Depois do Galaxy Tab S8, Samsung traz Tab S8+ e S8 Ultra ao Brasil

Finalmente a Samsung resolveu voltar a trazer os modelos topo de linha para o Brasil.

Porém não será dessa vez que trocarei meu Galaxy Tab S6 que ainda me atende perfeitamente.

Alguém me explica esses preços?

Talvez a comparação não seja correta, mas nesses valores compra-se notebooks parrudos, ultrabooks potentes… Qual a justificativa pra um dispositivo Android custar isso?

É um tablet premium com, em tese, o que tem de melhor no mundo dos tablets Android.
Um dos melhores processadores, a maior tela disponível, acho que uma das melhores implementações de caneta. E, querendo ou não, as opções de aplicativos no Android está expandindo bastante, assim como o que eles conseguem fazer.

Claro que ainda não é tão versátil quanto um notebook/desktop, mas em algumas áreas ele parece ser uma alternativa interessante, principalmente se a pessoa busca um aparelho mais leve e modular (já que o teclado é destacável, ao contrário de um notebook) e, geralmente, com uma duração de bateria maior (a relação (tempo de uso)/(peso do equipamento) deve ser bem mais interessante em um tablet decente do que em um notebook).

Sim é exatamente isso, no caso ali o Maior deles com tela de 14" pesa apenas 700 e poucas gramas… eu de cabeça não consigo me lembrar de um notebook tão leve assim.

Enfim tem que se pensar que um Tablet desse tem como foco executivos, pessoas que em tese não se importa muito com o valor e sim com praticidade e portabilidade, afinal tem que carregar um dispositivo desses para vários cantos para eventualmente abrir uma planilha, um app ou outra coisa em qualquer lugar de maneira rápida e pratica.

Ai nesse caso um celular se torna pequeno demais e um notebook até iniciar o windows para executar a ação que ele quer e depois esperar desligar, ou seja torna as coisas lentas e pouco pratica… Isso se não morrer a bateria antes.

Mas é aí que tá, hoje temos ultrabooks incríveis, finos e bem portáteis (claro, não tanto quanto um tablet), com SSD rápido e inicialização instantânea (se o tablet estiver 100% desligado eu duvido que ele inicia mais rápido que o Windows). Fora que, por mais que o Android esteja evoluindo, nem se compara à toda funcionalidade de um PC.

Nesse valor dá pra levar um p*ta ultrabook + um bom tablet que atende muito bem um uso esporádico e/ou pra coisas leves/rápidas.

Não entra na minha cabeça. Mas, assim como os preços de iPhone hoje em dia, é fácil entender: se estão cobrando esse preço, é porque tem gente que paga.

Pensa que já deve ter sido um sofrimento só pra Samsung trazer esses dois pra cá, porque certamente ela já colocou na ponta do lápis que só “meia-dúzia” vai se interessar em pagar.
É o tipo de conta que já não fechava com o Tab S7+, mas que a Samsung Brasil decidiu bancar agora, talvez vendo que conseguiria segurar com os resultados dos outros aparelhos.