Anvisa aprova testes de coronavírus com resultado em 15 minutos

Originally published at: https://tecnoblog.net/330153/anvisa-aprova-testes-de-coronavirus-com-resultado-em-15-minutos/

Anvisa autoriza uso de oito testes rápidos para detectar coronavírus (Covid-19); maioria deles é fabricada no Brasil

Se o testes forem suficientes, da pra fazer como na Coréia do Sul. Que não parou nem entrou em quarentena. Tudo a base de exames massivos

Acontece que a população deles é inferir a 53 milhões de habitantes, o que torna tudo mais fácil, fora questões culturais, territoriais …

Sem contar a extensão territorial, que lá é pouco mais de 100 mil Km², enquanto aqui é mais que 8,5 milhões de Km², muito mais difícil de levar os testes a todos locais.

1 Curtida

Testar um Brasil inteiro não é viável. É preciso entender que cada país vai reagir de acordo com sua estrutura, cultura e leis.

A China isolou uma cidade de 11 milhões de habitantes, o que pra eles é uma cidade pequena. O país tem 1.4BI em habitantes. E mesmo assim não foi possível impedir o vírus de sair da China.

Não se sabe quem o trouxe pra Itália, mas sabe-se que levaram muito tempo até se darem conta que oq estavam lidando não era o quadro gripal típico da época. Os sintomas são semelhares, logo dezenas de profissionais da saúde foram contaminados e muitos pacientes voltaram a suas rotinas. Não demorou muito até que o vírus se disseminasse em toda Itália. A qual tem uma população idosa muito alta, logo os hospitais atingiram sua capacidade, não há mais leitos e respiradores para todos.

Já no Brasil o ministério da saúde tem adotado medidas coerentes com nossa estrutura. Porém esbarramos em outros entraves. Burocracia, briga de ego político, questões ideológicas, má vontade do congresso com a agenda econômica, que esbarra na agenda da saúde e a própria população que não colabora nesse momento tão difícil. Muitos estão e vão sofrer pela irresponsabilidade dos que não seguem as recomendações do ministério da saúde.

5 Curtidas

Exatamente isso Douglas!
Acho que o problema da população é até muito mais grave que a burrocracia e os egos políticos.

Eu moro em uma cidade pequena e o que mais vejo por aqui é o pessoal achando que é férias. Pessoas reclamando que os clubes estão fechados, enquanto deveriam “aceitar as crianças já que as escolas fecharam”. Meus vizinhos viajaram para São Paulo no domingo e na terça estavam na praia (4 adultos, 4 crianças e 1 idoso). Lanchonetes, barzinhos (e principalmente os botecos) todos cheios de pessoas batendo papo à toa. Na quarta ouvi de uma enfermeira que tudo isso é alarde, que não é tão sério e nem precisava de “tudo isso”.

Aqui eu vejo que em média uns 15 - 20% da população apenas tem consciência do quão grave é o quadro, infelizmente.

Com testes suficientes a população pode ser o dobro.

Na Coréia quando o governo pediu pra ficarem em casa quem podia, eles ficaram.
Ai correram atrás das pessoas fazendo exames massivos. Das que não podiam ficar em casa.
Usaram GPS e câmeras para saber onde cada pessoa ia.

Quando alguém dava positivo, todos num raio de 100 metros de onde a pessoa passou eram obrigados(são ainda) a fazer exames, recebiam um sms com o pedido. Se não fossem tomariam multa ou seriam presos.

O nome disso é estratégia, não é o tamanho da população que importa, mas como o governo age.
Neste caso invadindo privacidade

Volto a dizer, cada país age conforme sua cultura, leis, infraestrutura e verba. A Coreia do Sul é um enorme polo tecnológico e se orgulham disso. E sabem e podem usar essa tecnologia porque eles as tem e já são de seu cotidiano.

Pois aqui grande parte acha que é férias, ignoram as regras de etiqueta respiratória e de distanciamento social. Não são todos, mas esses aí já bastam pra se contaminar e disseminar entre a própria família, e como n ficam em casa, acabam interagindo com outras pessoas.

No começo adotou-se essa prática de checagem extensiva, mas agora já há transmissão comunitária e se espalhou pra outras cidades. Daí a gente esbarra na burocracia, falta de verba e estrutura.

A recomendação é ficar em casa. Tem sintomas gripais, tratar em casa. Tem febre alta, tosse persistente (acessos de tosse constantes) e dificuldade respiratória acentuada aí sim procurar ajuda médica, se for do grupo de risco vai fazer o teste provavelmente. Se der positivo subentende-se que os demais tbm estão infectados, então quarentena.

No primeiro caso vindo da Itália já era pra termos fechado o aeroporto internacional e as fronteiras para todos os países. Medida extrema, mas teria evitado pessoas regressarem com o patógeno ou saírem do país e voltarem trazendo. Teríamos uma situação bem diferente.

A parte de humanas fez o povo esquecer de cálculos.

Somos um povo criativo.
Temos profissionais e cientistas fenomenais, reconhecidos mundialmente.
Falta apoio.
Falta reconhecimento.

1 Curtida

Nada adianta se quem governa não sabe da realidade e se baseia em grupos de WhatsApp pra governar o país.
Nossa curva de contaminação está próxima a da Itália. Será que as medidas serão tomadas por quem falta capacidade intelectual pra entender a gravidade do problema?

Com certeza! Atualmente a Coreia do Sul é um exemplo de como lidar com o vírus, de acordo com as reportagens que li, mas o povo lá também começou como aqui em que acham que é só uma “gripe” e não deram a devida importância.

A coisa se agravou com a paciente zero, membro de uma seita, não atendendo as ordens médicas foi no culto da sua igreja.

No momento eles reverteram essa situação com a criação de um app para monitorar as pessoas e também na agilidade e eficiência dos exames, teve dia que foram feitos 18.000 exames.

Enquanto isso no Brasil e Estados Unidos :neutral_face:

Já o governo brasileiro decidiu contrariar a OMS e não seguir o exemplo de outros países:

Este tópico foi automaticamente fechado após 60 dias. Novas respostas não são mais permitidas.