Alguém aqui substituiu o computador pelo iPad?

Pode ser. Talvez o iPad Pro siga realmente o caminho da produtividade e seja de fato posicionado como sucessor de algumas versões do MacBook, oferecendo para isso algum modo de compatibilidade com X64 ou um multitasking mais robusto. Isso significaria uma segmentação real da linha de tablets. O @Douglas_Knevitz citou algo interessante, que é a possibilidade da Apple comprar a AMD. Isso viria muito a calhar. O iPad Pro poderia trazer um conjunto híbrido de processamento, capaz de suportar tanto ARM64 quanto X64 num mesmo device. É a cara da Apple fazer isso, não é?

Eu tenho iPad e Mac, e embora goste muito do meu iPad, as limitações dele ainda não me permitem substituir o Mac. Mas, dependendo do seu uso, isso já é bem possível sim. Com o iPadOS 13 e as últimas novidades como o suporte avançado para mouse, consigo usar o iPad numa boa pra certas coisas quando meu Mac não está por perto. Mas ainda dependo de ferramentas que não existem no iOS.

Ao mesmo tempo, acredito que o iPad é sim o futuro ao longo prazo, e o Mac (ou computadores normais em geral) vai se tornar ainda mais nicho, justamente pra quem continua precisando de ferramentas mais complexas. O iPad deve suprir quase todos os usos normais de um PC em breve.

1 Curtida

Também tenho um iPad 2018 mas acredito que a substituição total ainda não é possível para alguns seguimentos. O Safari, apesar da mudança, ainda não reage da mesma forma que um navegador desktop em todos os sites: na mesa virtual de processos da instituição onde trabalho por exemplo, os PDF não abrem completamente. Mas para quem trabalha “apenas digitando”, em sua maior parte, acredito que seja possível a substituição total. Apesar disso levo ele ao trabalho, e seu uso em reuniões e acesso facilitado a Trello e outros apps de produtividade substituem plenamente um notebook.

1 Curtida

Pois é. Acho que a longo prazo, para a maioria das pessoas, um sistema fechado, estável e previsível vai ser de fato o futuro. Eu acho exatamente o que você disse sobre os computadores mais caros da apple virarem produtos de nicho e mais um pouco, até porque já estamos vendo isso. O salto de preço de gerações entre o mac pro latinha de lixo e o mac pro ralador de queijo já mostra esse nicho aparecendo de maneira mais escancarada. Até as pessoas comuns criticando aquele preço daquela tela que a apple recentemente lançou, a qual para o nicho que ela foi criada ela não somente faz sentido como está barata.

3 Curtidas

Ainda não consegui. Mas tive uma experiência bem bacana na monografia, pois fiz boa parte dela no iPad para não carregar notebook na mochila.

2 Curtidas

Eu fiz a monografia inteira com ele. E não vou mentir, em certos momentos foi bem sofrível e pareceu gambiarra. Só me permiti fazer esse experimento porque era um semestre tranquilo.

Bom, meu relato vem de uma experiência em que me forcei a usar o iPad como ferramenta principal de produção. Sou designer autônomo e a uns anos estava planejando um mochilão no exterior. Foram 3 meses fora do país rodando pela Europa. A ideia era atender meus clientes mesmo fora do país, durante os períodos livres. Devido à limitação de bagagem de 10kg, o MacBook Pro foi descartado. Seriam 1,5kg, fora o espaço e principalmente o preço caso houvesse algum incidente. A alternativa era o iPad. Eu já tinha o Air 2 e com anuncio do iPad OS no meio do ano me entusiasmei com a ideia.

Fiz uma pesquisa e vi que poderia migrar toda minha suite de produtividade para iWorks, Affinity Designer, Photo e LumaFusion. Porém faltaria o principal: suporte a mouse ou Apple Pencil. Consegui encontrar um iPad Pro 2017 por menos de R$2.500 e esta foi minha aposta. Tirei cerca de 2 meses para me adaptar aos novos softwares, preparei toda biblioteca de arquivos no iCloud e viajei com a promessa de atualizaçao para o IPad Os 13 na virada para novembro.

iPad Pro, Apple Pencil, capa, sleeve e o teclado Keys to Go da Logitech. Pouco mais de 650g e metade do volume do Macbook. Foram 7 países, 86 dias e a experiencia foi muito, mas muito satisfatória. O perrengue era conseguir me conectar à internet para ter acesso a alguns arquivos, algo que foi contornado poucos dias depois com a compra de um chip europeu para o iPhone. No retorno me vi utilizando muito mais o iPad do que o Macbook, tendo inclusive cogitado vender os 2 para comprar um iPad Pro 12.9 2019. Plano que a disparada do dólar me fez desistir.

