Facebook derruba 1 milhão de fake news no Brasil, mas esconde o essencial

O facebook pode omitir muitas informações, mas sabemos que praticamente todos que divulgaram fake news sobre a covid e as vacinas votaram 17 e são cidadãos de bem.

5 curtidas

Teria fonte?

Ué, agora só vocês podem se basear em achismos? Pelo menos o meu achismo não matou mais de 600 mil brasileiros.

Tem fonte disso também?

Aqui está:

https://bfy.tw/S0Rt

Sem sucesso infelizmente, espero que não use a Wikipédia para seu trabalho de TCC

Faz quase 10 anos que meu TCC foi publicado e nele eu previ o que está acontecendo hoje usando econometria. Que tal?

Tem essa outra fonte também

1 curtida

Quem matou 600 mil brasileiros não foi uma postagem no Facebook meu caro. Quem matou 600 brasileiros foi o vírus. Uma postagem no Facebook faz, quando muito, você dar um sorriso de canto de boca, ou girar o scroll do mouse para a próxima postagem. Vamos parar de viajar na maionese! Vamos?

Uma postagem no Facebook, uma declaração, uma entrevista, tudo molda o comportamento, haja visto que até hoje ainda existem pessoas que acreditam no “Vírus Chinês”, que “vacinas não funcionam” e tudo mais o que já foi dito.
Você achar que uma postagem não tem poder nenhum, é ser ingênuo demais.

2 curtidas

E digo mais “meu caro”, quem matou foi o vírus, mas quem promoveu deliberadamente a transmissão, com o intuito de “quem morreu, morreu, não sou coveiro” foi o governo e isso já está comprovado.

2 curtidas

Eu estou me referindo à “causalidade” da morte. O que causou a morte de 600 mil brasileiros foi o VÍRUS. Sem mais! Se você quiser colocar na balança todas as milhões de variáveis que podem ter resultado neste desfecho trágico para estes 600 mil brasileiros, você terá que incluir tanta coisa, mas, tanta coisa. Máscara, condição social, educação, assepsia das mãos, alimentação, transporte, idade, sistema imunológico, carga viral, hábitos, alimentação, peso, massa corporal, níveis vitaminícos, etc, etc, etc. Talvez, ênfase no TALVEZ, uma postagem numa rede social possa sim ter sua participação… sendo bem generoso, quem sabe ela participe em 0,5% dentre os outros fatores causais da morte destes 600 mil brasileiros. Mas, falar que uma postagem mata é viajar demais na maionese pra mim. Postagem não mata! O que mata é o vírus. Os demais fatores (milhares deles) não tem como equacionar e atribuir peso, ou relevância. Pelo menos não sem um estudo aprofundado (que infelizmente, nunca será feito). Mas, certamente e categoricamente, podemos inferir que NÃO, aquela mensagem do Tio do Pavê, ou da Tia do Whatsapp não mata ninguém. Parem de viajar na maionese! O que está matando é o vírus. E ele encontrou um solo fértil num Brasil de informais, onde o Home Office não é uma opção.

Só pra ficar claro, você leu o título da matéria, onde fica evidente que foram UM MILHÃO de postagens, e não apenas uma?
Sem mais.

2 curtidas

Postagens milhares todos os dias inclusive de centenas de autoridades que literalmente incentivam o descuido total e completo, numa clara campanha não tem influência nenhuma. Ata

1 curtida

Uma prima do meu pai viu o marido e a mãe morrerem de covid e mesmo assim resolveu não tomar a vacina. Resultado, pegou covid e morreu também.

Detalhe importante: ela tomava todos os anos a vacina da gripe e tomou a do H1N1 sem problema. Mas o que mudou? O que ela fazia o dia inteiro? Ficava no facebook alimentando diversos vieses que já tinha contra a vacina.

2 curtidas

Ainda assim, insisto. O que matou sua prima foi o vírus. :man_shrugging:t4:

Eu não sei se é ingenuidade ou mau caráter mesmo.
Outros exemplos:

  • Uma pessoa pega uma faca e enfia no peito de outra. Quem matou foi a faca?
  • Uma pessoa bebe, pega a direção de um veículo, atropela e mata, quem matou foi o carro?
  • Um eletricista de alta tensão deixa todos os fios descascados energizados por preguiça, uma criança olha e coloca a mão, quem matou foi a eletricidade?
  • Uma pessoa dá pra outra pessoa tomar (sem saber) 1 caixa de remédio. Quem matou foi o remédio?

Promover a desinformação com o propósito único de evitar a correta prevenção conta o vírus, é ter total culpa. Não importa o que foi o causador da morte.

1 curtida

Quem matou foi a pessoa. Mas, isso não tem absolutamente NADA A VER com o que foi falado. Parafraseando-o, eu não sei se foi ingenuidade da sua parte, ou mau caráter mesmo. Já que agora qualquer um pode julgar o caráter de outrem por postagens em fóruns não é mesmo!? rs

Quem matou foi o motorista embriagado. Claro! Isso também não faz paralelo algum com uma postagem de fake-news no Facebook… qual é o link entre a ATITUDE de dirigir embriagado e atropelar alguém, com redigir um post com notícia falsa no Facebook (oi?).

Este seria um trágico homicídio culposo, isto é, quando não há a intenção de matar. Isso já é muito bem tipificado no Código de Processo Penal brasileiro. O eletricista, talvez, receba algum tipo de pena por negligência profissional. Vai depender da cabeça do juiz.

Este eu não sei bem se entendi. A pessoa que deu pra outra tomar 1 caixa de remédio (sem saber). Quem não sabia do quê? A que deu o remédio, ou a que tomou? De qualquer forma isso é irrelevante. Nos seus exemplos você citou 03 atitudes e 01 negligência profissional. Isso não faz nenhum paralelo com postagens de Fake News no Facebook. Meu Deus! O que tem uma coisa a ver com a outra? Sinceramente! Procure paralelos mais efetivos. ESFAQUEAR uma pessoa é uma ATITTUDE (não é uma postagem). DIRIGIR BEBADO é uma ATITUDE (não é um postagem). DEIXAR FIO DESENCAPADO PERTO DE CRIANÇA é uma NEGLIGÊNCIA (não é uma postagem). DAR UM REMÉDIO é uma ATITUDE. ATITUDE =! OPINIÃO. Opinião é ideia, opinião é etérea, opinião é imaterial. Atitude é outra coisa! Atitude é ação! É concreta! É física! Você não está comparando laranja com laranja. Volte duas casas e abandone essa Falácia do Espantalho, pois, isso é quase uma desonestidade intelectual, ou mau caráter (já que agora tá na moda julgar o caráter das pessoas por postagens, né) :wink:

Opinião também é ação. Ainda mais quando se tem comprovação da ciência que essa opinião leva pessoas a agir de forma negligente com a sua vida e a dos outros.