Brasil pode proibir venda de carros a gasolina e diesel em 2030

Pois é, tem que melhorar e muito toda a estrutura para se pensar em banir os carros à combustão.

2 Curtidas

Nem precisamos discutir a eficiência dos elétricos, já é o futuro pra agora. O ponto chave é que o Brasil NÃO é um país desenvolvido, muito pelo contrário… Muito fácil propor banir os veículos á combustão, o problema é que antes disto tem que existir toda uma estrutura no país para abraçar isto. Não são apenas pontos de recargas, temos que ter melhor geração de energia com tecnologia, centros de reciclagem que funcionem, etc e tal, entende?
Não faz sentido por exemplo termos 100% da frota elétrica mas a maior parte da geração de energia vir de usinas fósseis…
Adoraria que tudo fosse elétrico e os carros autônomos sem perigo, ando por mês 1800 kms e gostaria muito de sentar no carro e dizer pra onde me levar sem preocupação :slight_smile:

3 Curtidas

Sou totalmente a favor, mas, convenhamos, esses prazos estão fora da realidade brasileira. Sequer popularizaram os híbridos no país devido ao alto custo, imaginem banir de uma vez só quase todos os carros a combustão?!
2050 seria um prazo mais REALISTA para o Brasil.
Ou 2030 começando com os carros híbridos, até se chegar na eletrificação completa, por mais uns 15 anos, no mínimo.

3 Curtidas

E quando elas são ligadas, sobe o valor da energia devido ao custo de produção/importação de GNL para o funcionamento das mesmas. Logo, realmente, MUITA coisa tem que mudar.

1 Curtida

PFFFFFFFFFFF
:rofl:

Me responde uma coisa: onde você mora?

1 Curtida

@teh estamos fazendo justamente isso, discutindo poucas pessoas se mostraram contra, o maior questionamento que vejo é a infraestrutura para viabilizar.

O que nós queremos ser ? Aquele país que vai passar os próximos 10 anos pensando em como seria legal viver com as ideias do século 19 ou arregaçar as mangas e começar a trabalhar para daqui a 10 anos tenhamos a infraestrutura necessária pra fazer essa migração ?

É perfeitamente possível em 5 anos resolver grande parte dos problemas de infraestrutura, é só uma questão de força de vontade. Mas muitos usam essa energia toda pra travar o governo e usar o congresso como balcão de negócios (em maioria ilícitos).

Não se trata só de proibir a venda de carros não elétricos, se trata de um projeto de futuro. Só que esse futuro já é realidade pra muitos países, agora a pergunta que eu faço é? O que faziam nossos políticos a mais de uma década atrás, que não traçaram um planejamento de futuro pro Brasil ?

Não investimos em infraestrutura, não investimos em segurança, não investimos em alternativas pra escoar a produção de forma rápida e eficiente. Não investimos em educação, para que a população não tivesse consciência de para onde estavam sendo guiadas… e não só isso, a tornamos dependente do estado mais do que nunca. Se tudo isso fosse uma grande conspiração, hoje nós não estaríamos discutindo esses problemas, porque sequer existiriam!

Nós temos o futuro que almejamos, e eu quero viver e ver esses próximos anos serem de construção de uma nova nação. Daqui a 10 anos a tecnologia de baterias já evoluiu, para o tão falado Grafeno. Não é porque o Brasil parou no tempo que o resto do mundo tbm. Daqui a 10 anos, carros elétricos já se tornaram mainstream lá fora, e seus meios de produção já alcançaram a maturidade.

6 Curtidas

A iniciativa é interessante, porém ele não considerou algumas particularidades na hora de formular a proposta, como os altos custos de um carro elétrico, não existe um modelo que custe menos de R$100 mil no Brasil. Outra questão são os poucos pontos de abastecimento, que necessitariam de um grande investimento a médio prazo e como sabemos, só as companhias concessionárias de energia regulamentadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) podem cobrar pelo quilowatt-hora (kWh) e já conhecemos a situação das estatais. O projeto é bom, está alinhado às tendências mundiais, mas neste momento me parece pura demagogia e quando chegar em 2030 será revogada por falta aplicabilidade.

Só estão copiando a Europa lá com a proposta deles, n sei pq o espanto. Mas de qlqr forma isso vai ocorrer querendo ou não. Só queria que as baterias fossem ecológicas tb.

Edit: e lembrando que os veículos a combustão só serão banidos pra venda, não pra uso.

O planeta pode até não acabar Leandro, mas pode ter certeza que seus filhos e netos vão sofrer MUITO por conta disso. Com fome, falta de ar, problemas respiratórios etc.
Só uma curiosidade por você ter citado a camada de ozônio. Em 1990, quando descobriram o buraco que tinha o tamanho da Antártica e descobriram que o que estava causando ele eram os gases CFCs que vinham dos aerosois de desodorante e geladeiras usados na época, o mundo INTEIRO se uniu e proibiu esses gases. Hoje a camada tem se recuperado a ritmos constantes e deve estar totalmente recuperada até 2050. Agora você vem aqui argumentar que o estrago que 3 bilhões de carros no mundo não são suficientes para alterar o clima?

