Banco do Brasil explica o consórcio gamer de até R$ 11 mil

Consórcio é uma jabuticaba q só existe no Brasil.
Fazia sentido na época de hiperinflação.
Hoje é só desperdício de dinheiro, travestido de “uma forma de fazer a pessoa guardar dinheiro”.

Se quer comprar um PC ou vídeo-game e não tem dinheiro, primeiro seria melhor juntar dinheiro (se não tem pra video-game, provavelmente, não tem pra coisas mais básicas e importantes e aí video-game não deveria ser prioridade). Se tem dinheiro pra coisas básicas, mais fácil parcelar em alguma loja, ou, pelo menos, pegar um empréstimo pessoal.

1 Curtida

Consórcio é bom pra quem não tem disciplina financeira e não liga em pagar pra alguém realizar esse serviço de controle (ou não se dá conta que está pagando por esse serviço).
Ou pra quem realmente precisa do bem e não vai ter condições de pegar um financiamento (e mesmo pra esse grupo é discutível se o consórcio é a melhor opção).

No geral, eu chutaria que pegar o valor que seria aportado no consórcio e aplicar em outro lugar será mais interessante na maioria dos casos. Hoje em dia investir em CDBs, LCI/LCAs, FIIs e FIM não é difícil, além de ter muitas opções seguras e baratas.

Então se você tem disciplina financeira, aportar o valor das mensalidades do consórcio em algum outro produto financeiro provavelmente vai ser bem mais interessante.

Quando digo que é fútil, não quis dizer de forma pejorativa, eu quis dizer que não é algo necessário para a sua vida . Você consegue viver sem vídeo game, correto? Eu curto games, aliais eu estudo desenvolvimento de games. Vários itens fúteis movimentam a economia, nem por isso deixam de serem fúteis . Desculpe aí se eu te ofendi .

Depende pra quem você pergunta.
E dependendo da sua argumentação, a gente deve conseguir chegar que só água e comida são realmente necessários para a sua vida.

beba e coma video game então

3 Curtidas

Não ofendeu-me em nada! Rebati a opinião apenas – fútil nem é porque movimenta uma cadeia econômica do mercado gamer e de hardwares!

Faz um bom sentido!

1 Curtida

Gente, uma carta de crédito de consórcio pode ser usada pra qualquer bem ou serviço, independente do objeto vinculado à carta. Os grupos são formados com um objetivo em comum. A operação fica vinculada à um produto exatamente pro banco fazer os ajustes nas cartas. Se você contratar uma carta vinculada a um Xbox, por exemplo, se o preço do console mudar, o valor da operação também é reajustado, pra que quando você receba a carta dê pra comprar o produto vinculado a ela. Se você usar a carta pra comprar outra coisa então o cliente paga ou recebe a diferença.

Mano, os aportes vão para fundos de investimento com taxas variáveis. Não tem como dizer com antecedência qual será o rendimento. Já a taxa de Administração é proporcional ao valor da carta. Se houver reajuste pra valor maior o cliente vai pagar proporcionalmente mais, porém não funciona como o juros, que são cobrados sobre o saldo devedor a cada mês.

Exemplo:
Se sua carta é de R$10.000,00 e a taça de Administração é 3% então o cliente paga R$300, totais, do início ao final do contrato. Se o valor da carta subir pra R$11.000,00 então o valor da tarifa de Administração sobre proporcionalmente pra R$330.

Já o juros são cobrados sobre o saldo devedor. Se a taxa é de 2% ao mês, no primeiro mês, quando ainda não houve reposição dos R$10.000, então o saldo devedor é o mesmo valor, logo naquele mês o cliente fica devendo mais R$200,00 (2% sobre R$10.000,00). Daí paga a parcela de R$1200,00, sendo R$1000,00 de reposição do capital e R$200 de juros. No mês seguinte o saldo devedor é R$9000,00, daí os juros daquele mês serão 2% sobre R$9000,00 = R$180,00, daí vão pagar R$1180,00. No terceiro mês o saldo devedor é R$8000,00, o juros ficam em R$ 160, seguindo nesse padrão até o final do pagamento.

Claro, normalmente essa tabela de reposição é reajustada pro cliente fazer pagamentos em parcelas fixas (se não houver reajuste do valor da carta).

Eu acho que você não entendeu meu ponto.
Não vou nem tentar entender toooodo esse cálculo.

Consórcio versus Investimento, quem ganha é o investimento (e eu estou falando aqui até poupança).
Ponto.
Pagar uma instituição pra ficar com o meu dinheiro, é um completo absurdo.

2 Curtidas

As vezes é necessário numa emergência… mas jogo não, né. hahaha

Pergunta sincera, em qual emergência você pagaria pra um banco ficar com o seu dinheiro?

