iPhone 17 pode ganhar versão Slim; entenda possível mudança

Que confusão!

4 curtidas

a cada novo nome, se incrementa um item, e continuam não agradando o publico em geral.

mini (tela reduzida para melhor comodidade de usar só com 1 mão) > plus (tela maior para consumir mais vídeos/streaming) > slim (mais fino com peso menor) > turbo (com bateria maior) > photograph (com 5 câmeras em 8k) > …

Assim como a Samsung na linha S, ter 4-5 aparelhos causa a sensação de que mais atrapalha do que favorece as vendas dos demais aparelhos.
O ideal aparenta ser 2-3 modelos novos, e realinhar os do ano passado.

2 curtidas

Qual linha S teve 4 ou 5 aparelhos? As mais atuais, pelo menos desde o 10 só tiveram 3. A q eu lembro de diferentona, lembro o S4 q teve além do normal o mini e o S4 zoom, mas ainda sim 3.

Edit: ok, tem os FE, esqueci deles. Então tem 4 desde o S20, mas ainda assim acho q ainda é claro o suficiente.

1 curtida

Antigamente, a linha S era
Galaxy S4
Galaxy S4 Duos
Galaxy S4 Zoom
Galaxy S4 Mini
Galaxy S4 Mini Plus
Galaxy S4 GPE (Google Play Edition)
Galaxy S4 VE (Value Edition)
Galaxy S4 Active

5 curtidas

RAPAZ
Isso sim é uma salada.
Confesso q nem sabia da existência de metade desses aí, especialmente o GPE e VE.

Era uma salada mas também não precisa exagerar, dessa lista aí o S4, S4 Duos, S4 GPE e o S4 VE eram exatamente o mesmo aparelho em questão de design e hardware, única diferença era aceitar dois SIMs (no caso do Duos), vir com Android “puro” (no caso da Google Play Edition), ou já sair de fábrica com o Android KitKat (no caso da Value Edition)…

1 curtida

Mas até aí to com o Tori nessa, ser era vendido e/ou marketado como outra coisa, era outro aparelho. Vale a pena citar. Pq se não, “muda só a tela” seria a mesma coisa tbm.

1 curtida

o questionamento que fiz é no sentido de ter “excesso” de variações/modelos e dificultar a escolha do consumidor.
Linha S, é até bem definida e objetiva entre si, mas com a “diferenciação” dentro da mesma geração (processor Snap no ultra e Exynos nos demais), e o do ano anterior; que possui poucas mudanças para o do lançamento, parte do publico se sente atraído em adquirir um S23 Ultra do que o S24+ por exemplo.

Desses que eram o mesmo modelo, vendido globalmente foi só o S4 e S4 Duos, e a Value Edition substituiu ambos quando chegou no mercado, cerca de um ano depois (a diferença era literalmente sair da caixa já com o Android atualizado).

A Google Play Edition só foi vendida nos Estados Unidos e o foco eram desenvolvedores, tanto que custava mais caro que a versão normal e não era vendida no varejo, somente online…

O ideal deveria ser apenas um. O top de linha e pronto.

Quisessem fazer algo diferente, lançassem uma linha nova. No caso da Samsung não deveriam nem ter matado a linha Note. E temos a linha Z, que são os dobráveis (ela poderia facilmente ter chamado de Galaxy S Fold e Galaxy S Flip, e Galaxy S Note, mas pelo menos aí ela acertou nos nomes).

Mas em se tratando das necessidades/vontades dos consumidores, o máximo aceitável, pra mim, seria o tamanho da tela. Pra isso existiam os iPhones e iPhones Plus. O mesmo com os Galaxys. Até aí tava show.

Hoje a gente tem um Galaxy S e S Plus, que são completamente diferentes do Ultra (aqueles soam como intermediário premium). E iPhone, pra mim, é Pro ou Pro Max, eles são o topo, se diferenciando do tamanho da tela, os demais são enche linguiça.

Aguardando um top de linha q n seja gigante =/

iPhone 15 Pro e 15 Pro Max por exemplo poderiam compartilhar exatamente os mesmos recursos (exceto tela e bateria, obviamente). Mas n, ainda assim, ela quer forçar o usuário pegar o mais caro do mais caro do mais caro, só pq sim! Nem que isto seja “contra a vontade do usuário”.

Prefiro Android. Gosto de pagar barato.

Samsung e Apple precisam melhorar consideravelmente as baterias, isso sim. Os usuários já não caem mais nessas evoluções meia-boca. Aparelhos de mais de 6 mil reais com autonomia menor que aparelhos intermediários, caso da Samsung, é inadmissível.

1 curtida

Essa pode ser a questão realmente, o fato de ele ter trocentos nomes (modelos) não significa a fragmentação da linha, pois (não sei se é o caso) o aparelho pode estar sendo vendido em mercados diferentes com apenas algum item especifico ao mercado, então para efeito de controle e produção é mudado o nome.