade de estado tenta intervir, é preciso olhar com muita atenção. Porque os impactos são profundos e amplos. Enquanto a empresa puder decidir sobre seu conjunto de regras, sempre haverão outras plataformas antagonistas, para aquela outra parcela de público que discorda de tal postura.

Certamente um tema amplamente complexo, e é uma pena que quem tomara essas decisões muitas vezes mal tem familiaridade com o tema.

Sou a favor de banimento sim, desde que autorizado pela justiça do país vigente. Simples assim.

Xingar a mãe foi só modo de falar! :rofl: E infelizmente isto é mentira.


Então, sobre querer/poder, a rede n pode banir ninguém só pq ela não foi com a cara. Na prática ela até pode, mas tem consequências e se o fizer, cabe processo e terá que reverter se n tiver uma boa justificativa. Se o usuário for um influente então, aí é pior ainda.

Redes sociais (e serviços em geral) geralmente não banem simplesmente só porque não foram com a cara, banem porque a pessoa realmente abusa ou faz muita besteira. E sim, como em qualquer lugar o usuário deve ter o direito à se defender. Mas a rede social tem sim o direito de moderar ou banir quem não se adequada à um nivel razoável.

As plataformas avisam 1, 2, 3 vezes antes de banir, se o cidadão continua infringindo as regras tem que ser removido.

O que as pessoas não entendem que nenhum direito é absoluto, isto é, ninguém tem liberdade de expressão para fazer discurso de ódio ou incitar a violência por exemplo.

Acontece que as pessoas, inclusive políticos mimados, esquecem que junto com grandes poderes/direitos vêm grandes responsabilidades. Só querem o poder e quando precisam se responsabilizar pelo que fazem/falam jogam a culpa nos outros.