Google não deve remover links sobre Marcos Mion, decide Justiça

Originally published at: Google não deve remover links sobre Marcos Mion, decide Justiça – Brasil – Tecnoblog

Decisão de primeira instância foi revertida; caso contrário, Google teria que remover links sob pena de multa diária de R$ 5 mil

Ou você já sabia que a modelo Ana Carolina Jorge havia publicado uma conversa com Mion no Instagram Stories sugerindo que ele deu em cima dela?

Adorei a sutileza em exemplificar o efeito hahaha, eu nem sabia dessa treta.
Pleno 2020 e a galera ainda não entende como funciona a internet…

2 Likes

Rindo aqui da ingenuidade da pessoa em pleno 2020. O cara ou é mal assessorado ou simplesmente ignorou quem faz esse serviço. O advogado, claro, quer ganhar dinheiro. Deu no que deu. O advogado ganhou dinheiro (não tanto quanto esperava) e o cara conseguiu o efeito contrário do que queria.

Ainda tem recurso pro STJ, e aumento dos honorários perante o Tribunal Superior, tudo calculado. Advogado que não entende nada de TI e de tecnologia num geral, sempre vai se meter nessas…

Como disse o colega, é muita ingenuidade querer censurar informação na internet. Caiu na rede já era, a internet não perdoa e não esquece. E esse exemplo aí do efeito Streisand foi ótimo, hahaha.

Quando a matéria mencionou o infame vídeo da Cicarelli bulinando no mar eu voltei pro ano de 2006 rs. Se não me engano um juiz sem noção de como internet funciona acatou o pedido dela e ordenou o bloqueio do YouTube por um dia, o que só fez aumentar a divulgação do vídeo, pois logo uparam a filmagem pra outros sites e compartilharam no saudoso Orkut haha.

2 Likes

Vamos combinar que a Bocarelli estava à frente de seu tempo em “viralização”. Difícil acreditar que ela não fez a cena pra se promover (olhava direto pra câmera). A sentença do juiz só potencializou o objetivo desse rolo todo. Se fosse hoje em dia, bastava a performance na praia. :grimacing:

1 Like

Não faz o menor sentido esse processo. A justiça tem coisas muito mais importantes pra se preocupar.

Acredito que a essa altura qualquer advogado entende muito bem como a internet funciona. Ela tá presente nas vidas dos brasileiros há mais de 2 décadas e o Google é extremamente popular no Brasil há pelo menos 15 anos.
Acho pouco provável um advogado que pega diversos casos das nternets n ter noção nenhuma de q o Google é apenas um indexador de conteúdo e quem gera este conteúdo são outros sites/pessoas.

Tirando alguns nomes bem famosos (Opice Blum, LBCA, p.ex.) são poucos os escritórios e advogados que estão se especializando e tentando fazer os associados aprenderem melhor como a “internet funciona”.

Tem muito advogado que trabalha com casos de Direito Digital que bate na tecla que o Google é responsável pelo “armazenamento” desse conteúdo, e não só a indexação dele, e que é a própria plataforma de busca que “dá ibope” pra certo conteúdo.

É surreal. A própria Acadêmia ainda não ensina direito, nosso meio é bem atrasado pra tecnologia, infelizmente.

Se tem uma penca de juiz que ainda não entende como a Internet funciona, imagine advogado. Conheço muito profissional ruim que entende menos do que eu que sou leigo. Mesmo que “Direito Digital” não esteja na grade curricular na maioria dos cursos de Direito, cabe ao advogado se atualizar e procurar se informar mais sobre esse assunto.

Finalmente a justiça fez algum sentido em algo relacionado à internet.

Nao falo desse caso especificamente mas acho que todo mundo deveria ter o direito ao esquecimento…

Este tópico foi automaticamente fechado após 60 dias. Novas respostas não são mais permitidas.