1 Curtida

A ideia é ótima. Mas concordo que a realidade brasileira vai demandar no mínimo uma década a mais para isso ser verdade. O que acontece é que o Brasil é verdadeiramente autosuficiente em produção de carros, e temos uma indústria de tirar o chapeu. O problema é que o brasileiro é muito acomodado ao que se oferece aqui dentro. O nosso Polo da VW é um carro médio mas na Europa o mesmo carro é vendido para as classes mais baixas, e nós pagamos o preço com prazer. Nós somos os culpados pelo nosso mercado por não sermos tão exigentes quanto o exterior.

Não consigo enxergar como que isso poderia dar certo.
Existem municípios que mal funciona energia eletrica, mal tem sinal 3G.

Como fica esse pessoal?

Mais um projeto absurdo e sem nexo com a realidade. Um projeto desse se posto em prática apenas traria prejuízo ao país. Já viram os preços dos carros elétricos?

Mais uma vez o Brasil querendo resolver tudo na base da caneta.

Essa questão da estrutura é resolvida com uma definição de uma política pública de Estado para definir como o Estado deve agir para que o país esteja preparado no momento que a Lei começar a valer. Se o Congresso realmente quiser aprovar, essa será uma demanda que eles devem atender de alguma forma, e é ai que podem sair o problemas.

A falta de estrutura não deve ser um impedimento para que se aprovem projetos do tipo, pois dessa forma nunca haverá um incentivo para que a estrutura seja construída e disponível.

1 Curtida

Tudo alarmismo barato, campanha do medo. Moro na praia e estou desde 1990 esperando a alta do nível do mar.

Monte de ator fazendo campanha verde, para não usar carro, enquanto usa seu jatinho particular.

Blz, vamos aos fatos.
Se eu entendi corretamente, a proposta prevê que a partir de 2040 nenhum carro a combustão, movido por combustíveis fósseis, circule. Mas abre uma brecha para biocombustíveis.
Foi citado o etanol como exemplo, mas esse não é o único biocombustível. Biodiesel também é um biocombustível.
Então ainda haveriam muitos veículos e máquinas agrícolas movidos por motores a combustão circulando pelas rodovias do país, isso se a proposta for aprovada e virar lei.
As baterias já estão evoluindo muito, e já há estudos revolucionários sobre o assunto. Não seria absurdo imaginar que daqui 20 anos teríamos algo concreto e revolucionário.
Mas a proposta é simplesmente absurda. É citado a França, que pretende eliminar a venda de veículos movidos a combustível fóssil no mesmo ano. Veja bem, a venda e não a circulação.
Comecemos por aí, a França, bem mais desenvolvida que o Brasil, pretende eliminar a venda desses veículos, já o Brasil conseguiria eliminar a circulação.
Sres, sejamos sensatos, um carro zero, movido a gasolina (ou flex, que seja) já é muito caro, a compra é simplesmente impraticável para a maioria dos Brasileiros (já viu o preço do novo HB20?). O carro elétrico então, nem se fala.
Mesmo em 20 anos, seu preço ainda seria proibitivo para muita gente. E me desculpe, não importa qual seja seu argumento eu não consigo ver um cara trocar seu uno 91 por um carro elétrico (por causa do valor mesmo).
Olha só o contraste, nós deixaríamos de ser um país que estimula as pessoas a manterem seus carros por mais tempo (o valor do IPVA é decrescente e não crescente) para um país com uma frota novinha em folha.
É claro que eu quero um carro elétrico, é claro que quero uma redução drástica dos gases de efeito estufa, e as montadoras adorariam que milhões de carros fossem vendidos.
Mas essa proposta não é coerente, essa mudança teria que vir aos poucos, respeitando as diferentes características desse Brasil continental.
Verdade, nem toda frota seria de veículos elétricos na verdade, muito provavelmente, seria de veículos movidos a biocombustível.
Mas ainda assim é uma mudança enorme em um período de tempo relativamente curto.
E nem estamos falando do impacto que isso teria para a Petrobras por exemplo, entre tantos outros (matriz energética brasileira).
Pra mim, ou esse senador está criando uma proposta já com a intenção de que a proposta não seja aprovada mesmo, protelando ainda mais a criação de uma lei que efetivamente inicie essa transição. Nos coloque em condições de exportar veículos para a Europa, além de trazer carros mais seguros, econômicos e eficientes para a população.
Ou, se for aprovada, é simplesmente uma forma de agilizar a privatização da Petrobras (não estou dizendo que isso é bom ou ruim apenas me atentando ao obvio) e dar subsídios extremamente agressivos para a compra de um carro novo (novamente, não que isso seja bom ou ruim). Ou seja, interesses políticos.

1 Curtida

Não adotamos nem o Euro 6 ainda e já querem proibir tudo, brincadeira! Pra vocês terem uma idéia, um país como a Colômbia já usa o Euro 6 e nós não

1 Curtida