As únicas que consigo imaginar, envolve ganhos ilícitos do dinheiro, e precisa deixar lá escondido, mas eu gostaria de saber em condições normais.

Se você custodia um cheque-pré ou um boleto e faz antecipação, está dando um dinheiro pra receber outro na hora da operação. Ou se você coloca um bem como garantia para um empréstimo, nada mais é que dinheiro por dinheiro.
A propósito, convido-o a pesquisar sobre a poupança e inflação e descobrir sobre a taxa real. Verá que hoje, quem coloca dinheiro na poupança na verdade perde dinheiro, pois o rendimento não acompanha a inflação.

Exemplos? Emergências cuja solução tenha de ser imediata…

  • Estourar encanamento e ter de indenizar o vizinho de baixo pelos prejuizos.
  • Comprar um carro. Claro que eu poderia ficar 10 anos juntando… mas a necessidade dele seria imediata.
  • Alguma cirurgia ou procedimento que o plano de saúde não cubra…
    etc.

Tem muita coisa que tu pode precisar. Claro que se tu for podre de rico, nem precisa. hahaha

Isto chama empréstimo. O banco não está recolhendo o dinheiro, ele está emprestando uma quantia previamente e a pessoa precisa dar uma garantia, que, caso não consiga pagar as parcelas, aquele bem será usado para quitar a dívida. Totalmente normal isso e não é o escopo do post.

É diferente de um consórcio, onde o usuário única e exclusivamente “dá” ao banco uma quantia todo mês.

Mesmo caso que falei acima, isso é uma forma de empréstimo e que não é a discussão sobre: pagar um consórcio X deixar o dinheiro rendendo (de qualquer maneira), sem ter que pagar taxas.

Eu agradeço a indicação, mas eu sei disso. :wink:

1 Curtida

Ops. hahaha

Tem que ler o contrato, mas o normal é ter um valor de reajuste de parcelas anualmente e também um reajuste do valor do bem. Os 11 mil reais, por exemplo é o valor a tempo presente, se o resgate da carta ocorrer daqui 4 anos o valor será reajustado. O mesmo vale para co sorrio de carros e casas; por exemplo.

O que acho mais engraçado em alguns comentários é…

Consórcio é um produto do Banco do Brasil, é óbvio que vão ganhar com isso. Ninguém vende algo sem lucrar. Ganham parte alta dos juros, infelizmente aqui no Braza todos os juros são altos… Então pelamor de Deus, não vai ter consórcio sem juros.
Consórcio de veículos existe desde a idade das pedras e todos nós almejamos ficar pagando a perder de vista, parcelas menores que o financiamento e ser contemplado um dia com essa grana, para ter seu novo veículo.

Daqui a 4 anos aqueles R$ 4.500,00 que paguei aquele console não vale mais. Errado!
Se tu foi sorteado, tu vais comprar teu Game atual, investido de imediato, algo novo, de agora e vai continuar pagando, da mesma forma que tu pagou em 15x no Carrefour teu fogão / geladeira (não se saia, é um exemplo e vc entendeu o que quis dizer).
Foi o infeliz que só foi contemplado na parcela de número 46? Então infelizmente vc vai comprar o console atual, novo, de modelo mais em conta ou completa esse $ aí para adquirir o que irá ter lançado daqui a 4 anos. Mas vc pagou por isso, poderia ter sido no começo.

Vídeo Game/PC Gamer são produtos de alto valor comercial, a indústria dos games foi a que mais faturou no MUNDO, é como um objeto que se compra para suas horas de lazer, ou alguém aqui é um robô e não faz nada a não ser trabalhar? Tu num gastou com aquilo? (Baralho, Conhaque, Charuto bom, Chimarrão, Netflix, Som do carro, home theater, TV maior, celular bom, bola oficial, tênis para corrida?)

Então morgue estes papos de que o Banco é esperto (fabrico peças e preciso ter lucro, compram com minha margem em cima de meus custos, sim! E sim, essa esperteza é algo normal rs).
Morgue que os objetos em questão são fúteis. Sua vida não pode ser generalizada ao planeta Terra, a indústria em questão é a que mais cresce e fatura.
Morgue dizer que é melhor juntar $ por 4 anos do que o consórcio, porque vc só terá seu montante no fim, e existem muitas pessoas que não conseguem juntar ou ter esse compromisso mensal por conta própria.

Se vc não se enquadra no que foi dito aqui na discussão do tópico, esse texto não é para vc. Valew!

O que me intriga é que naturalmente os consórcios podem “te dar” a contemplação na assembleia, mediante lance de 50% ou mais. Será que funciona nessa categoria?
E naturalmente o repasse pode ser feito?

1 Curtida

Este tópico foi automaticamente fechado após 92 dias. Novas respostas não são mais permitidas.