Minha esposa, agora é “dona” do Air 2 e seu notebook Lenovo recém comprado fica 90% do tempo desligado, pois o iPad atende a maior parte das tarefas, com o Safari completo. Enfim, para mim, que sou usuário pesado, diria que um iPad supre 80% das minhas necessidades atuais de trabalho, sendo que os 20% restantes dependem muito mais das desenvolvedoras do que Apple em si.

4 Curtidas

Cara, exatamente!
Eu não sou usuário pesado, utilizo meu iPad para estudar e como uma ferramenta de organização.
Eu sequer tenho o iPadPro. O iPad 2018 é suficiente para o que eu preciso fazer e a única crítica que tive para ele foi a falta de indexadores de artigos científicos nas suítes de produção de texto. Creio que para mim, 95% do que faço na internet o iPad supre bem com excelente desempenho, autonomia e tela muito boa. Faça um orçamento de qualquer laptop que tenha essas qualidades e que faça 80% do que você precisa fazer em computadores, considerando o desempenho do iPad e a matemática bate. É óbvio que jamais recomendaria um iPad para alguém que não tem um computador: essa aposta em poder substituir uma ferramenta de trabalho que é consolidada há anos por uma proposta de algo que há tempos ninguém sabe direito pra o que serve de fato não sai barato. O meu ponto é que quem vai comprar um iPad hoje em dia para utilizar como um computador já pesquisou o bastante para entender suas limitações e possibilidades ou simplesmente não liga a mínima pra essa discussão do que é um computador e nem sequer sabe o que é um torrent.
Nesse contexto, como o @mobilon falou, creio que em 2 anos poderemos utilizar o iPad OS como um substituto viável de um computador tradicional exatamente por isso: a maioria das pessoas só quer algo que funcione.

3 Curtidas

Estou com um iPad 2018 também. Há mais de um ano não uso computador. Ano passado fiz meu tcc nele usando o Pages e Excel. A minha única reclamação é em relação aos suíte office (principalmente o exce), pois não tem 100% dos seus recursos disponíveis no iPad.

1 Curtida

Quanto ao Excel no iPad, eu acho ele simplesmente ruim. Ele serve como um bom visualizador e só. Eu usei bastante o numbers e aprendi a mexer muito bem nele e é bastante completo. Depois dá uma mexida nele, os gráficos são muito bons pra correlação e achei um pouco mais amigável que o Excel.

1 Curtida

Gosto mais do Android mesmo sendo mais vulnerável a ser hackeado

Tablet com Android não vai, é um celular esticado e improdutivo.

2 Curtidas

Eu tenho um, e ele está aos poucos se transformando no Kindle que minha mulher ainda não tem.

Se colocar uma película fosca fica muito bom de ler

Nunca, só pra começar, tamanho da tela, jogos, desenvolvimento em geral e etc …

Ah, com certeza. Jogo é windows e meio que ponto final. Desenvolvimento no iPad ainda é uma piada, conforme os comentários daqui, embora já tenham alguns apps legais até, tipo o pythonista, mas nada perto de dev em um computador de verdade.
Mas pra outras coisas mexer num windows parece primitivo kkkkkk não tem absolutamente nada igual ou parecido com o notability (e olha que já mexi no Surface book com a canetinha) ou algo que tenha um preço parecido com o iPad comum e que entregue desempenho, portabilidade e bateria. Obvio que não tô comparando windows e iPad OS até porque eu acho que substituir um computador pelo iPad deve ser lido literalmente: um é computador propriamente dito e o outro não, mas pra maioria das pessoas, talvez daqui a um tempo a troca seja possível

Boa! Vou procurar uma.

Se eu tivesse um Ipad…

O maior problema que vejo para a substituição é o fato dos módulos de segurança dos bancos não serem compatíveis e os apps serem bem limitados em relação ao Internet Banking.

Este tópico foi fechado automaticamente 14 dias depois da úlima resposta. Novas respostas não são mais permitidas.